31 janeiro 2010

Como ser um "classe média" - 012

Admirar o talento do Pedro Bial

Que o Big Brother Brasil é um programa de baixa qualidade, apelativo e aculturado, não restam dúvidas para você, médio-classista esclarecido , telespectador do Jornal Nacional e do Fantástico. Você, enquanto membro ativo da Classe Média, deve defender este ponto de vista na roda de amigos, assentindo com a cabeça e dizendo "é mesmo" enquanto seus interlocutores desqualificam a tal atração televisiva. Mas não se preocupe, este sacrifício deve durar no máximo dois minutos, até que alguém comente algum diálogo ou situação do programa. Neste ponto, todos concordarão, darão mais detalhes do acontecimento, comentarão até o penteado e a roupa dos "brothers", e em instantes, como mágica, todos se revelarão espectadores da atração global, se apoiando na desculpa de que "não tem nada melhor na tv neste horário" e "todo mundo assiste mesmo, o que é que tem?".

Anualmente engrossando (pelo jeito à força) essa audiência, a Classe Média concorda que a cultura e a inteligência do apresentador Pedro Bial fazem o programa valer à pena. Sua superioridade intelectual fica mais evidente quando ele conversa com os participantes do programa, onde dá pra se comparar o vocabulário e as idéias das pessoas comuns, gente de bem como a gente, com os deste verdadeiro poeta. E vale à pena prestar atenção enquanto Bial transborda em lirismo nas ocasiões em que participantes são eliminados, principalmente no capricho da locução dramática. É emocionante! O Bial é o sobrinho que toda tia de Classe Média sempre quis ter: educadinho, cabelinho lambido, tem fama de inteligente, é comportadinho na escola, mas como não é seu filho, não precisa gastar seu tempo argumentando contra a sua fama de esquisito e de menino-de-apartamento.

Ainda bem que existe a televisão, para abarcar talentos assim tão extraordinários. Difícil imaginar a TV sem Bial, sem Zeca Camargo, sem o Jô e sem o Jabor. E ainda bem que existe iPod, pois assim você pode mostrar a todo mundo, além da traquitana eletrônica importada, o fato de você transportar em seu bolso aquela música/mensagem-de-fim-de-ano/poema-moderno sobre o filtro solar, que já te arrancou muitas lágrimas teimosas.

Fonte: http://classemediawayoflife.blogspot.com/

29 janeiro 2010

Aprendizes do tempo:


Cora Coralina, a maior escritora de Goiás, no auto dos seus oitenta e poucos anos nos dizia que o tempo é o grande mestre da escola da vida. Salomão, o sábio rei, dedicou ao tempo o terceiro capítulo de seu livro Eclesiastes, “há para todas as coisas um tempo determinado.”

É através do tempo que acumulamos todas as nossas experiências, é no decorrer dos dias que aprimoramos nossos conhecimentos e é com o tempo que aprendemos coisas novas. O tempo é quem mostra nossos erros, nossas más decisões, ele tem o prazo determinado para nossos arrependimentos e frustrações. O tempo é quem diz se fizemos ou não a boa escolha.

“O tempo é o pai da razão”, assim dizem muitos dos seus sábios alunos. Em certas ocasiões, o tempo nos revela que o ruim não é tão ruim, e o que parecia ouro reluzente não passava de bijuteria que com os dias se desgasta, perdendo todo seu brilho e encanto, mostrando sua verdadeira consistência.

O tempo é nosso adestrador, ele nos pune, nos adverte e deixa às claras nossos erros ou acertos. Há o prazo determinado para prestarmos contas dos nossos atos, o tempo trás o momento certo para a colheita dos frutos das sementes que plantamos.

Bons ou maus ventos dependem de nossas decisões, mas, é o mestre tempo, quem vai mostrar as sortes ou os revezes do que decidimos, cabe a nós a prudência na avaliação. O tempo deixa claro que razão e emoção devem ser observadas e somente os cautelosos se deixam levar pela primeira.

Que possamos tirar bom proveito das lições do tempo, vamos observá-las e seguir o caminho mais curto para nossas vontades. O tempo nos lapida, nos molda e busca fazer-nos menos errôneos possíveis.

Devemos ter a prudência de enxergar tudo que o tempo nos evidencia. Com os sentidos da razão, podemos observar tudo que ele tem nos esclarecido, se formos bons alunos, com certeza quebraremos menos nossas caras. Mas que fique claro, bons ou maus tempos dependem muitas vezes de nós mesmos. O tempo revela tudo, vigiai irmãos, vigiai...

Por: Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.

27 janeiro 2010

"A televisão me deixou burro..."


Eles não querem que as nossas crianças sejam educadas. Eles não querem que pensemos muito. Esta é a razão pela qual o nosso mundo se tornou tão cheio de entretenimento, programas de televisão, parques de diversão, drogas, álcool e todo tipo de entretenimento serve para manter o humano entretido, para que sem pensar muito não se meta no caminho das pessoas importantes. É melhor acordar e perceber que há pessoas que tomam decisões, que influenciam a sua vida e você não tem consciência disso.

Nós estamos com um grande problema! Porque você e 62 milhões de americanos estão me vendo neste momento. Porque menos de 3% de vocês lê livros. Porque menos de 15% de vocês lê jornais. A única verdade que conhecem é aquela que está nesta caixa. Agora existe toda uma geração que nunca soube nada que nunca saiu da caixa. Esta caixa é a verdade absoluta, a última revelação. Esta caixa pode construir ou destruir presidentes, papas, primeiros-ministros. Esta caixa é a força mais maravilhosa e poderosamente maldita deste mundo e, ai de nós, se algum dia cair nas mãos erradas. E quando a maior empresa do mundo controlar a maior e mais perfeita maquina de propaganda jamais criada, quem saberá que merda será tomada como verdade através da programação!

Prestem atenção... vocês prestem bem atenção: A televisão não é a verdade. A televisão é uma porra de um parque de diversões. A televisão é um circo, carnaval, uma parada de acrobacias, contadores de histórias, humoristas, cantores, malabaristas, domadores de leões e jogadores de futebol. É o business da matança do aborrecimento. Mas vocês todos estão aí sentados, dia após dia, noite após noite, todas as idades, cores e credos. Nós somos tudo aquilo que vocês sabem. Vocês começam a acreditar nas ilusões que pomos aqui, começam a acreditar que este caixote é a realidade e as vossas vidas não são reais. Vocês fazem tudo o que a caixa vos diz para fazer! Vocês vestem-se como a caixa, e comem como a caixa, criam as crianças como vêem na caixa e até pensam como os seres da caixa. Isto é alienação em massa. Seus dementes! Vocês é que são reais. Pensem: Nós somos a ilusão!

Fonte: Filme Zeitgeist.

O PT municipal e as metas para 2010

O Partido dos Trabalhadores de Nova Londrina elegeu em novembro a nova executiva para o biênio 2010/2011, sendo constituída pelos seguintes filiados e respectivos cargos.

Presidente: Roberto Mitsuru Tsunokawa
Vice-presidente: Everaldo Menegueti
Secretária: Marli Longo Crispim
Tesoureira: Elielza Vasconcelos
Secretaria Política: Solange Teresinha Garcia Ravache

Nosso intuito como Presidente do PT neste ano será fortalecer nosso Partido com campanha de filiações, realização de cursos de formação política, trabalhar para eleger Presidente, Governador, Senador, Deputado Estadual e Federal que estaremos apoiando no pleito de outubro e abrirmos diálogos com todos os Partidos afins para as próximas eleições de 2012.

Convidamos para que venham conhecer o PT, para isso só entrar em contato conosco ou pelo e-mail: profroberto13@hotmail.com.

Por: Prof. Roberto Tsunokawa: Graduado em Farmácia e Letras pela UFSM; especialização em Psicopedagogia; professor licenciado (especialização PDE/UEM) da rede pública do Paraná; vereador na legislatura 2005-2008; candidato a prefeito nas eleições municipais de 2008.

26 janeiro 2010

Notas sobre Nova Londrina:

Velório: É comentário comum na cidade. Não dá mais para ter velório na câmara municipal. Ainda mais, quando precisam ocorrer dois. Nossa capela mortuária é realmente, precária. Um novo prédio, maior e que possa velar duas pessoas separadamente se faz necessário com urgência. Vejam o modelo de Paranavaí, onde a capela tem esta capacidade e fica ao lado do cemitério municipal.

Cemitério: Falando em cemitério, precisa-se mesmo de banheiros naquele local. Mais conforto para as pessoas que vão visitar seus entes queridos.

Feira: Muito boa a iniciativa da Feira do Produtor. Estive nela pela primeira vez nesta sexta-feira e gostei do que vi. Espero mesmo que possa crescer.

Processo: E a questão do processo contra o prefeito e o vice, corre à boca do povo. A discussão é geral e as “previsões” são para todos os gostos. Tem até gente do governo ligando para gente da “oposição” para já ir costurando uma possível composição. Acessem o site, escolham a opção “partes”, digitem o nome do prefeito e clique em pesquisar, que aparecerão os processos eleitorais.

Ruas: De tempos em tempos, temos uma “operação tapa-buracos”, agora, a rua que sobe exatamente atrás do Hospital Municipal, está voltando a ser de terra, o que não é tão ruim assim, pois não terá mais buracos.

Farmácia: A Farmácia municipal mudou novamente de lugar. Agora está funcionando no antigo prédio da Secretaria Municipal de Educação, próximo ao Hospital Municipal.

Recursos: No ano de 2009, o município de Nova Londrina, recebeu de recursos estaduais, o montante de R$ 3.192.610,71 e de recursos federais, o valor de R$ R$ 6.914.857,53, totalizando mais de dez milhões de reais no ano.

25 janeiro 2010

Ronda:

A ‘Menina dos Rios’ passada à limpo!

À PEDIDO. Por insistência da galera, a RONDA agora está no blog do Cássio ok?
PODE IR ARMANDO O CORETO E... Voltando, e com estilo...
ENGANO! Falaram por aí que os jacarés estavam mortos.
RESTA UM. Este, pelo menos não está.
PV. E ainda mais ‘verde’.
SOPA FRIA. Ressuscitaram o processo contra o Brasílio.
AI QUE MEDINHO! Quase prescreveu, mas, no último dia, foram lá e renovaram a queixa.
DUPLA DINÂMICA. E mais, incluíram o Sr. Jair São João e o Zé Rivaldo na confusão...
VAI NEOZINE AÍ?... Uns dos homens mais poderosos da COPAGRA e o mais bem sucedido responsável pelo turismo que já passou por qualquer governo em Nova.
AMPLICTIL NELES! Nunca dantes na história da Marilena tivemos aloprados como estes governando...
FALTOU CIMENTO? Viram a folhinha de 2010? Ué! Cadê a obras prometidas na de 2009?
ARCO DO TRIUNFO. A única que começou está num alicerce na beira da estrada...
ESQUECERAM DE MIM. Desmentindo a própria promessa, que enquadrava o Cristo no conjunto arquitetônico.
SOBROU CIMENTO. Claro que as verdadeiras obras construídas nestes sete anos não podem ir para a folhinha...
SE MEU SOBRADO FALASSE. Algumas inclusive servindo para quebra-paus memoráveis incluindo até pugilistas de Nova.
COSME ...Se protegem, se protegem...
...E DAMIÃO. É tão ‘amigo’ isso de aceitar a culpa pelo outro...
E AGORA JOSÉ? O problema é que saindo a cabeça, ninguém mais estará seguro...
HASTA LA VISTA BABY! E em 2012, a cabeça será outra!
GRUDE DE FARINHA. Por isso ficam lançando nomes à torto e à direito para ver se algum ‘cola’...
ESTRANHOS NO NINHO. E todos de fora do círculo interno e quase de fora da política partidária local.
COITADOS! Vão sonhando...
E OS VICES? Por que ninguém do grupo político original?
VOX POPULI... Não adianta: na boca do povo só tem dois nomes: Brasílio Bovis e José Rivaldo.
...VOX LEGIS?... Ou um, ou outro, ou os dois; se o processo de cassação andar mais rápido.
...VOX DEI? E se o Brasílio não quiser, o bigodudo encara...
GUILHOTINA. Processo este que por sinal, já foi relatado pelo 1º relator em Curitiba.
OBRIGADO! Viram só? Foi dar no Renascer e correram para homenagear o poeta e o músico...
HONRA A QUEM A TEM. Merecido.
PROF. JACÓ. Até porque, quem inventou o ‘Menina dos Rios’ foi o grupo de Turismo na gestão Zé Rivaldo em Marilena.
‘QUIRIDO DOS HÔME!’ Que virou xodó da administração vizinha depois do ‘Projeto Natal’.
SANTO DE CASA... Mais um que foi para fora mostrar aos outros do que é capaz.
...TAMBÉM FAZ MILAGRE FORA. E sem fazer políticagem rastaqüera nem rastejar para ninguém...
MENINOS, EU VÍ! Quem foi e viu, comprovou a competência da equipe que montou aquilo tudo.
UMA PENA! Poderia estar fazendo aqui, mas parece não ser bem vindo...
ACREDITEM... Usar a rádio local para se defender de cartas anônimas...
SE QUISEREM! É tudo que o idiota que a fez queria: publicidade...
TE LIGA! Ô meu! Anônimas se compra as cópias e se rasga, não se fica no rádio lamuriando.
SALDO. 30 meses para o Fim Dos Dias.
SOM. Menina dos Rios, com Thiago Oliveira.
BOOK. Que país é esse?, de Edu Silvestre de Albuquerque (org.). Um olhar ‘geógrafo’ sobre o Brasil contemporâneo em algumas visões.
QUEREM MAIS? www.radiorainhafm.com.br aqui, ou 104.9 lá, todo dia ao meio dia...

Por: Ricardo Drummond de Macedo é jacaré e não morreu, só ficou mais verde...

24 janeiro 2010

Como ser um "classe média" - 011

Ser espírita:

Para ser um médio-classista padrão, você deve ser espírita. Não interessa se você tem outra religião.

A Classe Média, em geral, é católica. E ser católico significa comparecer à Missa aos domingos (claro que nem todos), para que todos te vejam com a roupa de sair no fim-de-semana. Esta religião não requer muito compromisso nem conhecimento, basta você dizer que acredita em Deus "do seu jeito".

Mas a religião mais Classe Média, de longe, é o espiritismo. Se o catolicismo não requer compromisso, o espiritismo dá de dez em liberalismo. Isso porque esta doutrina te permite ser de qualquer outra religião ao mesmo tempo. Quase todos os espíritas são católicos ou praticam outra religião paralela. Quem não o faz, é considerado um xiita. E médio-classista que se preza não é xiita em nada.

Entender o espiritismo não é difícil. Toda a sua doutrina se baseia no fato de que quem é da Classe Média, é mais inteligente que todo mundo. É uma religião que se diz calcada em fatos "científicos", como a vida após a morte, a volta do mundo dos mortos, e a levitação da alma fora do corpo, e outros eventos cientificamente comprovados.

O principal mote dessa religião, no entanto, está em justificar o motivo de você ter uma boa condição de vida (mesmo "sem ser rico"). De acordo com os métodos científicos do espiritismo, todo mundo encarna e reencarna várias vezes, e toda vez que se encarna, vai-se ganhando pontos pela experiência. Assim, quem hoje é inteligente, bonito e rico, é porque é mais "evoluído" que os pobres, feios e que não estudaram, pois ganhou mais pontos nas fases anteriores. Ou seja, se seu pai é rico (digo, "remediado"), você pode se considerar mais evoluído que o porteiro do seu prédio (que deve ter feito burradas nas fases anteriores e não ganhou muitos pontos).

Portanto, não é nada difícil entender o espiritismo. Só não entende quem é burro. E na Classe Média não tem burro, afinal, ali todo mundo já matou muito chefão-de-fase nas vidas anteriores.

Fonte: http://classemediawayoflife.blogspot.com/

23 janeiro 2010

Aforismos:

“Não é sinal de saúde estar bem ajustado a uma sociedade profundamente doente”.

Jiddu Krishnamurti

22 janeiro 2010

Um camponês contra Kátia Abreu:


O pequeno agricultor Juarez Vieira Reis enfrenta na Justiça uma das líderes da bancada ruralista no Congresso, que tomou suas terras há sete anos.

O camponês Juarez Vieira Reis foi expulso em 2003 da terra onde vivia desde o seu nascimento, em Tocantins, graças a uma intervenção judicial a pedido da senadora Kátia Abreu (DEM/TO). É que ela recebeu as terras de Juarez de presente do ex-governador tocantinense Siqueira Campos. O Projeto Agrícola Campos Lindos, criado em 1999, expulsou dezenas de pequenos posseiros de suas terras para entregá-las a figurões políticos e endinheirados, entre eles, a presidente da Confederação Nacional de Agricultura (CNA), entidade que aglutina grandes proprietários rurais.

Entre as terras “doadas” por Siqueira Campos a Kátia Abreu, estavam os 545 hectares onde Juarez vivia desde o seu nascimento: a fazenda Coqueiro. Em dezembro de 2002, a senadora entrou com uma ação de reintegração de posse da área que lhe havia sido presenteada. Ela passou por cima da ação de usucapião em andamento, que dava respaldo legal à permanência da família de Juarez no imóvel. A Justiça de Tocantins aprovou a reintegração de posse e expulsou o posseiro e seus parentes.

Invasora

O despejo de Juarez, sua esposa, dez filhos e 23 netos ocorreu em abril de 2003, sem nenhum aviso prévio. Ele não pôde recolher suas criações, tanto de galinhas como de porcos, nem colher os alimentos que produziam, como mandioca e arroz. Tudo teve que ser abandonado.

A família rumou para uma chácara do filho de Juarez, nos limites de Campos Lindos, onde vive até hoje. O genro de Juarez, Rui Denilton de Abreu, aponta para um fato pouco divulgado na imprensa. Ele afirma que alguns dias depois de a família ter se alojado na casa, ocorreu um incêndio suspeito no local. “Isso foi intencional. Na minha consciência, eu sinto que isso foi um atentado à família dele. E o próprio boletim de ocorrência diz isso, que o fogo foi de cima pra baixo e de fora pra dentro. Foi acidental?”, questiona.

Passados mais de sete anos, cerca de 20 pessoas da família repartem hoje apenas dois cômodos de uma casa de sapê. E as refeições seguem irregulares. Segundo Juarez, apesar disso, o período após o despejo foi o que mais o preocupou em termos de alimentação.“Eu passava a noite inteira sem dormir, preocupado, pensando: 'será que eu vou ser obrigado a pedir comida nas casas, eu que sempre vivi de barriga cheia? Hoje eu vou ver a minha família assim por causa de uma senadora?'”, refletia.

“São sete anos nesta situação, e eu já estou com 61. Tenho medo é de morrer e deixar esse problemão para a família. Se tivesse na frente dela, eu perguntava, em primeiro lugar, se ela tem filho, se ela gostaria de ver um filho dela sofrendo igual ela está fazendo a minha família sofrer. Se ela achava bom”, desabafa.

Resistência

Mas, mesmo não tenho Kátia na sua frente, Juarez a enfrenta. E, diferentemente dos posseiros expulsos para as reservas do Cerrado, o agricultor decidiu lutar por seus direitos, pelo imóvel no qual sempre viveu. Ele tem em mãos documentos da propriedade, dos quais um data de 1958. O processo está em andamento pela Comarca de Goiatins.

Há cinco meses, ele foi à Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados e conseguiu forçar o Tribunal de Justiça de Tocantins a julgar tanto a ação de usucapião de 2000 como o pedido de liminar impetrado há seis anos para garantir a volta da família.

Enquanto isso, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, Luiz Couto (PT-PB), encaminhou um ofício ao Conselho Nacional de Justiça para denunciar a influência de Kátia Abreu na Justiça do Tocantins e apressar os processos de pequeno agricultor.

Em nota, Kátia afirmou que é proprietária de terras no município de Campos Lindos, devidamente escriturada. Afirma ter “a posse mansa e pacífica da mesma desde a sua aquisição” e que Juarez Reis é “invasor contumaz de terras alheias”.

Fonte: http://www.brasildefato.com.br/v01/agencia

21 janeiro 2010

Quem duvida?

Quem duvida que pipa de criança, também lança por terra arranha-céu?
(Socorro Lira)

Escutei pela boca de um profeta
Que de cima o castigo rasga o véu
Cá na terra, tem vez que nada presta
O que parece forte é de papel.
Quem duvida que pipa de criança
Também lança por terra arranha-céu?

De que vale o orgulho desse mundo
O dinheiro, o poder a arrogância?
Nem voar sob o céu se num segundo
Tudo muda conforme o carrossel?
Quem duvida que pipa de criança
Também lança por terra arranha-céu?

Não há muro tão firme que não caia
Foi assim com aquele de Berlin.
Não há rei que do trono nunca saia
Nem nação que não prove o próprio fel.
Quem duvida que pipa de criança
Também lança por terra arranha-céu?

Não existe tirano que não beba
Do veneno que ao povo ofereceu
Pois a vida não releva a soberba
Nem a boca do mal reserva o mel.
Quem duvida que pipa de criança
Também lança por terra arranha-céu?

Todo dia na terra morre gente
Pelas mãos dessas tais super-potências
Por seus mísseis, fuzis tão inclementes
Para quem matar mais vai o troféu
Quem duvida que pipa de criança
Também lança por terra arranha-céu?

Na tv as imagens da barbárie
Da miséria que o mundo já provou
Você não está imune, pois, a dor
Não lhe poupa porque também é réu
Quem duvida que pipa de criança
Também lança por terra arranha-céu?

Quem viver verá que nada se perde
Que ainda há de pagar a sua conta
Pois um dia a justiça desponta
Pra julgar de plebeu a bacharel
Quem duvida que pipa de criança
Também lança por terra arranha-céu?

Quem achar que meu canto está errado
E do que eu digo não se convencer,
Não terá de fazê-lo por agrado
Quem sou eu pra julgar se é fiel?
Quem duvida que pipa de criança
Também lança por terra arranha-céu?

Do álbum “Cantigas de bem querer” – da cantora Paraibana de Campina Grande - Socorro Lira. Indubitavelmente, um show.

Por Mateus Brandão de Souza. Graduado em história pela FAFIPA

20 janeiro 2010

Reforma Agrária no Brasil:

Vejamos o censo agropecuário feito pelo IBGE em dezembro de 2006 e recém-publicado:

- Cerca de um por cento dos proprietários de terra no Brasil controla 46% das terras.

- Apenas 15 mil fazendeiros, com áreas acima de 2.500 hectares, são donos de 98 milhões de hectares (4 Estados de São Paulo juntos).

- A concentração de terras continua aumentando. E se desnacionalizando. Nos últimos anos as transnacionais compraram mais de 20 milhões de hectares de terra, água, minérios, etanol, usinas, madeira e biodiversidade.

- O índice de gini, que mede a concentração de terras, no Brasil é de 0,856, é o segundo país de maior concentração de terras do mundo.

- O Banco Opportunity, que opera recursos norteamericanos, comprou em três anos 56 fazendas e mais de 600 mil hectares, no sul do Pará.

- A Cutrale monopolizou a produção de sucos de laranja e levou à miséria milhares de pequenos e médios agricultores paulistas que tiveram que destruir 280 mil hectares de laranjais, em dez anos. Ela acumulou 60 mil hectares, em 36 fazendas. Detém 80% da produção de suco do país, exporta 90% e controla 30% do comércio mundial de suco, em parceria com a Coca-Cola.

- Os fazendeiros do agronegócio produzem 100 bilhões de reais por ano. Mas tomam emprestados todos os anos 90 bilhões de reais nos bancos.

- Essa produção é fruto do trabalho de três milhões de assalariados permanentes e temporários. É revendida para apenas 20 empresas (a maioria transnacionais).

- Essas 20 empresas faturam 115 bilhões de reais por ano. Ou seja, toda aquela riqueza vai parar nas mãos delas.

- O agronegocio dá emprego para apenas 15% da população economicamente ativa (PEA), os outros 85% trabalham na agricultura familiar. Há 18 milhões de trabalhadores rurais adultos, e, destes, 15 milhões estão na agricultura familiar.

- A agricultura familiar produz 85% dos alimentos que vão para a mesa do povo brasileiro. Já o agronegócio produz apenas para exportação.

- Graças à aliança dos grandes fazendeiros com as transnacionais, em 45 milhões de hectares, são aplicados 700 milhões de litros de venenos. Seis transnacionais produzem: Monsanto, Syngenta, Bayer, Basf, Shell, Bunge. Matam o solo, a biodiversidade, contaminam as águas e viram câncer no seu estômago.

- O Brasil é a nona economia mundial. Está em 75.o lugar nas condições de vida, e é o sétimo pior país em desigualdade.

- Desde 1985, foram assassinados no campo mais de 1.600 lideranças de trabalhadores. Apenas 80 assassinos chegaram aos tribunais, 15 foram condenados e uns 5 estão na cadeia.

Diante disso, decidiram: Vamos convocar uma CPMI para impedir a reforma agrária!!!

Por: João Pedro Stedile, membro da coordenação nacional do MST e da Via Campesina Brasil – Revista Caros Amigos – Dezembro de 2009.

19 janeiro 2010

Notas sobre Nova Londrina:

Carnaval: Já há placas nas ruas da cidade, anunciando mais um Carnaval de Rua, que será na Avenida Brasil. No entanto, ainda não informações acerda de banda ou qualquer outro detalhe. Continuamos no aguardo e este Blog disponível para divulgação GRATÚITA, caso interesse aos organizadores.

SAREM: Alguém tem informações acerca do SAREM? Quem é o presidente da Associação dos Funcionários atualmente? Será que vão erguer um novo clube? E o que fizeram com as nobres madeiras que lá estavam e que ruíram?

Processo: Quem quiser, pode acompanhar pela Internet o recurso movido pelo Prefeito e o Vice, contra decisão da juíza da Comarca de Nova Londrina, que reprovou as suas contas da campanha eleitoral de 2008, decisão esta mantida pelo TRE-PR. O recurso está no TSE, em Brasília. Sinceramente, estou a tanto tempo fora do Direito que não sei a conseqüência prática, caso o recurso seja julgado improcedente e as contas, reprovadas.

Câmara: As reuniões da Câmara municipal retornam no dia 15/02, às 20:00.

Deputado: Conforme comentário neste Blog de uma filiada ao PDT, o vereador Mário Sonsim não tem pretensões de ser candidato a deputado federal nestas eleições de 2010. Na verdade, o mesmo teria sido sondado para ocupar um cargo na administração estadual, caso Osmar Dias seja eleito governador.

Espaço: Caso algum cidadão novalondrinense queira deixar qualquer sugestão, crítica ou comentário sobre a NOSSA NOVA LONDRINA, pode usar este espaço, desde é claro, que se identifique e use de civilidade em suas palavras. ESPAÇO ABERTO AO CIDADÃO.

Vídeo:
Uma moradora, filmou em seu celular o exato momento em que vizinhos plantavam um pé de banana e outro de milho, nos enormes buracos de sua rua. Pouco mais de quinze minutos, em uma manhã de sábado, o trato da prefeitura veio retirar os pés. Eu ví o vídeo, mas a moradora preferiu não autorizar a sua divulgação no YouTube. Uma pena, afinal, vivemos em um país tão democrático e livre, que imaginar qualquer tipo de perseguição política hoje em dia, é inadimissível.

18 janeiro 2010

O Brasil é campeão mundial...

... no uso de agrotóxicos.

_ Em 2008, foram utilizados 673.862 toneladas de defensivos e a indústria química movimentou US$ 7,125 bilhões no país;
_ Houve pelo menos 25.008 casos de intoxicação de agricultores;
_ Substâncias proibidas em muitas partes do mundo foram encontrados nos alimentos brasileiros;
_ O Rio Grande do Sul é o estado que mais aplica agrotóxicos;
_ A maioria está nas plantações de soja, milho, cana-de-açúcar e cítricos;

Sem contar os problemas causados aos trabalhadores que têm contato com os agrotóxicos, tudo o que é jogado nas lavouras, contamina o solo, a água e o ar. Pior de tudo, vai para na nossa mesa de refeições. Não é a toa que o número de casos de câncer, principalmente, cresce a cada ano no mundo todo. Não sabemos o que estamos comendo.

“O uso abusivo de defensivos está relacionado ao modelo de monocultura agroexportadora adotada pelo Brasil, explica Raquel Rigotto. “Esse modelo depende dos agrotóxicos porque, quando se opta pela monocultura, ao mesmo tempo que se destrói a biodiversidade, se oferece às pragas todas as condições de elas se expandirem”.

Gabriel Fernandes, da AS-PTA, avalia que o aumento do uso de defensivos também está diretamente ligado ao aumento da utilização de plantas transgênicas fabricadas para serem mais resistentes à aplicação dos herbicidas. “Há uma questão intrínseca do modelo. Desde quando os agrotóxicos começaram a ser utilizados até hoje, houve um aumento no número de pragas, insetos e doenças que causam danos à agricultura”, analisa. Segundo Fernandes, o uso intensivo dos defensivos não dá conta de controlar esses fatores, que interferem na produção justamente porque tais produtos vão aumentando o desequilíbrio ambiental: “O agrotóxico gera insetos, doenças mais resistentes. E outros insetos que não causavam danos passam a causar, por conta desse desequilíbrio ambiental”, avalia.

Não por acaso, as maiores empresas que produzem herbicidas e inseticidas são as mesmas que controlam o mercado de transgênicos. “A tendência da indústria de agrotóxicos é casar as coisas, porque elas mesmas produzem as sementes e os agrotóxicos”. É o caso da Monsanto, Basf, Dupont, Bayer, Bunge e Syngenta. “A Monsanto, que é produtora do glifosato e que fabrica o Roundup, é a mesma que produz a soja transgênica, que vai usar mais glifosato. É a mesma industria, que depois vai cobrar royalties. Tem todo um interesse de seleção mundial de sementes que precisa de agrotóxicos e fertilizantes químicos”. Alerta Wanderley Pignati.

Gabriel Fernandes afirma que o fato de que “a cada 4 hectares de transgênicos plantados no mundo, três serem de sementes transgênicas feitas para uso casado com agroquímicos, explica como as empresas ampliam e mantém tanto seu mercado de sementes quanto o de agrotóxicos”. Segundo ele, as sementes transgênicas foram, desenvolvidas exatamente para necessitarem da aplicação de agrotóxicos. “Como o mercado de sementes é altamente controlado, aos poucos, essas empresas vão tirando as sementes convencionais do mercado e colocando as transgênicas. Essa é a jogada de mercado”.

Fonte: Revista Caros Amigos – dezembro de 2009.

E depois que, funcionários de empresas ganham um final de semana com tudo pago por uma empresa destas, em um Termas qualquer, há quem estranhe, outros comemoram, enquanto a maioria fica indiferente. Abre o olho minha gente.

17 janeiro 2010

Como ser um "classe média" - 010

Ter um Pet:

Existe uma espécie de regra para admissão na Classe Média, que consiste em ter um "Pet".
Um Pet é uma espécie de cachorro de estimação (podem ser outros animais que nada produzem também, como gatos e pássaros), onde todo o trabalho de tratamento e manutenção do bichinho é terceirizado.

Para ter um Pet, é necessária uma série de cuidados. A começar pela aquisição. Pets só podem ser comprados em canis especializados, com uma série de documentos de comprovação da dinastia do animal (sim, eles têm sobrenome). Adquirido o Pet, será necessário contar com um serviço de "Pet Shop", onde o bichinho irá toda semana para manutenção e higiene. Neste estabelecimento também será possível encontrar uma dúzia de artigos obrigatórios, como roupinhas, brinquedos, coleiras com corda retrátil, ossos de mentira e tudo que é produto para que o animalzinho seja um Pet, e não um cachorro (quem tem cachorro é pobre).

E também é necessário ter uma empregada, para alimentá-lo, fazer carinho e passear com ele. A empregada também deverá ser responsável por incluir nas compras o alimento do bicho, que deve ser uma ração própria para a cor, a idade, a raça, o porte, a temperatura ambiente média e o timbre do latido.

O Pet é como um membro da família. Pode assistir televisão no sofá, abrir a geladeira, dormir na cama dos donos e até ganhar beijo na boca. Por isso, às vezes você terá que ter jogo de cintura para conter o ciúme da emprega, que também é da família, mas logicamente demanda menos investimento que o Pet, além de não poder assistir televisão no sofá. Se isso acontecer, a solução é simples: diga a ela que se houver conflito entre ela e o Pet, a família terá de abrir mão de um dos dois. E ela vai saber quem vai dançar caso você se zangue.

Fonte: http://classemediawayoflife.blogspot.com/

16 janeiro 2010

Os Indiferentes:

Odeio os indiferentes.
Acredito que viver
significa tomar partido.
Indiferença é apatia,
parasitismo, covardia.
Não é vida.
Por isso, abomino os indiferentes.
Desprezo os indiferentes,
também, porque me provocam
tédio as suas lamúrias
de eternos inocentes.
Vivo, sou militante.
Por isso, detesto
quem não toma partido.
Odeio os indiferentes.

Antonio Gramsci

15 janeiro 2010

Instantes:

Se eu pudesse viver novamente a minha vida,
na próxima trataria de cometer mais erros.
Não tentaria ser tão perfeito, relaxaria mais.
Seria mais tolo ainda do que tenho sido.
Na verdade, bem poucas coisas levaria a sério.
Seria menos higiênico, correria mais riscos, viajaria mais.
Contemplaria mais entardeceres, subiria mais montanhas,
nadaria mais rios.
Iria a mais lugares onde nunca fui, tomaria mais sorvete e menos lentilha,
teria mais problemas reais e menos imaginários.
Eu fui uma dessas pessoas que viveu sensata e produtivamente
cada minuto da sua vida: claro que tive momentos de alegria.
Mas se pudesse voltar a viver,
trataria de ter somente bons momentos.
Eu era um desses que nunca ia à parte alguma sem um termômetro,
uma bolsa de água quente e um pára-quedas:
se eu voltasse a viver, viajaria mais leve.
Se eu pudesse voltar a viver,
começaria a andar descalço no começo da primavera
e continuaria assim até o fim do outono.
Daria mais voltas na minha rua, contemplaria mais amanheceres
e brincaria com mais crianças, se tivesse outra vez uma vida pela frente.
Mas, já viram, tenho 85 anos e sei que estou morrendo.
(Jorge Luiz Borges)

Dedicamos esta, que é uma das mais belas páginas da literatura latino-americana aos infelizes, que preocupados e ocupados com futilidades, desconhecem o verdadeiro sentido da vida e desta forma jamais se darão conta do que é a pura e cristalina felicidade.

Por: Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.

14 janeiro 2010

O jovem e a participação eleitoral:

O voto aos 16 anos foi uma conquista do movimento estudantil, incorporada à Constituição de 1988. Entre o fim da década de 1980 e o início da seguinte, estudantes e jovens, de um modo geral, demonstravam interesse na vida política nacional e desejo de se manifestar, por meio do voto, sobre os rumos do país. No entanto, essa vontade de participar tem diminuído. Há cinco anos havia 3,6 milhões de eleitores de 16 e 17 anos no Brasil. Em 2008 o número chegou a 2,9 milhões, redução de 19%. Se números assim permitem constatar o desinteresse do jovem no exercício de um direito seu, é o caso de perguntar as razões desse fato. Por que os jovens parecem ter perdido o interesse pela política? O que explica, o crescente número de jovens que não faz questão de tirar o título de eleitor e de votar?

Essa situação é resultado de variáveis que determinam ou não a presença do jovem na política. Podem ser destacadas: educação política nas escolas, colégios e universidades; atividades sociais e solidárias em movimentos; políticas públicas para a juventude; valores políticos e religiosos.

A falta de conhecimento e/ou não incentivo das escolas, dos colégios, das universidades e empresas em debates políticos favorecem para que não haja estímulo nem o engajamento das lutas pelas causas trabalhistas e/ou sociais, tornando-os alienados, “engolidos” pelo capitalismo.

O jovem não participa de grupos filantrópicos ou até religiosos com o intuito de solidarizar com as pessoas, distanciando-os do meio que está inserido, deixando de perceber que há espaços para implementar uma política de cidadania, em que possa compreender como funciona a sociedade e aprende como viver nela.

Outro fator é a não presença de política pública ligada à juventude, há pouco incentivos na área esportiva, levando-os à ociosidade, buscando outros atrativos que não requerem a interação social, aumentando o fosso de inutilidade que sentem diante da imobilidade por parte da administração de um país, estado ou município que deveriam estimular essa área tão importante nessa faixa etária.O que também interfere é o valor que perpetua em nosso meio que jovem não tem maturidade, experiência que possa contribuir para melhorias em nossa sociedade, famílias que incutem que política é suja, corrupta, assim entra a questão religiosa “seja o que Deus quiser”....

Assim, devemos ter práticas que mobilizem nossos jovens como:

Novo estilo de campanhas eleitorais, evitando para tal o negativo ataque aos adversários políticos, mas privilegiando o debate claro de ideias.

Utilizar as mais diversas tecnologias como Blogs que têm contribuído para mobilizar jovens para o voto.

Apostar na Educação política- reforçar a educação política dos jovens no qual privilegie o conhecimento, a habilidade e os valores relevantes que emergem da natureza da democracia participada.

Apostar fortemente no marketing político direcionado para os jovens- Adequar linguagem e apostar em medidas concretas para esta faixa etária.

Estimular a participação em grêmios estudantis, em diretórios acadêmicos e centros; em movimentos sociais como pastorais, associações de bairros; em grupos filantrópicos como Rotaract, Interact; em mobilizações de reivindicações; em sindicatos relativos a sua profissão; em associações de classes.

Por: Prof. Roberto Tsunokawa: Graduado em Farmácia e Letras pela UFSM; especialização em Psicopedagogia; professor licenciado (especialização PDE/UEM) da rede pública do Paraná; vereador na legislatura 2005-2008; candidato a prefeito nas eleições municipais de 2008.

12 janeiro 2010

Direitos Humanos:

Quem assiste ao Jornal Nacional da Rede Globo todos os dias, com um pouco de atenção, pode perceber o quanto a emissora tem feito campanha ferrenha contra o Plano Nacional de Direitos Humanos do Governo Lula. Se você não está entendendo muito bem do que se trata, lá vamos nós.

Primeiro que este tal Plano não é uma lei, decreto, medida-provisória ou coisa assim. É apenas um plano, que poderá ser transformado em lei, depois dos trâmites necessários. Aliás, plano este debatido ao longo de anos entre a Secretaria dos Direitos Humanos e a Sociedade Civil organizada em longos debates, palestras e encontros. Portanto, não há surpresas nele.

O argumento da Rede Globo é sempre o mesmo: diversos setores tem feito críticas ao Plano, entre eles, a Igreja Católica, o Agronegócio, a Imprensa e o Exército. Os motivos? Vamos por partes.

O Plano prevê que em todas as repartições públicas, os símbolos religiosos (de qualquer religião) sejam retirados. Por exemplo, as imagens de santos católicos vistos com freqüência em escolas, no judiciário, no legislativo e no executivo, terão de ser retirados. Claro que a Igreja Católica é contra, mas a Globo não lembra pra você que o Estado é laico, ou seja, não existe uma “religião oficial” no Brasil, portanto, uma repartição pública não pode ostentar a imagem de uma religião em detrimento à de outra.

Para mediar os conflitos no campo, o Plano prevê justamente que haja uma mediação. A concentração de terras no Brasil ainda é a maior do mundo. Há milhares de miseráveis expropriados do campo e é a agricultura familiar quem põe comida na mesa do brasileiro. Claro que o Agronegócio é contra, mas a Globo não lembra pra você o que diz a nossa CF:

Art. 5º inciso XXIII - a propriedade atenderá a sua função social;

Art. 186. A função social é cumprida quando a propriedade rural atende, simultaneamente, segundo critérios e graus de exigência estabelecidos em lei, aos seguintes requisitos:
I - aproveitamento racional e adequado;
II - utilização adequada dos recursos naturais disponíveis e preservação do meio ambiente;
III - observância das disposições que regulam as relações de trabalho;
IV - exploração que favoreça o bem-estar dos proprietários e dos trabalhadores.

As rádios e televisões do país só podem funcionar com autorização do Estado, por isso são chamadas de concessões públicas. Como públicas, elas devem atender aos interesses públicos: qual é o órgão existente para a defesa do interesse público? O Estado. Então é óbvio que somente o Estado é quem pode fiscalizar o cumprimento dos direitos humanos das rádios e TVs. Claro que as grandes corporações de mídia são contra, mas a Globo não lembra pra você o que diz a nossa CF:

Art. 221. A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios:
I - preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas;
II - promoção da cultura nacional e regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação;
III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;
IV - respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.
Art. 222. A propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e imagens é privativa de brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos, ou de pessoas jurídicas constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sede no País.

Art. 223. Compete ao Poder Executivo outorgar e renovar concessão, permissão e autorização para o serviço de radiodifusão sonora e de sons e imagens, observado o princípio da complementaridade dos sistemas privado, público e estatal.

O Plano quer rever a Lei de Anistia, editada pelos militares em 1979, que perdoou os crimes daqueles que lutavam contra a Ditadura, ao mesmo tempo que perdoou os crimes dos militares. A revisão do Plano se dá “apenas” contra os torturadores pelo simples motivo de que a tortura é um crime que não prescreve. Claro que o Exército é contra, mas a Globo não lembra pra você o que por ser imprescritível, a tortura praticada pelos militares contra os opositores do regime não poderia ter sido perdoada pelos próprios militares com a Lei de Anistia.

Em resumo, o Plano pretende fazer alguns avanços na sociedade brasileira, na garantia dos Direitos Humanos e na universalização da democracia plena. Os setores que o criticam são justamente aqueles mais conservadores, retrógrados e reacionários.

Vota Brasil:

Desde 1989 há o consenso: eleição se ganha – não com idéias, argumentos e propostas – mas com dinheiro e televisão. O chamado voto-cabeça-racional-convicto não é suficiente para eleger ninguém. O que decide as eleições é o voto comprado. No capitalismo o voto é valor de troca, e não valor de uso. O povo sabe disso. Sem pirão não há eleição.

Aí está o candidato. Ah é? Quanto você vai me dar em troca do meu voto? É por isso que, entre outros motivos, o capitalismo é contra a democracia. A regra geral é a seguinte: quem tem dinehiro se elege. O pobre não tem nada, a não ser o voto para vender, que nem o proletário que só tem a sua força de trabalho para ser vendida em troca de um salário.

Tratando-se de uma população miserável, a hora do voto é a oportunidade de se descolar um troco; nada mais natural do que vender o voto por uma camiseta, uma cerveja um prato de lentilha.

Por: Gilberto Felisberto Vasconcellos, sociólogo, jornalista e escritor – Revista Caros Amigos – dezembro de 2009.

11 janeiro 2010

Notas sobre Nova Londrina:

Carnaval: Estamos a um mês da maior festa popular do Brasil, o carnaval. Quanto ao carnaval de rua, boatos há bastante. Alguns dizem que não haverá, outros dizem que será pago e outros ainda de que teremos o melhor carnaval de rua da história da nossa cidade. Seria interessante a organização vir a público e esclarecer, fazer um “lançamento oficial do carnaval 2010” e desde já, começar a divulgação. Aliás, este Blog se coloca a disposição para divulgação.

Jornal: Por falar em “vir a público”, em janeiro não teremos o JP, pois o mesmo está de férias. Não é o que esperamos de um jornal pretender ser, futuramente, o diário oficial do extremo noroeste.

Teremos deputado?: Um comentário de um leitor do Blog do companheiro Joaquim de Paula, plantou a idéia de que o vereador Mário Sonsim seria candidato a Deputado Federal pelo PDT. Caso o nobre político tenha mesmo pretensões maiores na vida política, seria uma excelente oportunidade para testar apoios e popularidade.

FUNDEB: Algum sabe se este sobrou dinheiro do FUNDEB e se houve o tradicional rateio entre os professores ou se teve algum destino diferente para a verba?

Câmara: Oficialmente, os trabalhos do legislativo retornam no dia 15/02.

Fim de ano: Não estava na cidade durante as festividades de reveillon, portanto, não posso opinar. Alguém que participou, se quiser emitir sua opinião...

10 janeiro 2010

Como ser um “classe média” – 009

Fazer a sua parte para combater a crise mundial:

A Classe Média está borrando as calças de medo da crise. Nada melhor para aprender como se comportar nessas situações, do que observando-a agir em prol da Humanidade para conter a temida depressão econômica que vem chegando ao Brasil.

A palavra de ordem é "corte". Os médio-classistas vão cortar gastos em tudo o que for possível: salário da empregada, na conta do Pet-Shop, abastecer com ácool ao invés de gasolina, ir ao salão de 10 em 10 dias ao invés de a cada semana, trocar Häagen-Dazs por Kibom, beber vinhos sul-americanos e outros sacrifícios.

O sacrifício maior, todavia, será feito pelos arautos da bondade humanitária, que são os empresários, aqueles mesmos que enchem o mundo de justiça dando emprego aos necessitados. Na ótica desses deuses, os funcionários que tiverem a honra de continuar no emprego, ouvirão de seus líderes médio-classistas as razões para a justa redução dos salários. Afinal, todos estão juntos no momento de crise, todos têm que dividir as perdas. E isso significa continuar trabalhando, mesmo ganhando menos. Afinal, sem trabalho, sem geração de renda por suas empresas, fica difícil passar fim-de-semana em Ilhabela, Angra ou Escarpas.

Fonte: http://classemediawayoflife.blogspot.com/

08 janeiro 2010

É possível ou é utopia?

Estamos diante de um novo ano, ano de expectativas em relação ao cenário nacional, estadual e municipal quanto às questões econômicas, sociais que praticamente afetam, influenciam e comandam a vida de milhões de cidadãos em nosso Brasil, em nosso Paraná e em nossa Nova Londrina.

Diante dessa situação, questiona-se se é possível uma nova política em que haja efetivamente a participação popular nos destinos das prioridades que a localidade tem suas necessidades, realmente o povo discutindo e opinando nas decisões que irão elevar a qualidade de vida de todos.

Ou, se vamos persistir nas velhas idéias de gabinete, em que são decididas por meia dúzia de pessoas, que são os estrategistas (sabedores) de todas as soluções, dando ênfase a ações que não têm relação com a vontade da comunidade.Seria utopia criar uma nova política em que cada pessoa possa fazer a diferença em sua localidade, no bairro, na cidade, no meio rural, no meio em que vive? É possível quando as pessoas se dão conta de que não precisam, por toda sua vida, serem tuteladas, afagadas, anuladas por outras.

Seria utopia criar uma política que a transparência não seja da “boca pra fora”, mas que ocorra efetivamente em todos os setores públicos desde a licitação à prestação de contas de todas as secretarias em locais amplos para que a população possa acompanhar? Nossa missão é recuperar essa ética antes que a crise de representatividade destrua o estado democrático. O processo eleitoral de 2010 é mais uma oportunidade para que a sociedade assuma um papel relevante no cenário político.

Nosso desafio é contribuir para buscar novas formas de interação política, de baixo para cima, na base da sociedade. Se juntarmos as forças na sociedade em torno de uma nova plataforma de ação política, elaborada e encaminhada de modo autônomo, vamos influir efetivamente nas decisões do sistema político e, assim, melhorar a infraestrurura social, econômica, educacional.

O desenvolvimento sustentável local é a base para uma política pública séria, comprometida. Promovida por novos atores sociais, articulados em rede, sem serem coadjuvantes é a possibilidade de uma nova política, não apenas representativa e reivindicativa, mas também participativa, interativa e proativa.

É possível ou é utopia?

Por: Roberto Mitsuru Tsunokawa – professor da rede pública de ensino.

02 janeiro 2010

Os imaculados:

Seleto grupo formado por homens e mulheres em cuja mácula é ausente, sem defeitos, imunes a todo mal, inquestionáveis. Tal qual o mais alvo lençol, sem mancha, sem nódoas indeléveis, neles não há defeitos, portadores e detentores de virtudes inumeráveis.

Imaculados por excelência, por vocação. Seus intuitos são sóbrios, estão sempre voltados para a coletividade, nunca para o individualismo, visam o bem comum, o social. Sabem dosar, dividir na mais perfeita igualdade, são imparciais...

Eles semeiam concórdia, seus corações são abertos, mentes que trabalham para o bem, jamais usam de má fé, plenos de boas intenções, confiáveis, não rancorosos, abertos ao diálogo, mansos, humildes, santos, ungidos e não hostis.

Neles não há máculas...

Jamais egoístas, vivem pelo seu semelhante e para ele. Não vingativos nem perseguidores, retos, certos e maleáveis. Deles provém o bem, é prazeroso vê-los, estar perto deles, no mesmo lugar que eles, é um regozijo. Para que nos preocuparmos se eles são bons?

Num mundo desairoso, corruptível, em dias que prenunciam o amargedom, existe esse povo bom, gente de bem que está acima de qualquer crítica. No entanto, não há o que temermos.

Quando mãos imaculadas seguram nas rédeas, podemos nós os mortais, dormir o sono dos justos, com mãos prudentes sobre o leme, o barco não vai a deriva. Não importa se o mar é revolto, tenhamos fé, o piloto é munido de bússola e sabe onde está o norte...

Nestes últimos instantes do ano, brindamos e torçamos pela ascensão absoluta dos imaculados. Que as suas pregações miraculosas tornem-se paupáveis, que seja concreto também nossos sonhos, que as lacunas dos nossos anseios sejam preenchidas.

Um viva a este povo impar, brindemos neste novo ano a nossa saúde e também a saúde dos imaculados.

Por: Mateus Brandão de Souza, graduado em história pela FAFIPA.



Free counter and web stats