23 julho 2009

A virgindade é um valor moral a ser preservado?

Tanto a vida sexual precoce de muitos adolescentes quanto a opção pela virgindade são motivo de polêmicas. Nestes tempos de tolerância, ou permissividade, a castidade até o casamento volta a ser valorizada pelos jovens, como era por seus bisavós. Numa inversão de papéis, muitos pais da geração dos anos 1960 consideram seus filhos conservadores. Outros suspiram aliviados, ou porque são religiosos, ou porque têm medo de doenças sexualmente transmissíveis, ou, ainda, porque acham que a virgindade é sinal de juízo. Entre os jovens, há guerras de opinião em blogs e comunidades da internet. A virgindade até o casamento é ou não importante para o relacionamento de um casal?

Essa é uma questão que domina a maioria das famílias brasileiras e maior ainda entre os jovens de todas as camadas sociais. O contato com jovens coloca-nos frente a essa problemática, percebemos que os meninos estão mais retraídos a essa situação pelo fato de amadurecerem sexualmente muito após as meninas e também o medo de contraírem as DSTs, o que fazem pensar muito antes de terem relações sem vínculos, o tal do “ficar”. Um outro motivo é que a banalidade do sexo dificulta um sentimento que favorece algo mais íntimo, um vínculo que os fazem ter segurança com o outrem.

As meninas já apresentam um comportamento mais respeitoso, não só pela questão moral e religiosa, mas sim pela mídia que expõe a classe feminina como provocadora, apelativa ao sexo fácil. Essa imagem distorcida, fazem-nas cautelosas, influenciando em suas expectativas de preservar a pureza, o bem-estar de sua feminilidade, levando-as a se cuidarem de seu corpo e, principalmente, a sua dignidade, a seus sentimentos íntimos como exemplo à sua e/ou futura família.

Quanto à importância ou não da virgindade, isso não é razão para que venha interferir no relacionamento de um futuro casal, até porque se houver afinidades social e educacional, isso não será barreira para que haja conflitos que trarão conseqüências ruins.

Por: Prof. Roberto Tsunokawa: Graduado em Farmácia e Letras pela UFSM; especialização em Psicopedagogia; professor licenciado ( especialização PDE/UEM) da rede pública do Paraná; vereador na legislatura 2005-2008; candidato a prefeito nas eleições municipais de 2008.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats