16 abril 2009

Política assistencialista:

... “Seu Doutor uma esmola
para o homem que é são
ou lhe mata de vergonha
ou vicia o cidadão”...
( Luis Gonzaga – Zé Dantas )

A política assistencialista, parte do princípio de se tirar proveito da miséria alheia e desta forma pousar-se como herói incontestável. É quando o político ciente da condição precária ou da má qualidade de vida do cidadão, lhe oferece um alívio momentâneo que refresque por tempo limitado a situação deplorável em que vive este determinado cidadão.

A fome por exemplo, só quem passou por ela é capaz de saber sua real crueza, sua verdadeira voracidade, e quando aparece alguém ofertando um prato de comida, o faminto tem por este alguém, uma infinita e leal gratidão.

É a vida de gado de um povo que mesmo marcado ainda consegue esboçar sinais de felicidade. A política assistencialista é formada por políticos muitas vezes inescrupulosos que se escondem por trás de uma suposta boa ação para desta forma tirar proveito próprio.

É saber jogar sujo, e aos olhos das vítimas parecer limpo, é aprontar e ser respeitado ou defendido pelo povo. Não importando suas ações, o político que pratica o assistencialismo está isento de críticas pois se encontra protegido pelo escudo blindado do rouba mas faz.

É na ausência de dignidade social que se prolifera o assistencialismo, é na condição desconfortável do pobre que o político lhe rouba a consciência, é em sua saúde frágil, na escassez de seu dinheiro que o pobre sente pelo político uma enorme gratidão e quando não, uma paixão idolatrada.

A política assistencialista está longe de ser uma política socialista, a primeira é ilusória, enganadora, parece boa mas é egoísta, pois serve especialmente para promover políticos onde estes perpetuam-se no poder, a política assistencialista não combate a miséria não lhe é interessante este combate. A política socialista, prima pela melhor distribuição de renda, visa oportunidades onde o pobre possa ser capaz de suprir suas necessidades com condições básicas de dignidade.

Não é interessante o fim da miséria para o político assistencialista, pois a miséria do cidadão condiciona o político permanecer no poder como cordeirinhos quando na verdade são lobos devoradores.

Se não houver meios de se fazer uma política limpa, onde os princípios de dignidade seja para todos os cidadãos viveremos presos às vontades das classes dominantes que não se mobilizam para o fim da miséria instalada neste país e também nesta América.

É preciso livrar-nos desta pratica e termos a consciência de que o assistencialismo como promoção eleitoreira é um terrível tumor que deve ser arrancado das entranhas da política e da consciência do eleitorado.

É no entanto dar ao homem, não unicamente o peixe, mas proporcionar condições para que este mesmo homem pesque com autonomia, sem subordinação. A política justa, parte do princípio onde as pessoas não tenham que viver de esmolas, mas que tenham condições auto-suficientes para suprir o mínimo de suas necessidades.

Abaixo a política assistencialista com sua hipocrisia podre e egoísta, política insana que sobrevive da famigerada miséria de seu povo.

Por: Mateus Brandão de Souza – graduado em História pela FAFIPA.

9 Comentários:

Às 16/4/09 1:06 PM , Anonymous Anônimo disse...

os governos não só de LULA, mas tb DE FHC, usam e sempre continuarão usando as políticas assistencialistas, para manterem seus currais eleitorais.eu deixo uma pERGUNTA? SE NÃO FOSSE O BOLSA FAMÍLIA,E OUTROS PROGRAMAS ASSINTENCIALISTAS SERA QUE LULA SERIA REELEITO? LEMBRANDO QUE NÃO SOU PT ,NEM PSDB. SOU SIMPATISANTE DO PSTU.

 
Às 16/4/09 4:07 PM , Anonymous Arthurius Maximus disse...

O mais estranho é que é justamente por essa vereda que todos os nossos governos vão. exatamente por isso, digo sempre que nos sobram políticos e nos faltam estadistas.

É muito mais cômodo dar as "bolsas-qualquer-coisa" sem exigir nada em troca do que obrigar as pessoas a se educarem e a melhorar de vida através de ações que fomentem as economias locais.

Isso dá muito trabalho e não rende nada para eles. O assistencialismo nada mais é do que uma forma bonitinha de escravidão.

 
Às 16/4/09 6:17 PM , Anonymous PROF ROBERTO disse...

ACREDITO QUE HÁ PESSOAS QUE NÃO CONHECEM OS PROGRAMAS QUE O GOVERNO DO PT TEM PARA A SUSTENTABILIDADE DE UMA SOCIEDADE IGUALITARIA, PORQUE NÃO SAO ASSISTENCIALISTAS, APENAS OPORTUNIZA QUE AQUELES QUE AINDA ESTÃO NA LINHA DA MISÉRIA POSSAM TER VIDA DIGNA E A PARTIR DAÍ PODEREM BUSCAR AS MELHORIAS...UMA LEITURA É SEMPRE BEM-VINDA...

 
Às 16/4/09 9:36 PM , Blogger luciano disse...

investimentos em EDUCAÇAO e cursos PROFISIONALIZANTES e abaixo esse assistencialismo.

 
Às 17/4/09 12:26 AM , Blogger Cássio Augusto disse...

Concordo com o Professor Roberto... aliás... publiquei aqui no Blog em 2006 uma reflexão sobre o Bolsa Família... leiam!!!

http://cassionl.blogspot.com/2006/08/reflexes-sobre-o-programa-bolsa-famlia.html

 
Às 17/4/09 7:29 AM , Anonymous Mateus disse...

O foco do texto não foi especificamente desmerecer o bolsa família, desde que esta política esteja ajudando o cidadão de baixa renda suprir necessidades básicas para a partir daí ter uma vida dígna, é óbvio que seja um programa plausível. Se praticado na forma onde além do auxílo, o cidadão beneficiado encontre oportunidades para ser inserido num convívio social igualitário, o bolsa família é sem dúvida uma prática que prima pelo social e que intenciona tirar o pobre da margem da sociedade.

A crítica em sim foi em torno de práticas de carater unicamente eletivas, onde o político compra um voto aqui, doa uma cesta básica ali, uma passagem de onibus para acolá e com essas práticas se tornam ídolos, conquistam a simpatia do povo que ignora tudo que de fato ocorre de horrendo por trás dos bastidores da política.

 
Às 17/4/09 1:10 PM , Anonymous Anônimo disse...

ÉSSA POLITICA DE ASSISTENCIALISMO. JA É PRATICADA EM VARIOS GOVERNOS LATINO AMERICANOS, ENTRE ELES O DE HUGO CHAVES NA VENEZUELA. UM DOS MAIORES PRODUTORES DE PETRÓLEO DO MUNDO. É BOM LEMBRAR QUE ANTES DE BOLSA FAMÍLIA, DESCARACTERIZARAM O PROGRAMA ORIGINAL, QUE NA VERDADE ERA O BOLSA ESCOLA.CRIADO PELO ENTÃO GOVERNADOR DO DF HOJE SENADOR, CRISTÓVÃO BUARQUE.MAS COMO ESSE PAÍS A EDUCAÇÃO ESTA EM ULTIMO PLANO, TRANFORMOU-SE O PROJETO ORIGINAL NESSE BOLSA VOTOS.

 
Às 30/10/09 12:47 PM , Blogger Cláudio Henrique disse...

Sou jornalista, trabalho na Rede Minas de televisão,em BH. No próximo dia 12 vou fazer um pgm sobre assistencialismo. Gostaria de participar das conversas e conversar [por telefone] com pessoas que conhecem bem o assunto. Com certeza vai me ajudar na produção de um programa bem bacana [sem levantar bandeiras. A proposta é levar informação clara e objetiva aos cidadãos. Mas não pretendemos chamar políticos e sim pessoas da sociedade em geral - nosso público-alvo].
Cláudio Henrique - (31) 3269-9059
claudiohvieira@gmail.com

 
Às 12/11/11 6:19 PM , Blogger MICHAEL disse...

MICHAEL B. GOMES academico de História Fafipa, o que penso é que Bolsa Família é assistencialismo sim e gera muitos votos, porém tem seus benfícios para a sociedade,mas só quem trabalha diretamente com a Saúde no SUS com as classes mais baixas como eu, sabe realmete o que muitos fazem com a Bolsa Familia, a População ela precisa de um trabalho de educação até mesmo para usar o SUS e todos os programas que o governo pode ofertar porque o Brasileiro quase de um modo geral não é educado para isso. A coisa é muito bonitinha no papel mas viver na prática não é bem assim.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats