13 abril 2010

Viapar e a BR 376:

Para aqueles que se lembram o abandono da BR 376 durante o governo de Jaime Lerner (ex-PFL, que mudou de nome para DEMOcratas), a privatização pelo mesmo governador, com apoio do presidente Fernando Henrique (PSDB) desta estrada, foi um alívio. Realmente, agora não temos mais aquele monte de buracos e matagal de antigamente, mas ainda temos do que reclamar.

Primeiro o clássico reclame de que, como cidadão, pago meus impostos em dia, inclusive para ter uma boa rodovia para trafegar. A venda da estrada, além de lesar o cidadão, ninguém sabe onde foi aplicado o dinheiro. Por fim, meu direito constitucional de ir e vir não é respeitado, pois só posso ir e vir depois de pagar o pedágio. Mas enfim, a situação atual é esta, então vamos raciocinar dentro dela.

Agora, com as aulas do meu mestrado em história na UEM, em Maringá, tenho que toda semana viajar pela BR 376 e claro, desembolsar o pedágio. Uma análise dos bilhetes é interessante:

No sentido à Maringá, passei pela catraca nº 4 no dia 16/03 e desde a ativação desta catraca, fui o veículo de nº 961.761. No dia 24/03, passei pela mesma catraca e fui o veículo de nº 674.516. Ou seja, no período de oito dias, foram registradas 12.711 passagens pela catraca. Em uma conta rápida, se lá tivessem passado apenas veículo pequenos como o meu, cujo valor é de R$ 7,20, mas sabemos que veículos maiores pagam mais e motos pagam menos, a Viapar teria arrecadado nestes oito dias o valor de R$ 91,836,00 apenas na cabine nº 4.

No sentido Nova Londrina, passei pela catraca nº 3 no dia 15/03 e desde a ativação da mesma, fui o veículo de nº 992.221. No dia 28/03, passei pela mesma cabine e fui o veículo de nº 1.014.130. Ou seja, no período de treze dias, foram registradas 21.909 passagens pela cabine em questão. Fazendo o mesmo exercício proposto acima, somente na cabine nº 3, a Viapar teria arrecadado nestes treze dias o valor de R$ 157.744, 80.

Estou fazendo todo este exercício de previsão matemática, para que você, cidadão, possa imaginar o quanto a nossa concessionária arrecada aos seus cofres por semana.

Você que usa a rodovia pode argumentar que nestes dias, há vários pontos de re-capeamento da estrada, ou seja, que a Viapar está mostrando serviço, se bem que outro dia, fui atingido por um cone que foi atropelado pelo caminhão da frente e voou em minha direção, mas por sorte, “apenas” tive algumas avarias no pára-choque. Concordo plenamente, mas não podemos esquecer que há um trecho muito pequeno, até Maringá, em que há pista dupla, sendo que o ideal seria, no mínimo, entre Maringá e Paranavaí, mas não seria de nada absurdo tal vir até Nova Londrina, devido ao intenso tráfego de caminhões de soja rumo ao porto de Paranaguá.

Além disso e o que tem me preocupado neste ultimo mês em que uso a estrada toda semana, é que nos trechos recentemente reformados, a sinalização é precária. Ou seja, as faixas de segurança lateral sumiram e o tráfego a noite fica complicado, ainda mais quando cruzamos com caminhões ou então aqueles motoristas que insistem em usar luz alta ou de néon. Há trechos inclusive que sequer possuem a faixa amarela para dividir a pista e olha que estes trechos foram recuperado a bastante tempo.

Assim, este post é para alertar a você motorista, que tenha cuidado a trafegar a noite pela BR 376, bem como para clamar a Viapar para que atente à necessidade das faixas laterais e do famoso “olho de gato”, que são itens de segurança essenciais para o motorista.

1 Comentários:

Às 13/4/10 8:36 AM , Blogger PROF ROBERTO disse...

Ingênuo quem não souber não saber qual a finalidade do pedágio $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$.......

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats