22 janeiro 2011

16ª Noite Reggae de NL:

16ª NOITE REGGAE DE NOVA LONDRINA - PARANÁ.

Dia 12/02
Na Chácara Correntão

Bandas curitibanas:
NAMASTÊ e DJAMBI

Ingressos:
1º Lote - R$ 15,00
1º Lote c/ camiseta - R$ 20,00 - limitado e apenas nos pontos de Nova Londrina a partir de 24/01 às 13:00! Não está ou não mora em NL? Peça para algum amigo comprar pra vc! Rs
2º Lote - R$ 20,00

Pontos de venda:

Nova Londrina:
Casinha do Pão
Super Nippon
Loja Kilomania

Loanda:
Vivi - 9844-2292

Diamante do Norte:
Imprimil (frente à Prefeitura)

Outras cidades estamos em contato!

Mais informações em: http://www.noitereggaenl.blogspot.com/

Venha curtir com a gente esta festa paz, amor e com vibrações positivas por um mundo mais solidário e sem preconceitos!

KEEP THIS FEELING!

18 janeiro 2011

A imprensa gosta:

Basta ligarmos em qualquer telejornal de qualquer emissora de televisão que ela vai estar lá: uma reportagem/denúncia sobre as más condições de hospitais no Brasil. Não importa a cidade ou o estado. Quando a imprensa ta sem assunto, basta ir no primeiro hospital que encontrar no caminho e terá uma matéria/denúncia para transmitir.

Tem gente que acha que a imprensa está preocupada com o bem-estar da população. Ledo engano. Quanto mais problemas, tragédias e violência, melhor! Dá audiência e se dá audiência, dá anunciantes e se dá anunciantes, dá lucro e lucro é o objetivo de qualquer empresa, ou você não sabia que a grande mídia é também uma empresa que precisa de lucros?

Recentemente, a cidade de Nova Londrina foi “agraciada” com a visita da reportagem da RPC, que fez uma matéria sem pé nem cabeça, aparentemente sobre o mal atendimento no Hospital municipal e sobre supostos salários atrasados. Para ver a matéria, clique aqui.

Pois bem. Claro que a saúde de Nova Londrina não está às mil maravilhas, mas em nenhum lugar do Brasil está. Minha memória local remete à pelo menos a inauguração do Hospital Municipal, ou seja, desde que foi criado o Hospital Municipal, há reclamação dos usuários. Esquecem-se que antes disso só havia atendimento particular na cidade.

Mais dinheiro resolve o problema? NÃO! Então que fazer? Não sei também. Pelas informações que tenho, me parece que esta administração municipal andou contratando bastante médicos e funcionários, o que já é um bom começo. Agora, todos sabem que os orçamentos dos pequenos municípios são escassos e dependem quase que exclusivamente de repasses federais.

Então minha gente, acho que para amenizar o problema, um pouco de calma e bom senso são fundamentais, de ambos os lados. Sei que lidar com saúde gera estresse para todos os envolvidos, mas o nervosismo só atrapalha. Uma mudança de mentalidade poderia sim contribuir. Os doentes precisam ter em mente a situação precária da saúde brasileira e os funcionários da saúde precisam ter em mente que os doentes têm o direito de serem atendidos, ao menos, com educação.

Particularmente, sempre fui bem atendido no Hospital Municipal. Não tenho planos de saúde, por isso dependo exclusivamente do pronto atendimento público. As vezes em que procurei o Hospital em Nova Londrina não deixei de resolver o meu problema, por mais que não tenha sido no tempo desejado, fui atendido de forma educada pelos profissionais da saúde.

No entanto, isso não quer dizer que nós, cidadãos, não devemos estar atentos à gestão pública e cobrar o melhor atendimento possível. É dever do Estado prestar auxílio médico gratuito e de qualidade e cabe ao cidadão protestar, mas sem perder a civilidade, jamais!

Por: Cássio Augusto – professor e mestrando em História UEM.

12 janeiro 2011

Uma breve história dos EUA:

Mais uma vez, a “nata da civilização democrática” é “surpreendida” com um jovem atirando a esmo em outros cidadãos. A vítima principal da vês é uma deputada dos Estados Unidos e o atirador, um daqueles típicos jovens brancos, reacionários e direitistas.

Abaixo, um interessante vídeo retirado do desenho South Park que faz uma sátira à história dos Estados Unidos e sua ânsia por armas de fogo.


Por: Cássio Augusto – professor e mestrando História UEM.

11 janeiro 2011

Futebol ou prostituição?

Finalmente o mercenário Ronaldinho Gaúcho (ou ex-gaúcho?) escolheu por qual clube jogará e beijará o distintivo em 2011, pelo menos até aparecer uma proposta melhor do Catar, EUA ou Japão. A Globo já era puxa-saco do Flamengo, agora então ninguém mais vai agüentar.

Estes quinze dias de especulação deixaram a prova de que foi-se o tempo que futebol era sinônimo de arte ou de esporte. Futebol hoje em dia é negócio e essa coisa de amor á camisa ou respeito à torcida é pura conversa fiada. Jogador e empresário gostam é de dinheiro, quem gosta e sofre pelo clube é o pobre e enganado torcedor. Cada dia que passa gosto menos do futebol.

Abaixo, charge do grande Carlos Latuff que mostra a prostituição do futebol mundial.
Por: Cássio Augusto – professor e mestrando História UEM.

09 janeiro 2011

Resenha publicada:

Na edição de janeiro/2011 da Revista Espaço Acadêmico da UEM, publiquei mais uma resenha de livro.

"O Indispensável livro sobre a Veja:

O livro que todo brasileiro deve ler. Esta é a melhor descrição para a publicação de “Veja: O indispensável partido neoliberal (1989-2002)”, da professora Carla Luciana Silva, que saiu ainda no ano de 2009 pela Edunioeste. Trata-se na verdade de uma compilação de sua tese de doutorado, apresentada no ano de 2005 junto à UFF e sob orientação da professora Virgínia Fontes.

Não se trata de mais um livro clichê, cheio de “denuncismos” sobre aquilo que o leitor mais crítico já sabe: a revista Veja atua “como agente partidário que ajudou sobremaneira na construção da hegemonia neoliberal no Brasil” (p. 252), ou seja, que coloca-se como imparcial, quando na verdade age pedagogicamente na construção de um consenso em torno do seu projeto. Assim, o grande mote deste livro é a capacidade da autora em lidar com as edições da revista e fazer saltar aos olhos do leitor as entrelinhas do discurso partidário de Veja. "

Para ler a resenha completa, clique aqui:

Por: Cássio Augusto – professor e mestrando História UEM.

07 janeiro 2011

PPS defenestra 379 infiéis no Paraná:

O Diretório do PPS do Paraná enviou, nesta quarta-feira (5), 379 notificações aos diretórios, coordenadores e mandatários tratando de infidelidade partidária relativa às eleições de 2010. Aqueles que receberem os documentos têm prazo de 15 dias para apresentar defesa para posterior exame dessas alegações pela coordenação eleitoral e Conselho de Ética estadual.

Segundo o secretário-geral Rubico Camargo, o prazo estipulado é improrrogável e todos os notificados deverão apresentar suas justificativas de forma simplificada e “com a agilidade necessária para nos reestruturarmos em todo o Estado com bases mais consistentes, do ponto de vista da fidelidade partidária, para as eleições municipais de 2012”.

Explicações

Foram enviadas 141 notificações aos presidentes de diretórios municipais para justificarem porque o PPS fez menos de 30% de votos para deputado em 2010, comparando com a soma dos votos de vereadores, em 2008; 28 notificações aos coordenadores regionais do partido para emitirem relatório sobre os fatos descritos nos municípios de sua jurisdição; 48 notificações aos presidentes dos diretórios para explicarem a diferença de 50%, ou mais, na votação entre o deputado estadual e federal no município.

O Conselho de Ética estadual enviou 162 notificações aos mandatários municipais (prefeito, vice-prefeito e ou vereador), para apresentarem suas justificativas também no prazo de 15 dias.

Segundo o presidente do Conselho de Ética, Ivo de Lima, “com as justificativas poderemos analisar se houve ou não infidelidade partidária”. Caso tenha havido, diz ele, imediatamente será designado relator para apresentar parecer. “Temos muitos casos em que está claramente configurada a infidelidade; neles, o pedido de expulsão será levado ao Diretório Estadual, a quem caberá a decisão final, de acordo com o nosso Estatuto e com o Código de Ética”.

Fonte: Blog do Esmael Moraes

Bom, para quem não sabe, um dia o PPS já se chamou PCB, isso mesmo, Partido Comunista Brasileiro, mas já tem bastante tempo que a sigla perdeu-se sob a liderança do deputado Roberto Freire. Os ex-comunistas têm feito coligações que devem fazer com que militantes da antiga revirem-se nos seus caixões. Mas a Fundação Astrojildo Pereira e sua editora são muito bons!

Resta saber se aqui em Nova Londrina, o Diretório Municipal ou Comissão Provisória do Partido também sofrerá represarias, uma vez que, ao que me parece, seus filiados não pediram votos para candidatos da sigla. Acho que temos um vereador e o vice-prefeito da cidade, filiados ao PPS.

Por: Cássio Augusto – professor e mestrando História UEM.

06 janeiro 2011

A decadência da decadência:

O domingo na TV aberta brasileira está cada vez pior. Ninguém com um mínimo de senso crítico consegue acompanhar a programação por mais de quinze minutos. O que salva é o futebol e ainda assim, com ressalvas.

Símbolo desta decadência é o Domingão do Faustão, cuja única atração meia-boca são as vídeo cacetadas. Hoje na internet descobri um vídeo do programa que retrata não só a decadência da TV aberta, como também a já sabida decadência da educação brasileira.

Assistam de divirtam-se com a ignorância alheia.


Por: Cássio Augusto – professor e mestrando em História UEM.

05 janeiro 2011

Todos os dias o povo come veneno:

Quem são os responsáveis?

O Brasil se transformou desde 2007, no maior consumidor mundial de venenos agrícolas. E na última safra as empresas produtoras venderam nada menos do que um bilhão de litros de venenos agrícolas. Isso representa uma média anual de 6 litros por pessoa ou 150 litros por hectare cultivado. Uma vergonha. Um indicador incomparável com a situação de nenhum outros país ou agricultura.

Há um oligopólio de produção por parte de algumas empresas transnacionais que controlam toda a produção e estimulam seu uso, como a Bayer, a Basf, Syngenta, Monsanto, Du Pont, Shell química, etc.

O Brasil possui a terceira maior frota mundial de aviões de pulverização agrícola. Somente esse ano foram treinados 716 novos pilotos. E a pulverização aérea é a mais contaminadora e comprometedora para toda a população.

Há diversos produtos sendo usados no Brasil que já estão proibidos nos países de suas matrizes. A ANVISA conseguiu proibir o uso de um determinado veneno agrícola. Mas as empresas ganharam uma liminar no “neutral poder judiciário” brasileiro que autorizou a retirada durante o prazo de três anos... e quem será o responsável pelas conseqüências do uso durante esses três anos? Na minha opinião, é esse juiz irresponsável que autorizou, na verdade, as empresas a desovarem seus estoques.

Os fazendeiros do agronegócio usam e abusam dos venenos, como única forma que tem de manter sua triz na base do monocultivo e sem usar mão de obra. Um dos venenos mais usados é o secante, que é aplicado no final da safra para matar as próprias plantas e assim eles podem colher com as máquinas num mesmo período. Pois bem, esse veneno secante vai para a atmosfera e depois retorna com a chuva, democraticamente atingindo toda população, inclusive das cidades vizinhas.

O Dr. Vanderley Pignati da Universidade Federal do Mato Grosso tem várias pesquisas comprovando o aumento de aborto e outras conseqüências na população que vive no ambiente dominado pelos venenos da soja.

Diversos pesquisadores do Instituto Nacional do Câncer e da Universidade Federal do Ceará já comprovaram o aumento do câncer, na população brasileira, conseqüência do aumento do uso de agrotóxicos.

A ANVISA – responsável pela vigilância sanitária de nosso país, detectou e destruiu mais de 500 mil litros de venenos adulterados, somente esse ano, produzido por grandes empresas transnacionais. Os seja, além de aumentar o uso do veneno, eles falsificam a fórmula autorizada, para deixar o veneno mais potente, e assim, o agricultor se iludir ainda mais.

O Dr. Nascimento, consultor de saúde da revista Caras, escreveu em sua coluna que ocorrem anualmente ao redor de 20 mil casos de câncer de estômago no Brasil, a maioria conseqüente dos alimentos contaminados, e destes 12 mil vão à óbito.

Tudo isso vem acontecendo todos os dias. E ninguém diz nada. Talvez pelo conluio que existe das grandes empresas com o monopólio dos meios de comunicação. Ao contrário, a propaganda sistemática das empresas fabricantes que tem lucros astronômicos é de que é impossível produzir sem venenos. Uma grande mentira. A humanidade se reproduziu ao longo de 10 milhões de anos, sem usar venenos. Estamos usando veneno, apenas depois da segunda guerra mundial, para cá, como uma adequação das fábricas de bombas químicas, agora para matar vegetais e animais. Assim, o poder da Monsanto começou fabricando o Napalm e o agente laranja, usado largamente no Vietnã. E, agora, suas fábricas produzem o glifosato, que mata ervas, pequenos animais, contamina as águas e vai parar no seu estômago.

Esperamos que, na próxima legislatura, com parlamentares mais progressistas e com novo governo, nos estados e a nível federal, consigamos pressão social suficiente para proibir certos venenos, proibir o uso de aviação agrícola, proibir qualquer propaganda de veneno e responsabilizar as empresas por todas as conseqüências no meio ambiente e na saúde da população.

João Pedro Stédile – membro da coordenação nacional do MST – Revista Caros Amigos, Nov/2010.

Por: Cássio Augusto – professor e mestrando História UEM.

03 janeiro 2011

16ª Noite Reggae de Nova Londrina - PR



Free counter and web stats