26 setembro 2010

O que é fundamentalismo religioso:

Desde o início do pleito eleitoral, circula na internet um vídeo de péssimo gosto. Nele, um Pastor tendencioso, pede para que seus “fiéis” não votem em determinado candidato/partido. Este Pastor age exatamente no que o filósofo Espinosa chama de “teólogo político”. Assim, algumas questões merecem ser esclarecidas:

É por causa de pastores/padres como este, que o Brasil não avança.

Desde a Revolução Francesa, ESTADO e IGREJA são coisas separadas. O Estado faz leis civis, ou seja, regula a vida em sociedade. A partir de um problema/fato social, o Estado intervém para regulá-lo. Por exemplo, só existe uma lei proibindo matar, por que se mata; só existe uma lei proibindo derrubar arvores, por que se derrubam árvores; só existe proibição do trabalho escravo, por que existe trabalho escravo. Caso não houvesse na sociedade nem assassinatos nem derrubada de árvores nem trabalho escravo, estas leis não seriam necessárias.

A Igreja fala para seus fiéis. A Igreja faz regras para seus fiéis. O que um fiel de determinada Igreja pensa não pode ser imposto a um fiel de outra Igreja, muito menos ao Estado. A Igreja possui autonomia interna. As leis do Estado regulam a vida em sociedade, as leis da Igreja regulam a vida dentro da Igreja. Fé é uma questão privada e não pública.

Casamento homossexual? Claro que nenhum homossexual quer entrar na Igreja vestido de véu e grinalda. É fato que pessoas do mesmo sexo vivem juntas. O problema é que não possuímos leis para regulamentar esta questão. O Estado precisa criar regras, principalmente para os bens adquiridos nesta união. O que cada um faz entre quatro paredes não diz respeito à Igreja. Isso é fundamentalismo religioso!

Pornografia? Assiste e compra quem quer! Viva a liberdade de escolha. Ao contrário, algumas Igrejas até proíbem que seus fiéis tenham aparelho de TV em casa. Isso é fundamentalismo religioso!

Pedofilia? Realmente, algo terrível. Mais terrível ainda quando feita por padres que pregam uma coisa e fazem outra. Isso é fundamentalismo religioso!

Divórcio? Ora, duas pessoas que se casam são obrigadas a viver juntas mesmo não mais se gostando? Mesmo se houver agressões? Mesmo se a convivência tornar-se insuportável? Isso é fundamentalismo religioso!

Aborto? Ninguém em são consciência diz que é totalmente a favor. No entanto, o aborto é um fato e precisa ser minimamente regulamentado pelo Estado. É uma questão de saúde pública e de salvar vidas. Fechar os olhos ao problema é fundamentalismo religioso!

Penso que, ao mesmo tempo que as Igrejas, enquanto instituições organizadas da sociedade, possuem o direito de divulgar as suas opiniões contra tais práticas sociais, também tem o DEVER de ouvir as opiniões diversas e de outras instituições organizadas da sociedade. Caso contrário, é fundamentalismo religioso!

Em nossa história, sofremos com o "voto de cabresto", isto é, um "coroné" poderoso de uma pequena cidade, mandava que seus trabalhadores e agregados votassem no candidato por ele escolhido. Isso não é democracia. Ao ver um padre/pastor pedindo para que suas "ovelhas" não votem neste ou naquele candidato/partido só posso concluir que também não é democracia e sim fundamentalismo religioso!

Tais questões são SIM de direitos humanos. Aliás, a proposta feita pelo governo federal, o pastor em questão omitiu uma informação interessante, foi feita após a discussão de todos estes temas em reuniões públicas feitas em diversos lugares do país e com a presença de vários segmentos organizados. Não discutir sim, é fundamentalismo religioso!

Ter o monopólio do discurso divino, ou seja, dizer o que Deus vai ou não fazer conosco aqui na terra é fundamentalismo religioso!

É livre que a consciência de cada um se posicione sobre estes temas e também sobre as eleições! Tratar os fiéis em Deus como fantoches sem consciência, sem opinião e que devem seguir seu "pastor" porque ele fala em nome de Deus, é fundamentalismo religioso!

Por: Cássio Augusto – professor, bacharel em Direito, licenciado em História e mestrando em História pela UEM

8 Comentários:

Às 27/9/10 6:35 PM , Blogger Mateus Brandão disse...

Falou e disse, ótimo discurso.

 
Às 27/9/10 6:52 PM , Blogger Cássio Augusto disse...

Vejam o que eu encontrei!!! Só pode ser piada!!! hauhuahua

Informação. Espalha pra geral do seu orkut.
BOMBA: MOVIMENTO NÃO VOTE EM DILMA!!!
SÓ PRA VC COMO CRENTE OU CATOLICO FICAR COM A CONSCIÊNCIA
TRANQUILA.... A DILMA APROVARÁ A LEI DO ABORTO E DO CASAMENTO GAY JÁ
DECLARADO POR ELA MESMA. E O MAIS INTERESSANTE QUE EU NÃO SABIA E NÃO
HAVIA REPARADO...
VCS SABEM O NOME DO VICE DA DILMA? MICHEL TEMER!
ISSO TE LEMBRA ALGO? É ELE MESMO O PAI DE DANIEL MASTRAL O GRANDE CABEÇA DOS
SATANISTAS...
INFORMAÇÕES DIVULGARAM QUE A PRESIDENTE SERÁ ELEITA, NÃO TEM JEITO,
PORÉM VC COM CONHECIMENTO E SABEDORIA, FILHO DE
DEUS, NÃO VOTE NELA, OS SATANISTAS JÁ PREPEARAM TUDO... A PRESIDENTE
POSSUI UM CÂNCER ADORMECIDO E DENTRO DO ANO DO SEU LEGADO O DIABO A
FERIRÁ E ELA FICARÁ TERRIVELMENTE DOENTE, TALVEZ, VINDO ATÉ A FALECER E, QUEM
ASSUMIRÁ O PODER? O VICE MICHEL TEMER.... FIQUE LIGADO!
A INTENSÃO DO DIABO É DOMINAR TODO TERRITÓRIO BRASILEIRO LIBERANDO POTESTADES E PRINCIPADOS NO AR,TERRA E MAR.
É HORA DE NOS LEVANTARMOS COMO FILHOS DE DEUS.
CUIDADO COM O SEU VOTO, NÃO O JOGUE NAS MÃOS DE UM INSTRUMENTO DO NOSSO
ADVERSARIO.

Dilma aprovará leis que prejudicarão a pregação da Palavra de Deus, como:

Fica proibido fazer:

· Cultos ou evangelismo na rua (Reforma Constitucional)
· Programas evangélicos na televisão por mais de uma hora por dia.
· Programa de rádio ou televisão, quem não possuir faculdade de 'jornalismo'.
· Pregar sobre dízimos e ofertas, havendo reclamações, obreiros serão presos.

Quanto aos cultos:
· Cultos somente com portas fechadas (Reforma Constitucional)
· As igrejas serão obrigadas a pagarem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.
·
Será considerado crime pregar sobre espiritismo, feitiçaria e
idolatria, e também veicular mensagem no rádio, televisão, jornais e
internet, sobre essas práticas contrárias a Palavra de Deus.
·
Pastores que forem presos por pregar sobre práticas condenadas pela
Bíblia Sagrada (homossexualismo, idolatria e espiritismo), não terão
direito de se defender por meio de ação judicial.

Se estabeleça:
·
O dia do “Orgulho Gay” e que seja oficializado em todas as cidades
brasileiras e comemorado nas Instituições de Ensino Fundamental
(primeira a 8ª série), público e particular.
· Que as Igrejas que se
negarem a realização das solenidades dos casamentos de homem com homem
e de mulher com mulher, estarão fazendo “discriminação”, seja multadas
e seus pastores processados criminalmente por descriminação e
desobediência civil.

REPASSE ISSO! É UM ALERTA QUE TODOS PRECISAM SABER!

JESUS TE AMA!

 
Às 27/9/10 7:37 PM , Blogger Cássio Augusto disse...

Apenas para que fique claro, conheço padres e pastores sérios. São exceções, mas os conheço, respeito e admiro!!!

 
Às 28/9/10 12:29 AM , Blogger Parreiras disse...

O PT já foi apoiado pela Igreja, lembram-se?

 
Às 28/9/10 11:13 AM , Blogger wesleysbandeira disse...

Cara, sou Cristão mas concordo totalmente com vc!!! Se vc me permitir vou colocar no meu blog... wesleysbandeira.blogspot.com
T+

 
Às 28/9/10 4:09 PM , Anonymous Arthurius Maximus disse...

Não dá para negar o óbvio. O PT defende essas causas (Aborto, União homossexual, etc) esses são assuntos programáticos e, quem votar contra, é expulso do partido.

Até aí, tudo bem. Eu também sou a favor da legalização do aborto (a criminalização é uma hipocrisia e um desperdício de dinheiro enorme com as sequelas deixadas pelos açougueiros). O que não quer dizer que eu apóio o ato em si. Infelizmente a interferência das Igrejas - de uma forma geral - é tão antiga em nossa política como a própria corrupção. Ela independe do fundamentalismo.

Eu tenho uma opinião particular de que pastores, padres e qualquer pessoa ligada diretamente a uma Igreja, seita ou entidade religiosa jamais poderia concorrer a um cargo eletivo. Justamente para assegurar a manutenção do estado laico. Contudo, também não se pode negar aos sacerdotes a expressão de suas opiniões políticas. Falar para a sua congregação, sem incitação de violência, é um direito assegurado pela constituição a eles. Além disso, nenhum religioso - até por dever de profissão - pode ser favorável ao aborto, ao homossexualismo e etc. Para as religiões, esses assuntos são pecados mortais ou tabus.

Cabe ao fiel agir de acordo com sua consciência e aprender a separar a vida religiosa da vida civil. Pode não parecer mas a maioria faz isso com extrema facilidade (talvez não em relação a esses assuntos).

Infelizmente, o fanatismo e a utilização tendenciosa extra-muros dessas declarações é uma realidade que não tem como ser evitada sem que houvesse um cerceamento das liberdades constitucionais.

E isso, seria pior do que os efeitos das tais declarações.

 
Às 28/9/10 4:11 PM , Anonymous Arthurius Maximus disse...

Quanto a essa "bomba do Orkut" Claramente um crime eleitoral que deve ser apurado e punido. Quem acredita nisso só pode ser um completo imbecil (e olha que eu nem vou votar na Dilma).

 
Às 28/9/10 9:04 PM , Blogger Cássio Augusto disse...

Pois é Parreiras, bons tempos em que a Igreja Católica ainda tinha religiosos PROGRESSISTAS. Infelizmente, a Teologia da Libertação foi engolida pela RCC!!!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats