12 março 2011

Tudo que é sólido, desmancha no ar:

Newton já dizia, se subiu tem que descer. Um dia a casa cai. Tudo passa, tudo sempre, passará. Nenhum Império dura para sempre. Nenhum ditador é ad eternum. Não adiante ter os olhos maior que a barriga. Não dê o passo maior que a perna. Tudo que é sólido desmancha no ar. Etc...

Ao estudar um pouco, aprendemos várias lições com a história. No entanto, algumas pessoas insistem em não aprender estas lições e julgam-se inatingíveis nos castelos por eles construídos.

O Império Persa ruiu, o egípcio também, os gregos não mantiveram suas conquistas por muito tempo, os romanos pareciam invencíveis, assim como os bizantinos, mas, cadê todos eles? Hoje os estadunidenses pensam que podem vencer qualquer guerra em qualquer canto do mundo, mas não é isso que vimos no Vietnã e vemos no Afeganistão e no Iraque.

Xerxes, Júlio César, Constantino, Carlos Magno, Napoleão, Hittler, todos um dia foram vencidos e suas conquistas...

Não importa o tamanho do Império ou a sabedoria do Ditador, em algum momento o povo exigirá mudanças, mesmo que isso demande décadas...

Interessante é observar como estes “Senhores da Razão” constroem os seus currais. Chegam apresentando-se como os salvadores, promovem mudanças e melhorias visíveis, mas a ganância e a soberba de acharem-se invencíveis, é que os leva à derrota. Para estes Senhores, o céu é o limite. Usam de suas posições políticas e econômicas para cercarem-se
dos melhores “chupins” que lhe garantirão as vitórias em troca de favores.

Uma vitória atrás da outra, uma conquista seguida de outra, dão a impressão de que são invencíveis, mas, tudo o que cresce demais costuma não ser sustentado e aos poucos os “bárbaros” vão “invadindo” o seu Império e o que parecia uma fortaleza, revela-se frágil e a ruína é inevitável.

Uma pena que ainda hoje, algumas dessas pessoas não aprenderam a lição de que não podem manter por muito tempo seus tentáculos agarrados em todos os lugares. Lêem tantos “segredos” e conhecem os “números de cada pessoa”, mas não entendem a dialética da sociedade e aquilo que lhes parecia sólido, desmancha-se no ar.

Viva Zapata, viva Sandino, Antonio Conselheiro, todos os Panteras Negras, Lampião e seus cangaceiros, Tupac Amaru e seus indígenas, Espártaco e os escravos romanos, os egípicios, líbios e brasileiros que acreditam que o Mundo pode ser melhor sem estes “Senhores do regresso”.

Por: Cássio Augusto – professor e mestrando em História.

2 Comentários:

Às 12/3/11 5:07 PM , Blogger Marcelo disse...

Exatamente. Um salve a todos os que acreditam nas mudanças, seja em qualquer cenário. Ano que vem teremos mais uma, 2012, ano de expectativas, ano de fazer certo.

 
Às 12/3/11 10:32 PM , Blogger Mateus Brandão disse...

"Não há muro tão firme que não caia
Foi assim com aquele de Berlin.
Não há rei que do trono nunca saia
Nem nação que não prove o próprio fel.
Quem duvida que pipa de criança
Também lança por terra arranha-céu"?
(Socorro Lira)

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats