11 março 2009

Dignidade:

A sociedade mundial apresenta como elo de convivência entre os povos , a dignidade. Sabe-se que a cada conflito gerado no planeta, o rompimento aconteceu pelo fato de as pessoas não observarem o respeito de limites e condições às partes envolvidas. Como manter a dignidade, mesmo que essa seja transgredida entre povos e pessoas?

Observa-se que as nações passam por momentos delicados na economia, conseqüentemente desencadeando dificuldades em setores vitais da humanidade como educação e o aspecto social. Pela globalização, o Brasil, de uma forma, é afetado por isso.

Esse transtorno faz a concentração de renda ser distribuída de forma desequilibrada, em vez de Ter sido equânime entre os povos, favorecendo o aniquilamento do processo educacional-social.

Em nosso país, a situação é semelhante, a valorização do setor educacional e social é inexistente, pois o sistema capitalista não prioriza a produção intelectual e uma qualidade de vida essencial aos seres humanos, pelo contrário, busca-se a massificação de pessoas a não-pensar.

Isso contribui para que os princípios de um cidadão sejam ignorados, o ser humano não tem acesso a informação que o leve a conhecer os seus direitos, já é educado para cumprir com os deveres.

A partir dessa visão, entende-se que a dignidade será preservada se todos tiverem a oportunidade de Ter uma escola pública de qualidade, sejam proporcionados aos indivíduos o lazer, a cultura, a liberdade de expressão, enfim, qualificação no saber e na vida social.
A manutenção da dignidade parte da questão que o homem que pensa, raciocina e que esteja inserido em uma sociedade democrática possa viver em plena satisfação, garantindo o respeito entre os elementos que integram a comunidade.

Portanto, a educação e o social valorizados, com certeza, não teremos à mostra a corrupção generalizada em setores governamentais, como a administração financeira, educacional e social que assola o mundo e o nosso país na atual conjuntura. Ter-se-á, sim, um país digno com dignas pessoas.

Por: Prof. Roberto Tsunokawa: Graduado em Farmácia e Letras pela UFSM; especialização em Psicopedagogia; professor da rede pública do Paraná; ex-vice diretor do Colégio Ary João Dresch; vereador na legislatura 2005-2008; segundo colocado nas eleições municipais de Nova Londrina com 35% dos votos.

1 Comentários:

Às 11/3/09 7:31 PM , Blogger luciano disse...

concordo com suas palavras professor Roberto e com certeza somente com apoio total a Educaçao e que vamos conseguir alcançar o desenvolvimento e a transparençia pública que tanto almejamos para o nosso povo.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats