19 março 2009

Haiti:

Século XVIII, do Haiti provinha a maior produção açucareira do mundo ocidental, a escravidão do negro era uma realidade explícita, no Brasil por exemplo, o trabalho escravo só teria fim noventa e sete anos depois daquele memorável acontecimento que se deu no Haiti.

Corria o ano de 1791, os franceses eram os colonizadores desta parte das Antilhas, o Haiti, importante colônia produtora de cana-de-açúcar, onde vivia uma imensa população de homens, mulheres e crianças de cor negra, subjugados pela escravidão e maltratados pelo penoso trabalho da cultura do açúcar. Porém, um levante do povo negro escravo no Haiti, poria um fim ao julgo em que eram submetidos e a revolução haitiana entraria para a história sendo a mais importante ação anti-sujeição do povo negro africano e escravo nas Américas.

Os colonizadores franceses foram expulsos e mortos, e a população escrava do Haiti assumiria o país onde a monocultura do açúcar enriqueceu muitos europeus exploradores. Embora tenha sido omitida, sendo assunto falado apenas nas rodas dos senhores de escravos para não motivar levantes nas demais colônias dispersas na América, o povo negro de todo este continente era ciente do que se deu no Haiti e se orgulhavam deste feito, desde então, a revolução daquele país inspirou muitos negros lutar por sua liberdade nos pontos mais dispersos da América escravocrata.

Após a derrota dos franceses, a Inglaterra ainda tentou invadir as terras haitianas, ocupar o Haiti era motivo de honra, pois tomar uma ex-colônia outrora pertencente aos seus arqui-rivais franceses, seria para a Inglaterra uma auto massagem no ego e uma maneira de mostrar a fragilidade e incompetência da França. Porém, a Inglaterra também se esbarrou na resistência dos guerreiros haitianos e em 1793, os ingleses foram derrotados tornando a revolução haitiana muito mais importante e vitoriosa, uma vez que derrotou as duas maiores potencias capitalistas do século XVIII.

Hoje talvez nos perguntamos, o que aconteceu ao Haiti, que frutos foram colhidos dessa revolução, que caminhos percorreu este país para se tornar o que é hoje? Tal como se sucedeu com Cuba no século XX, ao Haiti do século XVIII foi imposto um embargo comercial, e aquele país devido sua revolução, deixou de ser o maior exportador de açúcar para a Europa .

Vitimados pelo isolamento capitalista, e por indenizações pagas a investidores estrangeiros, o Haiti pode não ter se tornado um país de fato independente economicamente, mas certamente se tornou desde sua revolução no século XVIII, um importante exemplo de luta de classes, onde o povo negro, sujeito a escravidão, quebrou as correntes e derrotou seu principais algozes. Este é o orgulho haitiano, a honra deste povo guerreiro que enquanto a escravidão negra era vigente, foi uma ameaça e um temor a toda America dominada por escravocratas.

Por: Mateus Brandão de Souza. Graduado em História pela FAFIPA.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats