14 setembro 2010

Setembrinas I:

Setembro já vai por aí à fora e a real situação da política no Paraná continua indefinida. Pesquisa em cima de pesquisa, resultado em cima de resultado e as pessoas crêem cada vez menos no que escutam ou lêem.

Tirando a nacional, é claro, onde, por mais que se force a situação, salvo um incidente de percurso dos mais escabrosos, a situação já está definida. Já no nosso estado a situação se mostra cada vez mais negra.

Até por que, hoje, dia oito, fazem mais de quinze dias que não saem novas pesquisas. Existir, elas existem, só não estão sendo divulgadas...

Na hipótese provável de que Dilma leve no 1º turno, a pressão em cima do Paraná, vinda de Brasília será quase irresistível.

Vendo o cenário nacional pendendo para um lado muito específico, como fica o pensamento do paranaense? Fazer uma bancada de Senado e uma Câmara situacionista e o Governador de oposição? Bater cabeça com Brasília durante oito anos, após, mesmo tendo sido um aliado - certo que é o Requião, que coleciona inimigos como colecionamos selos - sofrermos um pouco pela brigas constantes do Requião com a turma PT? Ficarmos agora oito anos apanhando? O Estado não merece.

Até por que, o problema não é o Paraná, o problema é o PSDB que só vai levar de importante, São Paulo e Minas. Para os tucanos, perder o Paraná é o fim... Quer dizer: dane-se os paranaenses, o negócio é fazer três estados importantes e manter o bico tucano nos negócios nacionais, senão, o partido desaparece da mídia nacional, vira um partido de bancada congressual e aí meus filhos, só os fãs da Tv Senado prestam atenção nestes caras.

Quanto ao PT, pior ainda. Pouco importa nada, o negócio é aparelhar o Estado e dar mordomia para a galera mais chegada...

Até por que não é o PT que governa, é a banca internacional que manda em tudo por aqui.

Quando os prefeitos descobrirem com certeza para onde correrão os ventos, podem acreditar, será a maior debandada em direção ao Osmar Dias. Prefeitos não agüentam ser de oposição. Os casos próximos são bem claros, se o forem, tem de compor com alguém do governo para poderem ir levando suas prefeituras, e isto aos trancos e barrancos como estamos vendo.

Particularmente, não tenho nada contra nenhum dos dois. Não estava no Paraná no governo em que o Osmar foi secretário, nem quando do velho Richa governador. Minha análise é em cima da politicalha nacional, que mostra à perfeição onde os prefeitos caem quando ficam contra os governos centrais.

O Beto só ganha se levar no 1º turno. Tendo 2º turno, Brasília vai cair matando, e comprando e corrompendo...

Por: Ricardo Ronda.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats