22 setembro 2009

Pré-Sal: O Brasil e o Mundo

A recente descoberta pela Petrobrás de jazidas de petróleo e gás em águas ultraprofundas no mar vai mostrar ao mundo um Brasil como potência. Hoje temos reservas em torno de 14 bilhões de barris, imagina 50 bilhões de barris de petróleo segundo previsão da Agência Nacional de Petróleo nessa camada de pré-sal.

Está em debate no Congresso Nacional o novo marco regulatório do petróleo, que irá proporcionar essa riqueza a melhoria da qualidade de vida do nosso povo. É o momento de todo cidadão estar conhecendo esse documento, discutindo e contribuindo com ideias, enviando propostas aos Deputados Federais e Senadores.

Há quatro projetos no Congresso sobre essa questão: mudança do sistema de exploração para o regime de partilha; de uma nova estatal para administrar as reservas; da criação de um fundo para onde são destinados os recursos; e da capitalização da Petrobrás.

A retirada de petróleo do pré-sal deve começar a ganhar escala a partir de 2015. Essa riqueza deverá beneficiar igualmente a todos os Estados, a partir da revisão da atual política de royalties que hoje beneficiam apenas 16% dos municípios brasileiros. Com o governo Lula, o Brasil está preparado política, econômica e tecnicamente para enfrentar este desafio agregando valor ao petróleo bruto, de modo a exportar seus derivados que valem muito mais. A exploração e comercialização do pré-sal proporcionam segurança energética e blinda o país contra uma crise de escassez do petróleo prevista pelos especialistas para acontecer em 40 anos.

A energia que move o Brasil é extraída do enfrentamento com sucesso pelo governo federal do desafio nacional de ampliar e qualificar nossa matriz energética. Vincula-se assim a exploração do petróleo no pré-sal, ao desenvolvimento de energias limpas e renováveis, como o etanol e o biodiesel. É o Brasil potência que sai forte da crise econômica destacando-se na nova geopolítica mundial, acelerando seu crescimento econômico, criando empregos e proporcionando qualidade de vida a todos brasileiros.

Portanto, é a hora de todas as pessoas participarem através dos movimentos sociais, empresariais, políticos, religiosos com o intuito em colaborar com posicionamentos enviando aos nossos representantes em Brasília para que tenhamos uma eficiente elaboração do documento que irá regular sobre esse ouro negro.

Por: Prof. Roberto Tsunokawa: Graduado em Farmácia e Letras pela UFSM; especialização em Psicopedagogia; professor licenciado (especialização PDE/UEM) da rede pública do Paraná; vereador na legislatura 2005-2008; candidato a prefeito nas eleições municipais de 2008.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats