11 novembro 2010

Gramsci na América Latina:

Recebi hoje o exemplar da Revista Contra a Corrente, ano 2, nº 4, que contém o dossiê PT – 30 anos. Trata-se de uma revista Marxista de Teoria, Política e História Contemporânea editada por um grupo de professores e situada na UnB. Nesta edição, está publicado um artigo de minha autoria. Abaixo o título e resumo:

Gramsci na América Latina: itinerário de uma recepção.

Resumo: Neste artigo, procuramos recuperar o itinerário da recepção de Antonio Gramsci nos países da América Latina, exceto o Brasil, em especial os casos da Argentina, onde ocorreram as primeiras traduções para o espanhol e os debates promovidos no interior do PCA (Partido Comunista Argentino) e nas páginas da revista Pasado y Presente. O México do final dos anos 1970 recebeu um grande fluxo de exilados da América do Sul, tornando-se local propício para uma maior reflexão, e também Cuba pós-revolução. Ao final, apresentamos ainda alguns trabalhos que analisam a História e a sociedade latino-americana, tendo Gramsci como referencial teórico.

Palavras-chave: Gramsci, recepção, América Latina.

Para quem se interessar pela Revista, pode entrar em contato pelo e-mail: revistacontraacorrente@yahoo.com.br

Por: Cássio Augusto – professor e mestrando em História UEM.

4 Comentários:

Às 12/11/10 12:46 AM , Blogger Sr. Burguês disse...

Me diz ai como foi a recepção da obra de gramsci no suriname

 
Às 16/11/10 1:37 AM , Blogger Sr. Burguês disse...

ok, adimito que eu apelei. Comentar brevemente sobre a recepção da obra de Gramsci no Suriname é muito dificil, mesmo pra quem estudou a recepção da obra dele em toda a America Latina. Lanço então um desafio mais facil: me diga como que foi a recepção da obra dele na Republica Dominicana.

 
Às 22/11/10 3:53 AM , Blogger Sr. Burguês disse...

Nada também? Poxa...
OK, uma bem facil então: Guatemala! Ou que tal El Salvador? ou ainda Porto Rico? Algum desses paises da America Latina com certeza vc estudou, né? Pq dizer estudou a recepção de Gramsci na America Latina e esquecer não um, nem dois, mas três (ou mais) paises... ai já é caricatisse!

 
Às 22/11/10 1:36 PM , Blogger Cássio Augusto disse...

Grande Victor, parece mesmo que minha presença foi marcante na sua vida, não? Afinal, vc não me esquece e não perde a chance de me provocar.

Minha pesquisa é passível de críticas sim e fico muito grato que vc tenha dedicato um pouco do seu tempo para isso. O debate acadêmico agradece.

Por falar em "academia", vc já conseguiu terminar o curso de História ou não? Quando entreim vc estava no 2º ano, dae no ano seguinte vc foi pro 1º ano... não entendi muito bem, mas, espero que tenha conseguido terminar o curso. Abraços!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats