06 novembro 2009

Idosos em nossa sociedade: valorizados, desvalorizados ou privilegiados?

Como o "envelhecimento" da população brasileira, tem-se falado muito da importância do bem-estar dos idosos. Em sociedades como a indiana e a japonesa, por exemplo, o velho é a figura mais importante da família e da comunidade. No Brasil, alguns sociólogos afirmam que, se um país precisa de um "estatuto dos idosos" (ou seja, de uma lei) para lembrar a respeitabilidade deles, isso indica que algo está muito errado...

Por outro lado, há tantos privilégios sociais em torno da "terceira idade" (meias-entradas, ausência de filas, empréstimos especiais) que os "não velhos" se consideram prejudicados. O idoso, no Brasil - com ou sem rendimentos próprios - é valorizado, desrespeitado ou privilegiado?

Vejo que o nosso país, tido como uma nação que foi colonizada pelos portugueses e ainda uma educação voltada para a população jovem em detrimento ao idoso, devido à expectativa de vida; apresenta uma herança cultural que reflete em nossa sociedade a valorização da classe infantil e jovial.

Diante dessa situação, é natural que à medida que o país fica mais velho, aparece uma população da terceira idade que não houve uma atenção por parte dos governos, assim essa camada vai perdendo benefícios que chegam ao extremo de considerá-los como um “peso” à família, ao governo, à comunidade brasileira.

Com isso, busca-se compensar essa política que não assistiu a essa categoria, criando então formas para mostrar o respeito e a dignidade deles, lógico que se estabelece essa comparação medíocre, até pelo fato da insipiência das pessoas.

Vejo que devemos sim curvarmos aos nossos “velhos”, porque a razão de estarmos aqui, são deles. São pessoas que contribuíram com a família, com o trabalho, com a tecnologia....enfim, com o país.

Por: Prof. Roberto Tsunokawa: Graduado em Farmácia e Letras pela UFSM; especialização em Psicopedagogia; professor licenciado (especialização PDE/UEM) da rede pública do Paraná; vereador na legislatura 2005-2008; candidato a prefeito nas eleições municipais de 2008.

2 Comentários:

Às 6/11/09 9:23 AM , Blogger luciano disse...

parabéns pelo texto prof Roberto eu na minha forma de pensar e no que diz respeito ao idoso ainda acho que é muito pouco a atençao da sociedade com eles,primeiramente cada familia tem que ser responsavel pelo seu idoso e fazer valer os seus direitos garantidos pela lei. estou de acordo com a politica do governo federal em apoio ao idoso pois avançou muito nesses últimos 5 anos mas ainda falta melhorar alguma coisa e com certeza tem um projeto para a terceira idade nesses últimos meses.também vejo muitos avanços na questao social de amparo ao idoso como é o caso do BPC-(BENEFICIO DE PRESTAÇAO CONTINUADA) que é um beneficio para aquelas pessoas de baixa renda que nao conseguem aposentar quando chegam na idade certa para a aposentadoria , mas esse trabalho tem que ser melhor divulgado pois o MDS(MINISTÉRIO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL)fez um levantamento e o recurso que o governo federal liberou para esta finalidade tinha sido bem pouco usado ou seja as prefeituras através da SECRETARIA DE AÇAO SOCIAL é quem deve levantar os cadastros das pessoas formular toda a documentaçao necessaria e gratuita e enviar para a ASSISTENCIA SOCIAL DA PREVIDENÇIA que vai dar o parecer final, MAS TODA ESSA AÇAO PRECISA SER DIVULGADO POIS ME LEMBRO MUITO BEM QUANDO UM REPRESENTANTE DO MDS VEIO AQUI EM NOVA LONDRINA E EM UMA REUNIAO FALOU QUE TEM DINHEIRO PARA ESSA FINALIDADE MAIS O MUNICIPIO ESTAVA MUITO LENTO COM OS CADASTROS.

 
Às 6/11/09 9:51 AM , Anonymous Anônimo disse...

Parabéns pelo texto!!!
Nossos idosos precisam de mais atenção maior comodidade, pois,contribuiram muito para o crescimento de nossa sociedade!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Início



Free counter and web stats