16 novembro 2010

Tentativas sucessivas, derrotas sistemáticas:

A perseguição à Rádio Rainha em que se empenham figuras menores da política novalondrinense - diga-se a verdade - desde seu início, sofreu uma fragorosa derrota, dentre muitas, ultimamente.

Ao intentarem um processo por crime de propaganda eleitoral extemporânea, processo este arquivado em Nova Londrina - o que não os contentou -, reiniciado então em Curitiba; tiveram o desprazer e a surpresa de se verem derrotados antes mesmo do julgamento do mérito da questão pelo egrégio tribunal eleitoral que, julgando vícios de origem, suspendeu a ação e arquivou a ignóbil tentativa.

Segundo o PDT local, co-partícipe na ação desastrada, as informações de início não correspondiam à realidade, pois, se soubessem desde o primeiro momento, que a Rádio Rainha estaria envolvida, jamais teriam participado do processo que se transformou em desastre. Prova está que assim que sentiram o repúdio da população à perseguição abjeta à FM local, rapidamente se retiraram unilateralmente do mesmo, deixando o DEM sozinho na ação.

Choro e ranger de dentes é o que se escuta agora por detrás dos muros em que se empenham os microcéfalos poderosos de plantão em permanecer.
Afastados do povo, até mesmo das massas que os elegeram - não eles e sim à majoritária local, diga-se de passagem -, os caras-pálidas conhecem agora a força da indiada.

Arrastados na lama das conversas das esquinas, destratados nos canais de informação locais, servindo de prato feito das piadas, se esgueiram em seus possantes por detrás de vidros insufilmados, desviando-se da buraqueira em se transformou nossa cidade e que até agora, apesar do empenho do Executivo, não deram conta de resolver, o que mostra à perfeição a ‘perfeição’ dos pseudos estrategistas encastelados no Paço.

Não tripudiamos por cima do cadáver dos derrotados. Se no momento da intentona, por momentos, fizemos cáusticos comentários, deveu-se isto ao calor no repúdio e a certeza da injustiça da vã tentativa. Na vitória, fomos magnânimos e só informamos o nosso povo de sua vitória, pois é a ele que esta vitória acachapante pertence verdadeiramente.

Sabemos que outros processos existem; na ANATEL, na Justiça comum, no bispado, sabe-se lá.

O que nos blinda, não é somente a Lei, o que nos encouraça é a certeza que mesmo sendo vitoriosos em alguma tentativa - o que não cremos verdadeiramente -, nunca conseguirão o que mais querem: adoração.

Adoração por se acharem o supra-sumo da política, o que não são - provas as há, e de sobejo -, adoração por pensarem ser o que de melhor, administrativamente falando, já passou por aqui - o que já virou até piada -, enfim, adoração simplesmente por se escorarem por momentos, na luz de poderosos locais que independem destas mesmas escoras, pois têm luz própria; e este grupamento de bajuladores bem pagos serão os primeiros a serem despejados do andor quando a procissão tomar outros rumos - e o fará - .

Infelizmente, enquanto estes bons dias não chegam, fazem o miúdo das vingancinhas mesquinhas, prometendo derrotas sucessivas e sendo por sua vez, derrotados de forma sistemática.

Até porque, já perderam o principal: o povo.

E este, ao contrário do senso comum, não esquece.

Por> Ricardo Ronda.

1 Comentários:

Às 16/11/10 3:12 PM , Blogger Arthurius Maximus disse...

Toda tentativa de censura e de intimidação dos meios de comunicação deve ser digna de escárnio. Venha de onde vier. Quem não tem estomago para ver seus erros expostos; que não os cometa.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats