20 agosto 2009

Vinte anos sem Raul:

Parece que foi ontem, mas, 20 anos nos separam daquela segunda-feira de 21 de agosto de 1989. Neste dia, perdíamos o maior nome do Rock nacional, Raul Santos Seixas, o Raulzito, maluco beleza, saía do palco da vida deixando órfão uma legião de fãs.

Baiano de Salvador, o menino Raul foi um homem além do seu tempo e espaço e num estilo único consagrou-se como um dos maiores nomes da música popular brasileira.

Como tantos outros, foi perseguido pela censura que imperava durante os governos militares, Raul Seixas imortalizou-se com músicas como Gita, Ouro de tolo, Mosca na sopa, Metrô linha 743 entre outras que veemente criticava e protestava contra o sistema então vigente.

A grande diferença de Raul está além de seu estilo despojado, supera o homem aparentemente louco criticado pelo consumo excessivo de drogas. Raul se imortalizou pelo estilo próprio, por sua forma única e inteligente de fazer música. Neste deserto de artista de qualidade, nesta carência por músicas que fazem sentido, poucos nomes entraram e entrarão para a história como o nome de Raul Seixas.

Os fãs de Raul são muitos, fãs contemporâneos a ele, privilegiados que viram e ouviram o maluco beleza dar o seu recado. Raul Seixas fez fãs na vida e na morte, é grande o número de pessoas que postumamente se renderam, que reconheceram e aderiram ao Raulseixismo.

Talvez Raul Seixas não seja o modelo ideal a ser seguido; talvez. Talvez também, a sua forma de andar contra a ordem o faça um louco, isso depende do ponto de vista de quem o vê, muitos o consideram um gênio exatamente por ele ser o que foi. Mas com certeza Raul foi e será por longos anos um nome de referencia. 20 anos sem Raul, a música popular sente a sua falta. Viva Raul, Viva Raul.

Por: Mateus Brandão de Souza. Graduado em História pela FAFIPA e fã de Raul Seixas.

5 Comentários:

Às 20/8/09 2:56 PM , Anonymous Ricardo Ronda disse...

Lí no ar, nesta quinta meu camarada. Adorei o texto e joguei como vovó já dizia ao vivo para remememorar. Continua assim!

 
Às 20/8/09 5:33 PM , Blogger Mateus disse...

Fiquei muito orgulhoso, obrigado. Viva Raul.

 
Às 20/8/09 5:46 PM , Blogger Cássio Augusto disse...

quem nunca gritou o "toca Rauuuullll"?!?!?!

 
Às 20/8/09 6:29 PM , Blogger Parreiras Rodrigues disse...

Mateus: Conheci São Thomé das Letras nas Minas Gerais. Raul era visitante assíduo de São Thomé. Aquilo não existe. Toda a pavimentação em pedras de ardósia e assentadas irregularmente. O carro anda aos pinotes. Lá, se come uma variedade de cogumelo que deixa a gente chapada. Aliás, chapados a gente encontra aos mil, nas calçadas, nas praças. É frequentada por etês que se misturam com a população local. Abriga dezenas de cachoeiras e corredeiras para esportes radicais. É muito visitada por naturistas, esotéricos e gente de espírito superior, isto é, não contaminaos por sentimentos mesquinhos como inveja, maldade, raiva, preconceituosidade. Os guias de turismo levam a gente numa cachoeira que dizem começar no México e que seviu de fuga quando da invasão dos espanhóis. Paulo Coelho também vai lá. Ou ia, com Dom Raul. Minha homenagem ao grande filósofo, utopista, e, sobretudo, o nosso rei do rock! Parreiras Rodrigues, jornalista do dep. Luiz Accorsi.

 
Às 20/8/09 10:25 PM , Anonymous Anônimo disse...

tive o prazer de assistir um dos ultimos show de raul seixas. ja no final de sua vida. raul foi um dos icones do rock nacional.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats