30 setembro 2010

Para que a história não se repita:

Diante da tentativa frustrada de golpe contra Chávez na Venezuela em 2002. Da tentativa frustrada da elite boliviana contra Evo Morales. Hoje, da tentativa de golpe por parte da direita do Equador ao presidente Rafael Correa. Os ataques midiáticos contra Cristina e etc, precisamos refletir:

O ano era 1954. O presidente da República era Getúlio Vargas, cujo governo se apoiava em uma ampla base popular, em especial dos trabalhadores pobres. A elite burguesa e pseudo-intelectual deste país promoveu uma ferrenha campanha de difamação contra Vargas. O resultado? Suicídio do presidente.

O ano era 1964. O presidente da República era João Goulart, cujo governo prometia avançar em uma ampla “reforma de base”, com forte apoio popular. A elite burguesa e pseudo-intelectual deste país, com apoio do exército, da embaixada dos EUA e da Igreja Católica, promoveu uma forte campanha de difamação de Jango, acusando-se de comunista, ateu, de querer acabar com a liberdade de expressão e etc. O resultado? Golpe Civil-Militar e a implantação de uma ditadura de direita.

O ano era 1989. Diante da iminência de um segundo turno entre Brizola e Lula, a elite burguesa e pseudo-intelectual deste país, com forte apoio midiático, fabricou o candidato Fernando Collor. No segundo turno entre Collor e Lula, este foi acusado de comunista, de ter abandonado uma filha fora do casamento, de que se eleito mais de oitocentos mil empresários sairiam do Brasil e etc. O resultado? Collor ganhou e depois foi cassado.

O ano é 2010. O presidente da República é Lula, cujo governo é rotulado de populista, por privilegiar algumas poucas políticas sociais em favor dos miseráveis e contar com aprovação de 80% da população. A elite burguesa e pseudo-intelectual deste país, inconformada em ver a candidata apoiada por Lula prestes a vencer democraticamente a eleição deste ano, promove uma desesperada campanha de difamação contra ambos. Acusam Lula e Dilma de serem contra a liberdade de imprensa, a favor do aborto, contra a liberdade religiosa, terem pacto com o satanismo, e etc. O resultado?

Não duvido nada que estamos novamente diante de um importante momento histórico. É preciso que os trabalhadores e movimentos sociais fiquem atentos ao que pode acontecer no Brasil. Será que, com a iminência de mais um Golpe, aqueles que hoje clamam em favor da liberdade de expressão e pela democracia (leia-se, contra Dilma), iram para as ruas protestar contra o Golpe? Tenho minhas dúvidas.

Para a elite brasileira, a democracia só serve quando o candidato deles ganha. Se o candidato adversário é que foi eleito, significa que o povo não sabe escolher e que para “salvar o país e a democracia” é preciso tirá-lo do poder.

Por: Cássio Augusto – professor; bacharel em Direito; licenciado em História; mestrando em História na UEM.

29 setembro 2010

As esquerdas e a trincheira:

As esquerdas e a trincheira:

O espectro político é comumente divido em um arco que vai da “direita” até a “esquerda”. Simplificando, a direita é composta por elementos conservadores e burgueses, enquanto a esquerda abriga os progressistas e trabalhadores. Claro que entre ambos, há aqueles partidos/políticos nas extremidades e no centro. Isso não vem ao caso.

Desde a sua fundação em 1980, o PT foi caracterizado como sendo um partido de esquerda. Formado a partir do movimento sindical de 1978, recebeu a adesão de vários intelectuais e artistas. Seu discurso ao longo dos anos foi em defesa dos trabalhadores, pela reforma agrária, etc. Muitas vezes, chegaram a dizer que o PT era formado por comunistas, o que penso ser um exagero.

Assim como o mundo e o Brasil mudaram, as correntes mais radicais do PT perderam espaço interno e acabaram saindo. Formaram o PSOL, PSTU e o PCO. Os que ficaram, utilizaram-se do pragmatismo político e de certa forma, entenderam o que o filósofo italiano Antonio Gramsci nos ensinou.

Segundo Gramsci, o Estado moderno não é formado apenas pela Sociedade Política, mas também e principalmente, pela Sociedade Civil. “O Estado era apenas uma trincheira avançada, por trás da qual estava uma robusta cadeia de fortalezas e casamatas”. Em outras palavras, o simples fato da esquerda tornar-se governo, não garante que a mesma tenha total controle do Estado.

Assim, o fato de o PT chegar à Presidência da República não é a garantia de que todos os programas sociais fossem aplicados com uma canetada. Caso isso ocorre, as “fortalezas e casamatas” da direita e da Sociedade Civil tomariam novamente as rédeas do poder, leia-se "golpe". Para que o projeto da esquerda seja implantado, é necessária uma Guerra de Posição, ou seja, ir aos poucos avançando nos programas sociais e na conscientização da população.

Hoje, diante do quadro político, temos duas opções claras. De um lado Serra/PSDB que representa a volta da direita brasileira, com seu programa de privatizações, “Estado mínimo” e política externa dependente. De outro, Dilma/PT que representa a continuação do projeto de centro-esquerda brasileira, pautado na forte intervenção estatal e de programas sociais.

Claro que o PT não é hoje radical, se é que um dia tenha sido, bem como seu governo não é o dos sonhos dos antigos militantes, como eu. No entanto, o PT é hoje a trincheira mais avançada que a esquerda brasileira possui nesta Guerra de Posições rumo à uma sociedade mais igualitária. Claro que ninguém deve fechar os olhos para os desvios do PT. No entanto, a volta da direita/PSDB/DEMOcratas é um retrocesso neste processo de construção de um Brasil mais justo.

Concordo plenamente com tudo o que os candidatos Plínio, Zé Maria, Rui Costa Pimenta e Ivan Pinheiro propõe em seus programas. A crítica que faço é que, ao atacarem Dilma/PT estão na verdade, contribuindo para que aquela corja de UDN/Lacerdistas/ARENA/Militares/PDS/PFL/DEMOcratas/privatizações/neoliberalismo/etc volte a tomar conta do país e não uma alternativa viável à esquerda. Repito, a única alternativa viável à esquerda hoje é o PT e precisamos defender esta trincheira e lutar por dentro, rumo à sociedade com menos desigualdade social.

Por: Cássio Augusto – professor, bacharel em Direito; licenciado em História e mestrando em História pela UEM.

28 setembro 2010

Quem compara NÃO vota em Beto Richa/PSDB:

A Educação no Governo Lerner (leia-se “mesmo grupo do Beto Richa/PSDB”)

_ 8 anos sem reajuste salarial.
_ Fechamento de 340 escolas de Magistério e 1080 cursos de educação profissional.
_ Programa Correção de Fluxo como forma de aligeiramento educacional e contenção de despesas.
_ Contratação de consultorias para execução de todos os projetos educacionais.
_ Universidade do Professor (Faxinal do Céu) numa perspectiva de qualidade total e “treinamento” dos professores no sentido da competição alcançando sucesso pela força interior.
_ Fim das eleições diretas nas escolas estaduais.
_ Redução drástica do número de Funcionários de Escola através do porte das escolas.
_ Falta de concursos públicos.
_ Redução da Matriz Curricular (menos de 20 aulas no noturno).
_ Não havia hora atividade.
_ Redução de investimento na Educação Básica, sempre abaixo dos 25%.
_ Tentativa de implementação de um Plano de Carreira (PLADEP) que destruía a carreira estatutária e ainda transformava todos os cargos estatutários em celetistas.
_ Contratação de forma terceirizada por meio da Paranáeducação.
_ Abandono da infraestutura e reformas das escolas.

A Educação no Governo Requião (leia-se “mesmo grupo do Osmar Dias”)

_ Recomposição da SEED na formulação das políticas públicas.
_ Eleição para Diretores.
_ Concursos públicos para mais de 40 mil professores, pedagogos e funcionários de escola (agente educacional I e II).
_ Alteração da Constituição do Paraná aumentando os recursos da Educação para 30%.
_ Hora-atividade de 20%.
_ Aprovação dos Planos de Carreira dos Professores e Funcionários.
_ Implementação do Cargo de 40 horas (dobra de padrão).
_ PDE – Programa de Desenvolvimento Educacional com dispensa dos professores de 100% da carga horária no primeiro ano e 25% no segundo ano do programa nas Universidades Públicas.
_ Elaboração e implementação das Diretrizes Curriculares Estaduais de forma coletiva.
_ Retorno dos Cursos de Magistério, dos Colégios Agrícolas e da Educação Profissional.
_ Implementação de Programas como Sala de Apoio à Aprendizagem, SAREH, Programa Viva a Escola, atividades de integração curricular FERA COM CIÊNCIA.
_ Retorno dos Jogos Colegiais.
_ Programa Paraná Alfabetizado.
_ Implementação das políticas da Diversidade (LGBT, diversidade sexual, de igualdade racial, educação do campo, quilombola, indígena).
_ Merenda escolar com compras diretas da agricultura familiar.
_ Gratificação das (os) secretárias (os) das escolas.
_ Elaboração, pelos professores da rede, do Livro Didático Público para todos os alunos do ensino médio e de todas as disciplinas da matriz curricular.
_ Melhoria dos espaços escolares: TV Multimídia, Paraná Digital, Biblioteca do Professor e TV Paulo Freire.
_ Expressiva ampliação do acervo bibliográfico à disposição dos estudantes e professores.
_ Programas de Formação Continuada descentralizada, disciplinar e com abordagens teórico-práticas.

Professor que é professor não vota no PSDB/DEMOcratas!

26 setembro 2010

O que é fundamentalismo religioso:

Desde o início do pleito eleitoral, circula na internet um vídeo de péssimo gosto. Nele, um Pastor tendencioso, pede para que seus “fiéis” não votem em determinado candidato/partido. Este Pastor age exatamente no que o filósofo Espinosa chama de “teólogo político”. Assim, algumas questões merecem ser esclarecidas:

É por causa de pastores/padres como este, que o Brasil não avança.

Desde a Revolução Francesa, ESTADO e IGREJA são coisas separadas. O Estado faz leis civis, ou seja, regula a vida em sociedade. A partir de um problema/fato social, o Estado intervém para regulá-lo. Por exemplo, só existe uma lei proibindo matar, por que se mata; só existe uma lei proibindo derrubar arvores, por que se derrubam árvores; só existe proibição do trabalho escravo, por que existe trabalho escravo. Caso não houvesse na sociedade nem assassinatos nem derrubada de árvores nem trabalho escravo, estas leis não seriam necessárias.

A Igreja fala para seus fiéis. A Igreja faz regras para seus fiéis. O que um fiel de determinada Igreja pensa não pode ser imposto a um fiel de outra Igreja, muito menos ao Estado. A Igreja possui autonomia interna. As leis do Estado regulam a vida em sociedade, as leis da Igreja regulam a vida dentro da Igreja. Fé é uma questão privada e não pública.

Casamento homossexual? Claro que nenhum homossexual quer entrar na Igreja vestido de véu e grinalda. É fato que pessoas do mesmo sexo vivem juntas. O problema é que não possuímos leis para regulamentar esta questão. O Estado precisa criar regras, principalmente para os bens adquiridos nesta união. O que cada um faz entre quatro paredes não diz respeito à Igreja. Isso é fundamentalismo religioso!

Pornografia? Assiste e compra quem quer! Viva a liberdade de escolha. Ao contrário, algumas Igrejas até proíbem que seus fiéis tenham aparelho de TV em casa. Isso é fundamentalismo religioso!

Pedofilia? Realmente, algo terrível. Mais terrível ainda quando feita por padres que pregam uma coisa e fazem outra. Isso é fundamentalismo religioso!

Divórcio? Ora, duas pessoas que se casam são obrigadas a viver juntas mesmo não mais se gostando? Mesmo se houver agressões? Mesmo se a convivência tornar-se insuportável? Isso é fundamentalismo religioso!

Aborto? Ninguém em são consciência diz que é totalmente a favor. No entanto, o aborto é um fato e precisa ser minimamente regulamentado pelo Estado. É uma questão de saúde pública e de salvar vidas. Fechar os olhos ao problema é fundamentalismo religioso!

Penso que, ao mesmo tempo que as Igrejas, enquanto instituições organizadas da sociedade, possuem o direito de divulgar as suas opiniões contra tais práticas sociais, também tem o DEVER de ouvir as opiniões diversas e de outras instituições organizadas da sociedade. Caso contrário, é fundamentalismo religioso!

Em nossa história, sofremos com o "voto de cabresto", isto é, um "coroné" poderoso de uma pequena cidade, mandava que seus trabalhadores e agregados votassem no candidato por ele escolhido. Isso não é democracia. Ao ver um padre/pastor pedindo para que suas "ovelhas" não votem neste ou naquele candidato/partido só posso concluir que também não é democracia e sim fundamentalismo religioso!

Tais questões são SIM de direitos humanos. Aliás, a proposta feita pelo governo federal, o pastor em questão omitiu uma informação interessante, foi feita após a discussão de todos estes temas em reuniões públicas feitas em diversos lugares do país e com a presença de vários segmentos organizados. Não discutir sim, é fundamentalismo religioso!

Ter o monopólio do discurso divino, ou seja, dizer o que Deus vai ou não fazer conosco aqui na terra é fundamentalismo religioso!

É livre que a consciência de cada um se posicione sobre estes temas e também sobre as eleições! Tratar os fiéis em Deus como fantoches sem consciência, sem opinião e que devem seguir seu "pastor" porque ele fala em nome de Deus, é fundamentalismo religioso!

Por: Cássio Augusto – professor, bacharel em Direito, licenciado em História e mestrando em História pela UEM

25 setembro 2010

Quero a paz no meu e-mail.

É de se pasmar a tamanha insônia que tem causado nesses internautas o fato de que Dilma será a próxima presidente do Brasil. Os que não comungam com a idéia nem com o governo Lula deixaram de lado os planos governamentais de campanha e com a angustia e certeza de mais uma derrota, submergiram-se na baixaria.

A coisa está em tão baixo nível que determinados palavrões já se tornaram elogios em visto a rajada de postagens pejorativas que andam rolando pela rede. Orkut, MSN, e-mail, Twitter e o que quer que seja andam congestionados de insultos, e postagens de acusações contra o nome da primeira mulher que governará a nação.

Até mesmo pastores evangélicos esqueceram-se da bíblia e aderiram a baixaria eleitoreira. Há um deles pelo Youtube vomitando sua aversão ao partido dos trabalhadores e inserindo na cabeça de suas ovelhas ameaças semelhantes às sete pragas do Egito caso a candidata do governo ganhe as eleições.

Se depender do conceito dessa parcela de parasitas da Internet, nem mesmo o próprio diabo teria mais defeito que a Dilma, e nesse desespero todo, temos que suportar postagens hostis contra esta candidata e seus eleitores.

Nosso alento é que estamos na reta final da campanha eleitoral, na segunda-feira dia 04 de Outubro, nossas caixas de e-mail retornarão ao seu ciclo normal, onde os desocupados voltarão a postar aquelas correntes em louvor as tantas Nossas Senhoras de Barro e nós os que estamos enojados com tantas postagens banais, voltaremos calmaria, sem a poluição visual de nossas páginas no e-mail.

Eu que tanto praguejava contra as correntes que me ameaçavam castigos severos caso as quebrassem, nem imaginava que ainda iria presenciar tanto excremento na rede.

Sabem de uma coisa? Bons tempos àqueles onde essas mentes vazias, ocupavam-se apenas em nos mandar correntes ameaçadoras, essas tais correntes apesar de chatas, eram menos freqüentes do que essas centenas e tediosas postagens sem precisão.

Tomara que chegue logo o dia 04 de Outubro.

Por: Mateus Brandão de Souza, graduado em História pela FAFIPA.

23 setembro 2010

Meus candidatos:

Eleições se aproximando, e gostaria de compartilhar aqui os meus candidatos e alguns dos motivos pelos quais os escolhi.

Dep. Estadual – Ênio Verri 13300
Ênio não é de fazer promessas, mas sim de pensar e trabalhar o planejamento de políticas públicas para o desenvolvimento econômico. Experiência para isso não lhe falta. De Maringá, professor doutor do curso de Economia na UEM, Ênio Verri é deputado estadual e presidente do PT do Paraná. Foi secretário do Planejamento na prefeitura de Maringá, assessor do Ministério do Planejamento no governo Lula e secretário do Planejamento no governo Requião.

Dep. Federal – Assis do Couto 1314
O deputado da Agricultura Familiar. Já a dois mandatos em Brasília, Assis do Couto é autor da Lei da Agricultura Familiar, do Programa de Habitação Rural, relator da Lei da Previdência Rural, que agiliza as aposentadorias rurais. Defende o programa Compra Direta e atua no fortalecimento do movimento sindical rural, das cooperativas de pequenos agricultores.

Senadora – Gleisi 131
Atuou nos movimentos estudantis do Paraná. Formada em Direito e especialista em Gestão Pública. Foi secretária de Finanças no Mato Grosso do Sul, no município de Londrina e participou da equipe de transição do governo Lula. Gleisi concorreu ao senado em 2006 e obteve 45% dos votos. Será em 2010 a primeira mulher a ser eleita para o senado no estado do Paraná.

Senador – Requião 151
Líder estudantil na década de 1960, deputado estadual, prefeito de Curitiba, governador do Paraná, senador e novamente governador por dois mandatos. Requião é a experiência pública em pessoa. No governo do Paraná, depois dos desastrosos oito anos de Lerner/DEMOcratas/PSDB, Requião recuperou a infraestrutura do estado: parou com as provatizações, reergueu a Copel e a Sanepar, incentivou a agricultura familiar, combateu a grande imprensa conservadora do estado, fez recapeamento das rodovias estaduais no interior, recuperou o sucateado Porto de Paranaguá, investiu na formação dos professores da rede pública com o PDE e na recuperação dos salários, etc... Requião merece estar no senado federal.

Governador – Amadeu Felipe 21
Este será meu voto de protesto nestas eleições. Não voto em Beto Richa por ele pertencer ao PSDB/"grupo do Lerner"/privatizantes e não simpatizo com Osmar Dias e suas ligações com o agronegócio monocultor para exportação. Amadeu Felipe, durante a Ditadura Civil-Militar participou de dentro do exército, da tentativa de resistência. É do PCB.

Presidente – Dilma 13
Para o Brasil seguir mudando. Avançamos muito no governo do Presidente Lula, mas ainda temos que avançar. A volta do PSDB seria retrocesso. Dilma lutou contra a Ditadura, foi presa e torturada. Com a volta da democracia, foi secretária da Fazenda de Porto Alegre, Secretária de Minas e Energia do estado gaúcho, ministra de Minas e Energia do governo Lula e atualmente é Ministra da Casa Civil. Uma mulher de experiência administrativa da coisa pública. Para quem não sabe, a Casa Civil é onde se coordenada todas as ações do governo, desde as relações com o parlamento, a execução de obras, planejamentos econômicos, investimentos, etc. Dilma é hoje considerada por vários analistas, como a principal responsável pelos avanços conquistados no Governo Lula. O Brasil não pode parar. Já somos a 5ª maior economia do mundo, pagamos nossa dívida com o FMI, 24,1 milhões de brasileiros saíram da linha da pobreza e outros 31 milhões entraram para a classe média. Na educação, 14 novas Universidades Federais, 117 campi/unidades, 136 novas escolas técnicas, e 700 mil bolsas no Prouni. Foram 14 milhões de carteiras de trabalho assinadas, respeito nas mesas de negociação no estrangeiro, programas como o Bolsa Família que atende 12,6 milhões de família, Próximo Passo, Luz Para Todos, Minha Casa Minha Vida e o PAC que vem investindo na infraestrutura do país. Tudo isso, sem privatizações e com forte participação do Estado brasileiro na economia, em favor dos brasileiros menos favorecidos. Muito ainda há que se fazer, mas com Dilma o Brasil seguirá no rumo certo, já com Serra voltam as privatizações, a dívida externa, o FMI, o “Estado mínimo”...

22 setembro 2010

Os bens dos deputados:

A Internet nos proporciona interessantes descobertas. Uma delas é a possibilidade de sabermos qual o capital financeiro, os bens que nossos candidatos possuem. Como trata-se de informações públicas, quero aqui apresentar a declaração de bens de alguns candidatos a deputado que tem visitado nossa cidade. Claro que não sou ingênuo em dizer que quanto mais bens nossos políticos possuem, mais são corruptos. Não se trata disso. No entanto, são mais alguns dados para a nossa reflexão...

Deputados estaduais:
Teruo Kato (PMDB) possui um patrimônio de R$ 1.791 milhões de reais.

Carlão (PT) não possui bens.

Ênio Verri (PT) possui um patrimônio de R$ 760 mil reais.

Evandro Junior (PSDB) possui um patrimônio de R$ 439 mil reais.

Luiz Accorsi (PSDB) possui um patrimônio de R$ 1.500 milhões de reais.

Miltinho Puppio (PSDB) possui um patrimônio de R$ 1.556 milhões de reais.

Valdir Rossoni (PSDB) possui um patrimônio de R$ 2.885 milhões de reais.

Fernando Scanavaca (PDT) possui um patrimônio de R$ 2.746 milhões de reais.

Deputados federais:

Abelardo Lupion (DEMOcratas) possui um patrimônio de R$ 5.898 milhões de reais.

Alex Canziani (PTB) possui um patrimônio de R$ 1.580 milhões de reais.

Assis do Couto (PT) possui um patrimônio de R$ 202 mil reais.

Frangão (PMDB) possui um patrimônio de R$ 348 mil reais.

Zeca Dirceu (PT) possui um patrimônio de R$ 325 mil reais.

Setim (DEMOcratas) possui um patrimônio de R$ 6.008 milhões de reais.

Cida Borghetti (PP) possui um patrimônio de R$ 610 mil reais.

Odílio Balbinotti (PMDB) possui um patrimônio de R$ 16.066 milhões de reais.

José Augusto Felipe (PV) possui um patrimônio de R$ 306 mil reais.

Clique no nome do candidato e veja a declaração detalhada. Lá você pode conhecer também o grau de escolaridade, a ocupação declarada pelo candidato, suas outras declarações de bens ao TRE e as certidões criminais.

Obs: Para que fique claro, estes são os bens DECLARADOS pelos candidatos ao TRE, o que não significa que os mesmos não disponham de outros bens não declarados, bem como em nome de terceiros ou familiares.

Fonte: http://divulgacand2010.tse.jus.br/divulgacand2010/jsp/framesetPrincipal.jsp - neste site você pode pesquisar os dados dos candidatos do Brasil inteiro, inclusive para Senador, Governador e Presidente.

Por: Cássio Augusto – professor, bacharel em Direito, licenciado em História e mestrando em História pela UEM.

21 setembro 2010

Entrevista ao Blog Visão Panorâmica:

Dias atrás foi surpreendido com um e-mail que me pedia para dar uma entrevista. Vindo de quem veio, aceitei no ato. O Blog Visão Panorâmica, vem a tempos fazendo um excelente trabalho. Na entrevista, falo sobre Blogs, liberdade de expressão, mídias, política, Estado, religião, voto facultativo, etc. Abaixo, a chamada da entrevista publicada no Visão Panorâmica. Link para a entrevista ao final.

A visão política da Blogosfera – Cássio

A partir de hoje daremos início a publicação de uma série de entrevistas realizadas com diversos blogueiros das mais variadas correntes políticas e de ideologias diversas.

É claro que o título do projeto – “A Visão Política da Blogosfera” – não pode ser tomado ao pé da letra. Ele é muito mais um trocadilho com o nome do Blog do que o objetivo de afirmar que as entrevistas aqui mostradas representarão a real visão política da blogosfera. Ao contrário dos Blogueiros Progressistas, não há essa pretensão aqui. Para que assim fosse, a quantidade de entrevistas deveria ser enorme; afinal de contas, sabemos que existem milhões de blogs e muitos mais são criados a cada dia. No entanto, a meta das entrevistas é debater questões políticas e assuntos ligados a blogosfera. Desejamos mostrar que, mesmo sem saber ou gostar, você é obrigado por situações do seu dia a dia, a tomar uma posição política sobre um ou outro assunto.

A primeira entrevista publicada foi realizada com o Cássio – Editor do
Blog do Cássio – um excelente blog político que já andou incomodando políticos na cidade de Nova Londrina – Paraná – o seu principal foco de atuação.

O Cássio é um dos blogueiros que inspiraram o surgimento do Visão Panorâmica há alguns anos e, apesar de ter opiniões contrárias as minhas em alguns aspectos da política nacional, é uma figura a ser respeitada por qualquer um que pensa num debate político de qualidade e trabalha em prol de uma nação mais forte, mais justa e mais democrática.

Leiam a entrevista e não deixem de comentar:


Para ler a entrevista completa CLIQUE AQUI.

19 setembro 2010

Virgulino Lampião, Deputado Federá

Virgulino Lampião, Deputado Federá
(Jessier Quirino)

Seus Dotôres Deputado
falo sem tutubiá
pra mostrá que nós matuto
sabe se pronunciá
dizê que ta um presídio
com dó e matuticídio
a vida nesse lugá

O Brasí surgiu de nós
nós tudo que vem da massa
deram um nó no mêi de nós
que nós desse nó não passa
e de quatro em quatro ano
vem vocês com o veio plano
desata o nó e se abraça

Tamo chêi dessa bostice
de promessa e eleição
dos que vem de vem em quanto
se rindo, estendeno a mão
candidato a caloteiro
aprendiz de trapaceiro
corruto, falso e ladrão.

A coisa ta enveigada
ta ruim de devenveigá
meu sistema neuvosíssimo
vejo a hora se estorá
se estóra eu não engano
cuma diz o americano
na matança eu tem norrá.

Quero que vocês refrita
o falá da minha fala
pelo cano do revóve
magine o tamãe da bala.

Vocês que véve arrimado
nas bengala do podê
dou um chuto na bengala
mode alejado corrê
dou dedo, faço munganga
canto Ouvira do Ypiranga
e mando tudo se fudê.

Acunho logo a tramela
nas porta da corrução
toco fogo na lixeira
e passo de mão em mão
corto língua de quem mente
quebro três ou quatro dente
dos Deputado risão.

Político que come uva
em plena safra de manga
vai pra lei dos desperdiço
nas faca dos meus capanga.

Se eu der um tiro no mato
e bater num marinheiro
é porque tem mais honesto
do que cabra trambiqueiro
diante dessa nutiça
não haverá injustiça
é a lei dos cangaceiro.

Os deputado bom de peia
eu tiro o “W” do nome
tiro vírgula dos discurso
reticença e pisilone
sapeco lei pra matuto
meto bala nesses puto
e um viva no microfone.

Matuto que tem saúde
pro trabaio ele é capaz
nós se vira, arruma água
as sementes e o preço em paz
não vai sê protecionismo
é a lei do Nordestinismo
dos Problemas Matutais.

Debuiado este discurso
pros Dotôre e Deputado
ta dizido minha meta
pra cem bilhão de roçado
depois não venham dizê
que foi golpe de pudê
proque não foram avisado

Partido dos Cangaceiro
o PC dos natura
pela lei da ignorança
do Congresso Federá
assinado Capitão
Virgulino Lampião
Deputado Federá.

Por: Cássio Augusto – professor, bacharel em Direito, licenciado em História e mestrando em História pela UEM.

17 setembro 2010

Esperanças vãs:

O sonho bonito do bem comum onde viveremos todos em harmonia, onde a justiça vá de encontro aos interesses coletivo não passará de sonho.

Histórias de faz de conta, quimeras, onde cada vez mais perderá o sentido na cruel realidade formada por seres vulneráveis e corrompidos que sempre buscarão seus próprios interesses.

A realidade onde a dignidade abrace todos os cidadãos é cada vez mais inviável, nunca aconteceu e jamais acontecerá. A raça humana com seu modo de fazer política, jamais será capaz de fazer valer os princípios do bem comum. O discurso de que os interesses coletivos serão defendidos a qualquer preço, é lenda e mito, vividos somente no imaginário de sonhadores e enganadores. Esperanças inalcançáveis que servirão sempre como esteios para sustentar ou garantir a ascensão e a permanência de alguém ou alguns no domínio desta máquina falsária denominada política.

Os homens que regem o poder ou aqueles que possuem esta pretensão, buscarão primordialmente seus próprios interesses, como também, os interesses daqueles que lhes tem estreita aproximação. Pela ganância em chegar ao posto almejado em sua candidatura estes homens se unirão ou se afastarão uns dos outros como melhor lhes convier.

O que importa é o caminho mais curto para suas realizações pessoais, os que outrora eram inimigos, hoje se abraçam, quem ontem era apontado como demônio, hoje têm o aval de quem o satanizou, serão sempre assim os políticos, artistas de muitas faces que mudam seus discursos da maneira que for conveniente aos seus próprios interesses.

Entra ano e sai ano, passam-se séculos e a realidade é imutável, porém a esperança de uma realidade justa continua fomentando o imaginário de todos aqueles que dormem, sonhando com um dia triunfante, onde o bem, a bonança e a dignidade seja algo comungado por todos. São os pobres sonhadores que em sua tamanha inocência, alimentam um otimismo também imaginário de que realidade se reverterá.

O objetivo aqui não é partilhar nosso pessimismo e frustração, acreditamos até que os sonhadores sejam pessoas mais felizes do que aqueles que estão acordados assistindo a toda essa patifaria infindável regida pelos maestros da política. Estaremos cada vez mais mergulhados no lodo da desesperança onde quem pode mais chora menos e os que nada podem e muito choram jamais serão saciados e tampouco consolados.

Assim é e assim será.

Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.

Carta Capital: filha de Serra expôs sigilo de 60 milhões de brasileiros

A revista CartaCapital da semana passada, traz reportagem de Leandro Fortes que coloca em apuros o tucano José Serra. Segundo a reportagem, baseada em documentos oficiais, por 15 dias no ano de 2001, no governo FHC/Serra a empresa Decidir.com abriu o sigilo bancário de 60 milhões de brasileiros. A Decidir.com é o resultado da sociedade, em Miami, da filha de Serra, Verônica Serra, com a irmã de Daniel Dantas. Por cerca de 20 dias, os dados de quase 60 milhões de correntistas brasileiros ficaram expostos à visitação pública na internet, no que é, provavelmente uma das maiores quebras de sigilo bancário da história do País. Verônica Serra é hoje a principal estrela da campanha política do pai, José Serra, justamente por ser vítima de uma ainda mal explicada quebra de sigilo fiscal.

Mais informações aqui:

16 setembro 2010

Como as mulheres dominaram o mundo:

Conversa entre pai e filho, por volta do ano de 2031 sobre como as mulheres dominaram o mundo.

- Foi assim que tudo aconteceu, meu filho...

Elas planejaram o negócio discretamente, para que não notássemos Primeiro elas pediram igualdade entre os sexos. Os homens, bobos, nem deram muita bola para isso na ocasião. Parecia brincadeira.

Pouco a pouco, elas conquistaram cargos estratégicos: Diretoras de Orçamento, Empresárias, Chefes de Gabinete, Gerentes disso ou daquilo.

- E aí, papai?

- Ah, os homens foram muito ingênuos. Enquanto elas conversavam ao telefone durante horas a fio, eles pensavam que o assunto fosse telenovela. Triste engano. De fato, era a rebelião se expandindo nos inocentes intervalos comerciais. "Oi querida!", por exemplo, era a senha que identificava as líderes. "Celulite", eram as células que formavam a organização. Quando queriam se referir aos maridos, diziam "O regime".

- E vocês? Não perceberam nada?

- Ficávamos jogando futebol no clube, despreocupados. E o que é pior:

Continuávamos a ajudá-las quando pediam. Carregar malas no aeroporto, consertar torneiras, abrir potes de azeitona, ceder a vez nos naufrágios. Essas coisas de homem.

- Aí, veio o golpe mundial?!?

- Sim o golpe. O estopim foi o episódio Hillary-Mônica. Uma farsa. Tudo armado para desmoralizar o homem mais poderoso do mundo. Pegaram-no pelo ponto fraco, coitado. Já lhe contei, né? A esposa e a amante, que na TV posavam de rivais eram, no fundo, cúmplices de uma trama diabólica. Pobre Presidente...

- Como era mesmo o nome dele?

- William, acho. Tinha um apelido, mas esqueci... Desculpe, filho, já faz tanto tempo...

- Tudo bem, papai. Não tem importância. Continue...

- Naquela manhã a Casa Branca apareceu pintada de cor-de-rosa. Era o sinal que as mulheres do mundo inteiro aguardavam. A rebelião tinha sido vitoriosa! Então elas assumiram o poder em todo o planeta. Aquela torre do relógio em Londres chamava-se Big-Ben, e não Big-Betty, como agora... Só os homens disputavam a Copa do Mundo, sabia? Dia de desfile de moda não era feriado. Essa Secretária Geral da ONU era uma simples cantora. Depois trocou o nome, de Madonna para Mandona...

- Pai, conta mais...

- Bem filho... O resto você já sabe.

Instituíram o Robô "Troca-Pneu" como equipamento obrigatório de todos os carros...

A Lei do Já-Prá-Casa, proibindo os homens de tomar cerveja depois do trabalho...

E, é claro, a famigerada semana da TPM, uma vez por mês...

- TPM???

- Sim, TPM... A Temporada Provável de Mísseis... E quando elas ficam irritadíssimas e o mundo corre perigo de confronto nuclear...

- Sinto um frio na barriga só de pensar, pai...

- Sssshhh! Escutei barulho de carro chegando. Disfarça e continua picando essas batatas...

(Luís Fernando Veríssimo)

Por: Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.

Uma "sombra" passou por NL:

Em recepção vip, na manhã do último dia 15, na Casa da Amizade do ROTARY local, o alto escalão da Prefeitura e lideranças empresariais locais receberam a ‘eminência parda’ do governo Lula, um dos homens mais poderosos da República e pai extremado, o Sr. José Dirceu.

Roubando a cena do que se pretendia apenas uma reunião de apoio ao seu filho, Zeca Dirceu (PT), candidato à Dep. Fed., o líder do PT discorreu sobre as políticas públicas do governo central, do que se finda e do que pode começar em janeiro próximo, suas esperanças de futuro para o país e para a política. Prometendo apoiar a administração Dornelis com o trabalho de seu filho, se eleito for, e seu próprio empenho, o ‘bruxo’ deixou no ar aquela fumaça de poder que sempre acompanha quem realmente manda.

Não fumou nenhum charuto, como é de seu costume, mas fez cintilar os olhos dos que estavam lá, principalmente quando o real candidato, o seu filho Zeca Dirceu, elencou as benesses recebidas por sua cidade natal, Cruzeiro do Oeste em sua gestão, em que foi uma das campeãs nacionais no aporte de recursos, o que não de deveu, é claro, aos belos olhos do moço, em que pese sua competência, mas, muito mais aos bons olhos do Planalto ao rebento querido do ‘companheiro’ de todas as horas.

Chegando e indo embora de helicóptero, os dois pretendiam ainda visitar mais três cidades da região.

Na sua fala, o Pref. Dornelis fez um chamamento à ação da militância, principalmente das ‘picaretes’, em grande número e maior agitação ainda, declarando que a hora é de pedir o voto para o time do Lula, leia-se Dilma-Requião-Gleise-Osmar-Zeca-Teruo.

Alinhar-se com o poder, parece ser a tônica da política pública nova-londrinense neste momento, que, apostando em cavalos vencedores, em sua maioria, procura abrir portas em Brasília e Curitiba para enfim, alavancar seus sonhos locais um pouco acima da mesmice da choradeira nossa velha conhecida dos últimos dois anos. Oxalá se cumpra!

Por: Ricardo Ronda.

15 setembro 2010

Vênia para Ênio Verri:

No último sábado (11-09), almoçou com simpatizantes e convidados no Rancho do Portuga, o ex. Sec. do Planejamento do governo Requião e atual Presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, o Dep. e candidato à reeleição Ênio Verri. Numa longa mesa reuniram-se as ‘cabeças‘ do PT novalondrinense, empresários locais e marilenenses, amigos e correligionários.

A saudação final, feita pelo Profº Roberto, fez um breve histórico dos contatos com o candidato e das esperanças para o futuro, leia-se 1012. Jungindo a reeleição do dep. Frangão à do dep. Ênio, o professor fez também a explicitação da ‘ponte’ PT-Lopes-Incol que dará sustentação à próxima chapa majoritária municipal no pleito de 2012 que, segundo o dep. Ênio colocaria em seguida, -começa dia 04 de outubro deste ano -.

Em sua alocução, o candidato declinou sua concepção de ‘política’, que ele traduziu em - projeto -. Ao contrário, no seu entender, dos tradicionais que vêem ao município, pagam lideranças para trabalharem para suas chapas, e depois, descompromissados de tudo, seguem suas vidas nada devendo ao município que os apoiaram, haja vista já terem pago o trabalho.

Fazendo uma linha contínua Dilma-Gleisi-Requião-Frangão- Osmar-Verri, que ele chamou de ‘time vencedor’, o candidato Verri elencou as possíveis vantagens advindas ao município, ou ao grupo político municipal que o apoiar (ao time), citando os sete municípios, como exemplo, da região da AMUNPAR em que ele próprio trabalhou, afora o total de vinte e um em que ele se sente representado e que representa.

Retomando o tempo de sec. do Planejamento do Paraná, o candidato Ênio fez diferença entre o trabalho legislativo e administrativo, deixando claro que a principal diferença é a ‘caneta’ do executivo, que possibilita muitas pontes entre os municípios e os cofres estaduais.

Citando Maquiavel, d’O Príncipe, o candidato lembrou que o mal se faz de uma só vez, e o bem, pelo contrário, deve ser feito aos poucos, em doses, para que o povo lembre à todo momento de quem dá as benesses.

Em cima do mesmo tema, indagado se preferia ser ‘mais temido que amado’, declarou que preferia ser mais amado que o contrário.

Na continuação do périplo local, o candidato visitou e INCOL, a AMIFEC e a FEC LOPES, seguindo então para outras localidades da região.

Por: Ricardo Ronda.

14 setembro 2010

Convites:

O dia de amanhã (15/09) quarta-feira, promete ser animado no quesito campanha eleitoral aqui em Nova Londrina.

Às 10:00, no Rotary Club da cidade, o candidato a deputado federal ZECA DIRCEU 1310, se reunirá com lideranças políticas, pequenos produtores e a população em geral.

Às 16:00, com saída do CTG, está programada uma grandiosa carreata pelas ruas da cidade, com a presença do candidato a deputado federal FRANGÃO 1540. Todos estão convidados.

Setembrinas I:

Setembro já vai por aí à fora e a real situação da política no Paraná continua indefinida. Pesquisa em cima de pesquisa, resultado em cima de resultado e as pessoas crêem cada vez menos no que escutam ou lêem.

Tirando a nacional, é claro, onde, por mais que se force a situação, salvo um incidente de percurso dos mais escabrosos, a situação já está definida. Já no nosso estado a situação se mostra cada vez mais negra.

Até por que, hoje, dia oito, fazem mais de quinze dias que não saem novas pesquisas. Existir, elas existem, só não estão sendo divulgadas...

Na hipótese provável de que Dilma leve no 1º turno, a pressão em cima do Paraná, vinda de Brasília será quase irresistível.

Vendo o cenário nacional pendendo para um lado muito específico, como fica o pensamento do paranaense? Fazer uma bancada de Senado e uma Câmara situacionista e o Governador de oposição? Bater cabeça com Brasília durante oito anos, após, mesmo tendo sido um aliado - certo que é o Requião, que coleciona inimigos como colecionamos selos - sofrermos um pouco pela brigas constantes do Requião com a turma PT? Ficarmos agora oito anos apanhando? O Estado não merece.

Até por que, o problema não é o Paraná, o problema é o PSDB que só vai levar de importante, São Paulo e Minas. Para os tucanos, perder o Paraná é o fim... Quer dizer: dane-se os paranaenses, o negócio é fazer três estados importantes e manter o bico tucano nos negócios nacionais, senão, o partido desaparece da mídia nacional, vira um partido de bancada congressual e aí meus filhos, só os fãs da Tv Senado prestam atenção nestes caras.

Quanto ao PT, pior ainda. Pouco importa nada, o negócio é aparelhar o Estado e dar mordomia para a galera mais chegada...

Até por que não é o PT que governa, é a banca internacional que manda em tudo por aqui.

Quando os prefeitos descobrirem com certeza para onde correrão os ventos, podem acreditar, será a maior debandada em direção ao Osmar Dias. Prefeitos não agüentam ser de oposição. Os casos próximos são bem claros, se o forem, tem de compor com alguém do governo para poderem ir levando suas prefeituras, e isto aos trancos e barrancos como estamos vendo.

Particularmente, não tenho nada contra nenhum dos dois. Não estava no Paraná no governo em que o Osmar foi secretário, nem quando do velho Richa governador. Minha análise é em cima da politicalha nacional, que mostra à perfeição onde os prefeitos caem quando ficam contra os governos centrais.

O Beto só ganha se levar no 1º turno. Tendo 2º turno, Brasília vai cair matando, e comprando e corrompendo...

Por: Ricardo Ronda.

12 setembro 2010

Sobre passado, parlamento e civilidade:

Diante dos recentes acontecimentos...

Para que serve o passado?
Simplificando, serve para não repetirmos no presente os mesmos erros e com isso podermos construir um futuro melhor. É preciso relembrar o passado, mas não devemos ficar remoendo sempre a mesma coisa e colocando no passado, a culpa dos nossos problemas presentes. Mais, não devemos repetir no presente, o que achávamos errado no passado e dar como justificativa para nossos atos, que no passado acontecia a mesma coisa e ninguém falava nada.

Para que serve o parlamento?
Do latim “parlare” que significa “falar”. Historicamente o parlamento foi criado para que o povo, através de seus representantes eleitos pudesse ter um lugar para falar e ser ouvido pelo governante. É no parlamento que se discutem os assuntos de interesse geral da população. Para aqueles que acompanham a TV Senado, podem perceber que, apesar do tempo regimental para os pronunciamentos, o presidente sempre concede o tempo necessário para que um parlamentar complete o seu raciocínio, nem que isso demore. Já vi reuniões acabarem na madrugada, afinal, é necessário debater e são bem pagos para isso. Também, mesmo entre os adversários, são concedidos “apartes” às falas, afinal, sabem os nossos senadores que o parlamento é o lugar do DEBATE e da troca de idéias e argumentos.

As pessoas que fazem parte do parlamento são escolhidas pelo povo, portanto, gostemos ou não de todos eles, merecem o nosso respeito. Por trás de cada parlamentar, existem cidadãos que votam nele. Desrespeitar um parlamentar é também desrespeitar os eleitores que o escolheram.

O parlamento faz parte do PODER LEGISLATIVO. Os três poderes, Legislativo, Executivo e Judiciário são independentes e harmônicos entre si. Não pode o membro de um poder, em hipótese alguma, faltar com o respeito ao membro de outro poder. Quando isso acontece, o sujeito está na verdade desrespeitando todo o poder constituído, a república e a democracia. Por exemplo, quando um membro do Executivo desrespeita um membro do Legislativo, está atacando todo o Poder Legislativo e vice-versa.

Para que serve a civilidade?
Do latim, “civile” que designava o habitante da cidade. A civilidade é uma espécie de “código de conduta” para que todas as pessoas possam conviver minimamente em harmonia. Apesar das diferenças de opinião, cor, sexo, partido, religião, time de futebol, etc, é a civilidade que garante o respeito mútuo e a integridade da sociedade.

Quando os cidadãos perdem a civilidade, ou seja, perdem o respeito entre si, estamos a um passo do caos social e da guerra. Quem não sabe ouvir ou conviver com as diferenças, opiniões e críticas, também não sabe viver em sociedade. Para aqueles que não aceitam isso, damos o nome de fascistas (não nos esqueçamos de Hitler e Mussolini). Lembrem-se, sem a civilidade, a vida em sociedade não existe e voltamos ao tempo das cavernas.

Por: Cássio Augusto Guilherme – Professor, bacharel em Direito, licenciado em História e mestrando em História pela UEM.

11 setembro 2010

CONVITE:

Comunidade novalondrinense, é com muita satisfação, que convido toda a população, para participar do Comício dos Deputados Odílio Balbinotti e Teruo Kato, Deputados Federal e Estadual assim respectivamente. O Comício será realizado hoje (sábado) às 20h30min na Praça dos Pioneiros de Nova Londrina.

Obs.: Odílio Balbinotti e Teruo Kato tens muito ajudado o nosso município, e Deputado que ajuda, merece todo o respaldo da população! Valem ressaltar aqui alguns recursos que Balbinotti viabilizou ao nosso município: Construção do Barracão Agroindustrial R$ 300 MIL (OBRA EM ANDAMENTO); Revitalização do Bosque e Construção da Pista de Caminhada R$ 350 MIL; Aquisição de Microônibus para APAE R$ 100 MIL; Microônibus para Transporte Escolar (Gestão Anterior); Equipamentos e Materiais para Unidades de Saúde; RECURSOS PRIORIZADOS NO ORÇAMENTO DA UNIÃO: Aquisição de Caminhão Coletor de Lixo R$ 200 MIL.

Por: Ivo Monteiro de Araújo Júnior- Estudante do 2º ano do Colégio Pequeno Príncipe; Presidente Diretor da Comissão de Relações Públicas do Interact Club de Nova Londrina.

10 setembro 2010

Ênio Verri em NL:

Neste sábado a cidade de Nova Londrina receberá a visita do candidato a deputado estadual ÊNIO VERRI 13300. A tarde, ÊNIO se reunirá com lideranças e militantes que o apóiam.

Quem paga a conta?

“A corda sempre arrebenta no lado mais fraco”.

Este ditado óbvio faz referência a ocasiões onde, dado as circunstâncias que acontecem determinadas adversidades, pessoas de menor poder aquisitivo, menor influência social e baixa posição hierárquica, arcam com a responsabilidade de pagar por erros que se quer cometeram.

Em questões de crise, por exemplo, muitas vezes, aquele que não desfruta de bom salário, é quem responde por conseqüências que ele não ocasionou. Quando uma empresa decide cortar gastos, é no bolso da maioria assalariada que ela busca sua estabilização, desta forma, confisca do empregado menos remunerado o seu complemento salarial, a hora extra. Quando a situação se torna mais drástica, a empresa vai além, recorre à demissão em massa de sua mão-de-obra barata, em meio a este revés empresarial, os que detêm melhor remuneração e posição hierárquica, não tem de seus salários, um único centavo retirado.

Ou seja, cabe a classe funcional assalariada o sacrifício de contribuir para que o caixa de sua empresa saia do vermelho, pois, assim decidem aqueles que tem em mãos o poder da regência empresarial, não há para eles maneira mais viável de sanar suas dificuldades do que apelar para o bolso do trabalhador. Partindo de ideologias anti-sociais como esta, o setor empregatício criou o famigerado banco de horas, conduta amparada em lei que afeta o “colaborador” no seu ganha pão diário.

Aliás, o termo colaborador, define exatamente o que é a classe trabalhadora, pois se há na empresa ameaças na estabilização de seu caixa, o corpo funcional de baixa renda é quem será sacrificada colaborando para o barco sair da tormenta e voltar a bonança.

Conhecem a história do boi jogado para as piranhas? É exatamente a mesma forma, haverá sempre quem será usado em sacrifício para a salvação e regozijo de outro, o revés daqueles, garantirá a sorte destes.

Quem paga o pato? Hora quem, aquele que for menor é claro, a culpa cai sobre os que não merecem. Alguma dúvida de que o sistema é injusto?

Nos reinos medievos, quando um rei tinha ganas em acumular moedas e garantir seu bem estar, era na escassez dos bolsos de seus súditos que ele ia garimpa-las, através de impostos abusivos, o rei criava um meio de seu povo suprir as necessidades palacianas.

Nem todos tiveram a mesma sorte dos compatriotas e contemporâneos de Robin Hood, aqueles, colaram-se ao herói esperando nele a possibilidade de ser feito justiça. No fim, a ação Robin-hoodiana restituiu aos pobres o que lhes foi roubado pelos ricos, tornou-se ele, príncipes dos ladrões e se foi ele uma lenda ou não, o importante é que por seus roubos ele merece muito mais de cem anos de perdão.

No entanto prezado Leitor, neste sistema que é promissor para tão poucos, neste sistema onde os poucos que tem muito, criam leis favoráveis aos seus interesses dominantes, a quem é levado ao dever de pagar a conta?

Quem é levado ao sacrifício e quem garante a sobrevivência do sistema parasita?...

Lamentavelmente são todos aqueles que nada devem e menos tem...

Por: Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.

09 setembro 2010

Nova Londrina não merece isso...

Ontem estive presente na reunião ordinária na Casa de Leis. Na plenária havia 30 cidadãos e a presença de todos os vereadores. A reunião teve a entrada de Projetos de Lei, uma indicação e alguns requerimentos. Presente na reunião depois de seis meses de ausência por motivo do meu curso ser no dia da reunião, pude perceber na reunião de ontem que o povo não merece o tipo de coisas que vimos na Casa de Leis no dia de ontem.

Aquele local é uma Casa de Leis, casa de respeito e o que vimos ontem foi uma baderna e falta de respeito com as pessoas que estavam na plenária, em ter que ficar ouvindo o chefe do Executivo chamar por mais de dez vezes um vereador de “burro”, pasmem, mas foi isso mesmo o Prefeito fez e no uso da palavra mostrou o jornal de sua autoria, pois como ele mesmo disse com suas próprias palavras que o jornal foi feito com dinheiro dele portanto não precisa de tiragem nem especificar nada pois quem mandou fazer foi ele.

O povo está cansado de tudo o que está ocorrendo na nossa cidade. Percebemos ontem na reunião da Casa de Leis, que o Prefeito como uma autoridade de maior grandeza na cidade, deveria dar e ser exemplo de educação para todos, principalmente quando se dirige a uma Casa de Leis, pois os que lá estão representam o povo. Se o prefeito desrespeita um vereador está desrespeitando também as pessoas que o elegeram.

“Burro!”, esta foi a palavra que ontem mais saiu da boca do nosso Prefeito, mas se analisarmos bem ele chamou de burro um vereador que saiu candidato a primeira vez e ganhou, saiu candidato segunda vez e ganhou, saiu a terceira vez e ganhou, trabalha em uma instituição financeira a 30 anos, é educado, tem respeito por todas as pessoas e é ficha limpa.

Quero dizer que a administração atual pegou sim problemas da gestão anterior, mas isso não autoriza que o atual Prefeito saia por ai chamando esses ou aqueles de “burro”. Me sinto ofendido pois sou eleitor em uma democracia, onde todos tem direitos de se manifestar, mas quando um homem público na posição em que ocupa chama alguém de “burro”, ele não esta de acordo com o Código de Ética e os princípios que regem o Estatuto do Servidor Publico.

Por: Luciano Pereira da Silva – Técnico em Gestão Pública pelo ITDE-UFPR.

07 setembro 2010

Governo do Paraná:

Muitas pessoas estranham que eu não esteja no barco da candidatura de Osmar Dias ao governo do Paraná. Sou filiado e militante do PT à anos e meu partido apóia Osmar. Além disso, o adversário é Beto Richa, do PSDB, o que seria natural que eu votasse em Osmar.

Para que fique claro, embora eu pertença a uma agremiação partidária, não quer dizer que sou submisso às suas decisões. Entendo e respeito a opção pragmática do PT nestas eleições. No entanto, não concordo.

Embora Osmar esteja filiado em um partido de esquerda (PDT), suas opiniões, atitudes e coligações sempre foram de direita/conservadoras. Sua vida pública é marcada por incertezas e trocas de opinião/lados. Foi secretário nos governos de José Richa, Álvaro Dias e Roberto Requião. Elegeu-se senador pelo PP, depois mudou-se para o PSDB, de onde foi expulso e filiou-se no PDT. Foi defensor do governo FHC no senado e recentemente tornou-se aliado de Lula. Vai entender.

Além disso, em 2006 Osmar se aliou ao “grupo do Lerner” no Paraná e foi candidato à governador. Recebeu apoio do PSDB e do DEMOcratas. Fez uma campanha de ataques à Lula, ao PT, à Requião e aos movimentos sociais. Em 2008, Osmar pediu votos para Beto Richa na prefeitura de Curitiba. Hoje virou a casaca.

Além disso tudo, Osmar é historicamente contra os movimentos sociais e as suas formas de organização e atuação. Com Osmar, a agricultura familiar e a reforma agrária perdem espaço em detrimento do agronegócio monoprodutor para exportação, que não gera tantos empregos assim, como gera riqueza aos grandes fazendeiros.

Assim, minha opção para este primeiro turno no Paraná, como voto de protesto, é o candidato AMADEU FELIPE, do PCB, número 21. Amadeu é ex-capitão do exército e líder dos sargentos que resistiram ao golpe e à Ditadura Civil-Militar.

Segundo turno? Claro que entre Osmar e Beto/PSDB/"grupo do Lerner"/privatizante, fico com o primeiro, afinal, sou contra o voto nulo e prefiro escolher o “menos pior”. A volta do PSDB ao governo do Paraná, será uma péssima idéia. Tenho medo do que Beto Richa possa fazer com o PDE, a Copel, o Porto de Paranaguá, a TV Paraná Educativa, etc.

06 setembro 2010

Eleitor(a):

Estamos vivendo mais um momento democrático, os eleitores devem conhecer os candidatos a presidente, governador, senadores e deputados estadual e federal. Não esqueçam que você deve votar em dois (2) senadores; logo a votação na urna eletrônica será na seguinte ordem: deputado estadual (5 números), deputado federal (4 números), senador (3 números), senador (3 números), governador (2 números), presidente (2 números). Eu (Prof Roberto) e Paulo Lopes: queremos apresentar e pedir voto aos nossos candidatos:

Para deputado estadual vote 13.300 Ênio Verri e para deputado federal vote 1540 Frangão.

Ênio Verri é deputado estadual, professor do curso de economia da UEM, presidente do PT estadual e nos apoiou na eleição para prefeito, é o deputado da educação.
Frangão é deputado federal, dispensa maiores apresentações, pois já ajudou e muito a nossa cidade, em especial a área da saúde.

Pedimos o voto a esses dois candidatos para que Nova Londrina tenha efetiva representatividade junto aos governos estadual e federal.

Por: Prof. Roberto Tsunokawa: graduado em Farmácia e Letras pela UFSM; especialização em Psicopedagogia; professor de língua portuguesa da rede pública do Paraná; Vereador na legislatura 2005-2008; candidato a Prefeito nas eleições municipais de 2008.

04 setembro 2010

45 escândalos que marcaram o governo FHC/PSDB:

Para que o Brasil e você, caro eleitor, não se esqueça:

1 - Conivência com a corrupção

2 - O escândalo do Sivam

3 - A farra do Proer

4 - Caixa-dois de campanhas

5 - Propina na privatização

6 - A emenda da reeleição

7 - Grampos telefônicos

8 - TRT paulista

9 - Os ralos do DNER

10 - O "caladão"

11 -Desvalorização do real

12 - O caso Marka/FonteCindam

13 - Base de Alcântara

14 - Biopirataria oficial

15 - O fiasco dos 500 anos

16 - Eduardo Jorge, um personagem suspeito

17 - Drible na reforma tributária

18 - Rombo transamazônico na Sudam

19 - Os desvios na Sudene

20 - Calote no Fundef

21 - Abuso de MPs

22 - Acidentes na Petrobrás

23 - Apoio a Fujimori

24 -Desmatamento na Amazônia

25 – Os computadores do FUST

26 – Arapongagem

27 - O esquema do FAT

28 - Mudanças na CLT

29 - Obras irregulares

30 - Explosão da dívida pública

31 - Avanço da dengue

32 – Verbas do BNDES

33 - Crescimento pífio do PIB

34 – Renúncias no Senado

35 - Racionamento de energia

36- Assalto ao bolso do consumidor

37 – Explosão da violência

38 – A falácia da Reforma agrária

39 - Subserviência internacional

40 – Renda em queda e desemprego em alta

41 - Relações perigosas

42 –Violação aos direitos humanos

43 –Correção da tabela do IR

44 – Intervenção na Previ

45 – Barbeiragens do Banco Central

Para ler os detalhes de cada escândalo deste, clique no link: http://www.psdbnuncamais.blogspot.com/

02 setembro 2010

Histórias de assombraçãoÇ

Nosso mundo é cercado de mistérios, disso ninguém discorda, até mesmo muitos incrédulos reconhecem que de fato há coisas inexplicáveis e outras esquisitas. No campo das lendas, das crendices populares e do folclore nossa região é rica, repleta de relatos curiosos que sem dúvida provoca arrepios ou frio na espinha proporcionado pelo medo.

Quem por aqui nunca ouviu falar na loira da Matão? Segundo testemunhas oculares, trata-se de uma assustadora mulher vestida de branco que costuma pegar carona ou aparecer dentro dos veículos que trafegam por este trecho da BR 376 entre Nova Londrina e Paranavaí.

No Quatro Marcos, bairro rural do município de Marilena, moradores ou conhecedores do local temem passar durante a noite por uma frondosa figueira à beira da estrada onde muitos juram ter ouvido lamúrias ou visto debaixo da referida figueira um caixão de defunto que reluz com a claridade da lua em sua tampa.

Não estamos longe de outros contos assombrosos, quatro quilômetros separam as cidades de Nova Londrina e Marilena, a rodovia que liga uma cidade a outra é reta e aparentemente não apresenta perigos em seu percurso, porém, esta estrada é cenário de constantes acidentes e muitos deles seguidos de morte.

Neste trecho, no entanto, já foram relatadas algumas histórias assombradas onde o receio ao percorrê-lo é inevitável. Conhecedor desde minha mais terna idade do trajeto que liga os dois municípios, reconheço que esta estrada parece guardar algum mistério. Sobre os relatos já ouvidos a respeito da estrada que dá acesso à Nova londrina e Marilena, chama-nos a atenção os seguintes: Ciclistas solitários já afirmaram ter sentido o impacto e o peso de alguma pessoa que pulou na garupa de suas bicicletas, amedrontados, os ciclistas olham para trás e não vêem nada, apenas o peso do misterioso carona que o acompanha até determinado ponto da rodovia onde a subida é mais acentuada.

Outros que fazem o percurso a pé entre Nova Londrina e Marilena ou vice-versa, dizem já ter ouvido várias vozes de pessoas dialogando e rindo como se estivessem vindo de encontro com a pessoa que está indo em sentido contrário, por fim conclui-se que não há ninguém, apenas a escuridão e o vazio da noite onde os alaridos do além, calam-se inexplicavelmente.

E os relatos sombrios continuam, há quem diga ter cruzado com um vulto de olhos de fogo, outro já diz que ao percorrer o local, ter sido acompanhado por um desconhecido e este desconhecido cumprimenta-o pelo nome e após dizer e saber muito sobre sua vida e de sua família desaparece misteriosamente.

Há também a história e esta é a mais arrepiante, quem já tenha visto à sua frente cruzar apressadamente de um lado a outro da rodovia, determinado homem sem as duas pernas arrastando seu corpo com as mãos apoiadas no chão. Uma sena realmente de se arrepiar.

São, portanto histórias da nossa terra, mistérios desta região perdida nos confins extremos deste noroeste paranaense. Histórias como estas, curiosas, que podem ser apenas frutos da nossa imaginação ou do nosso medo, porém, embora muitos duvidem, ninguém tem coragem suficiente para tirar a limpo os tantos mistérios que nos assombram.

Quando criança fui morador de Marilena, naquela época não foram nem duas e nem três vezes que ouvi a história de um lobisomem que corria os arredores e as ruas da cidade, testemunhas chegaram a afirmar ter visto um homem se transformar no bicho, eu, graças a providencia divina, nada vi, mas o lobisomem ganhou destaque nas rodas de bate-papo, nas salas de aula e até mesmo na missa.

O que podemos afirmar, no entanto, é que há muitos mistérios entre o céu e a terra, coisas que a religião arrisca explicar e que a ciência torna-se inútil, pois nada tem a dizer.

De fato os seres, os espíritos do além de podem estar por aí, cuidado.

Buh!

Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA fascinado por relatos desta natureza.



Free counter and web stats