21 junho 2011

Respeito é bom e todo mundo gosta!

Diante dos fatos ocorridos recentemente na política de Nova Londrina, republico aqui um texto postado em 12-09-2010, quando os ânimos também estavam exaltados. Como parece que à época nossos representantes não o leram, abaixo mais uma oportunidade para refletir.

Sobre passado, parlamento e civilidade:

Diante dos recentes acontecimentos...

Para que serve o passado?
Simplificando, serve para não repetirmos no presente os mesmos erros e com isso podermos construir um futuro melhor. É preciso relembrar o passado, mas não devemos ficar remoendo sempre a mesma coisa e colocando no passado, a culpa dos nossos problemas presentes. Mais, não devemos repetir no presente, o que achávamos errado no passado e dar como justificativa para nossos atos, que no passado acontecia a mesma coisa e ninguém falava nada.

Para que serve o parlamento?
Do latim “parlare” que significa “falar”. Historicamente o parlamento foi criado para que o povo, através de seus representantes eleitos pudesse ter um lugar para falar e ser ouvido pelo governante. É no parlamento que se discutem os assuntos de interesse geral da população. Para aqueles que acompanham a TV Senado, podem perceber que, apesar do tempo regimental para os pronunciamentos, o presidente sempre concede o tempo necessário para que um parlamentar complete o seu raciocínio, nem que isso demore. Já vi reuniões acabarem na madrugada, afinal, é necessário debater e são bem pagos para isso. Também, mesmo entre os adversários, são concedidos “apartes” às falas, afinal, sabem os nossos senadores que o parlamento é o lugar do DEBATE e da troca de idéias e argumentos.

As pessoas que fazem parte do parlamento são escolhidas pelo povo, portanto, gostemos ou não de todos eles, merecem o nosso respeito. Por trás de cada parlamentar, existem cidadãos que votam nele. Desrespeitar um parlamentar é também desrespeitar os eleitores que o escolheram.

O parlamento faz parte do PODER LEGISLATIVO. Os três poderes, Legislativo, Executivo e Judiciário são independentes e harmônicos entre si. Não pode o membro de um poder, em hipótese alguma, faltar com o respeito ao membro de outro poder. Quando isso acontece, o sujeito está na verdade desrespeitando todo o poder constituído, a república e a democracia. Por exemplo, quando um membro do Executivo desrespeita um membro do Legislativo, está atacando todo o Poder Legislativo e vice-versa.

Para que serve a civilidade?
Do latim, “civile” que designava o habitante da cidade. A civilidade é uma espécie de “código de conduta” para que todas as pessoas possam conviver minimamente em harmonia. Apesar das diferenças de opinião, cor, sexo, partido, religião, time de futebol, etc, é a civilidade que garante o respeito mútuo e a integridade da sociedade.

Quando os cidadãos perdem a civilidade, ou seja, perdem o respeito entre si, estamos a um passo do caos social e da guerra. Quem não sabe ouvir ou conviver com as diferenças, opiniões e críticas, também não sabe viver em sociedade. Para aqueles que não aceitam isso, damos o nome de fascistas (não nos esqueçamos de Hitler e Mussolini). Lembrem-se, sem a civilidade, a vida em sociedade não existe e voltamos ao tempo das cavernas.

Por: Cássio Augusto Guilherme – Professor e mestrando em História pela UEM.

1 Comentários:

Às 26/6/11 11:46 AM , Blogger Arthurius Maximus disse...

Concordo e apoio plenamente. A variedade de ideias e pensamentos, com um cntraditório saudável e ativo, é fundamental para uma vida melhor. Sem isso, vamos para a barbárie com uma facilidade impressionante.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats