30 setembro 2009

Campanha eleitoral pela Internet:

Se o Projeto que foi aprovado na Câmara Federal, for sancionado pelo Presidente Lula, teremos as seguintes mudanças já para a Eleição de 2010:

Propaganda na internet: Antes ignorada pela legislação, a propaganda eleitoral na internet passa a ser permitida e os candidatos são autorizados a usarem redes sociais, como Orkut, Twitter e Facebook, para fazer propaganda. A nova regra proíbe apenas os anúncios pagos (em portais de notícias, por exemplo), além de propaganda em sites de pessoas jurídicas ou de entidades da administração pública.

Doações: A proposta prevê um modelo baseado nas eleições de Estados Unidos, em que doadores podem usar a internet para contribuir com os candidatos. Neste caso, as doações podem ser feitas por cartão de crédito, antes vedadas pela legislação eleitoral. A legislação também permite doações por boletos bancários e transferência entre contas.

E-mails e SMS: A propaganda por meio de mensagem eletrônica (e-mails ou mensagens para celular, por exemplo) também é autorizada pela nova proposta. O candidato, porém, precisa incluir na mensagem uma opção para quem quiser se descadastrar e parar de recebê-las. Outra restrição é a de que as listas de destinatários precisam ser próprias do candidato, ou seja, os candidatos não podem comprar essas listas de empresas que vendem o serviço.

Direito de resposta: Candidatos que foram ofendidos por meio da internet podem procurar a Justiça para obter seu direito de resposta. A divulgação desta deve ocorrer em até 48h, na mesma página, local, horário e tamanho do usado na ofensa. O tempo de exposição da resposta não pode ser menor que o dobro do tempo em que a mensagem considerada ofensiva ficou no ar. Debates: A nova regra permite que os debates com candidatos na TV, rádio ou internet aconteça sem todos os candidatos, com a participação apenas com dois terços deles. Antes, todos os candidatos de partidos com representantes na Câmara precisavam ser convidados.

Pelo que estamos presenciando, as próximas eleições terão a tecnologia em franca expansão, já se tem marqueteiros sendo contratados por partidos, pois a concentração de eleitores jovens é forte na internet.Vão usar de todos os recursos audiovisuais para conquistar esses eleitores que farão a diferença nos próximos pleitos.

Por: Prof. Roberto Tsunokawa: Graduado em Farmácia e Letras pela UFSM; especialização em Psicopedagogia; professor licenciado (especialização PDE/UEM) da rede pública do Paraná; vereador na legislatura 2005-2008; candidato a prefeito nas eleições municipais de 2008.

1 Comentários:

Às 1/10/09 10:25 AM , Blogger Cássio Augusto disse...

Sou favorável a liberação ampla, geral e irrestrita da campanha pela Internet, o meio mais democrático, onde o poder econômico do candidato ñ faz a diferença!!!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats