03 outubro 2008

Contra burguês, vote 16.


Quem nunca ouviu este bordão do PSTU? Eu sempre adorei. É bastante instigante, principalmente durante o período eleitoral onde os burguês se camuflam de “amigos dos pobres” para angariar seus votos e etc. Sempre tive vontade de votar 16 só pra dizer que votei contra burguês. Só que tem uma coisa que eu descobri há pouco tem e que me deixou muito decepcionado. Se eu votar 16 estarei votando NULO. Não entendeu o motivo? Então vamos explicar melhor...

O PSTU é fruto de uma dissidência interna no PT. Foi fundado no ano de 1994 e tem como maior e único líder o eterno candidato à presidência Zé Maria. O PSTU, apesar de constituir-se enquanto partido político e participar do processo eleitoral, não acredita no mesmo. Para o PSTU, a eleição é apenas uma forma de “aparecer na Rede Globo e fazer discurso”. Até aqui tudo bem, eu particularmente também acho esta democracia eleitoral burguesa uma grande farsa.

No entanto, o que me incomoda mesmo, é o fato de que, se o PSTU chegar a eleger algum vereador, este pedirá renúncia no primeiro dia de seu mandato. O motivo? Eles querem a revolução e acham que participar do debate no congresso é “uma perda de tempo”. Eu até entendo e respeito seus argumentos, mas nem todo eleitor sabe disso. Portanto, o PSTU está enganando boa parte do seu eleitorado. Não posso admitir isso. É com mentiras que se faz a revolução?

Apesar de achar muito interessante o vigor militante do pessoal do PSTU, não suporto o “8 ou 80” deles. Também quero o “80”, mas tenho a consciência de que não será atingido do dia para a noite, muito menos com a tomada do governo por um golpe armado. O “Ocidente” do século XXI não possibilita mais isso. Como a caminhada é longa, precisamos defender as conquistas e continuar lutando (já me manifestei aqui sobre o ProUni e a Conlute, órgão aparelhado pelo PSTU). Pior de tudo é que os militantes do PSTU acreditam que estão conduzindo o Brasil para a Revolução Socialista. Me perdoem, mas acho que o Brasil que eles vivem é diferente do que eu vivo. Caros companheiros do PSTU, não caiam no mesmo erro histórico cometido pelo PCB ao se acharam a “vanguarda da luta” mas que na realidade não possuem qualquer inserção social.

Contra burguês, vote 16. Mas vote sabendo que seu candidato não estará na câmara defendendo seus interesses na próxima legislatura.

3 Comentários:

Às 4/10/08 4:43 PM , Blogger Mauro Sérgio disse...

Cássio, eu certamente compartilho com você a admiração pelo entusiasmo do pessoal do PSTU. Principalmente porque eu os conheço do movimento sindical de bancários aqui do Rio, onde eles sempre foram respeitados como sinônimo de organização e combatividade, mesmo entre seus adversários políticos.

Contudo, há algumas incorreções em relação a o que você coloca sobre o programa do PSTU.

É fato que realmente o PSTU denuncia a farsa do processo eleitoral burguês e defende que as mudanças viriam de uma revolução e não das urnas. Só que, diferentemente do que está no texto, eles defendem a revolução no sentido trotskysta, ou seja, pela insurreição popular. Trata-se do povo indo as ruas e exigindo a derrubada do governante e não de um golpe armado. Eles, aliás, são bastante críticos ao modelo cubano, por exemplo.

O modelo de revolução defendido pelo PSTU também não é nada distante ou anacrônico na história ocidental recente. Basta ver os movimentos que depuseram presidentes na América do Sul recentemente para constatar que ele é absolutamente viável. Nos últimos dez, quinze anos, a Bolívia, a Argentina e a Venezuela foram sacudidas por insurreições populares. Que só não desembocaram em uma revolução por falta de uma direção voltada para esse fim, que é o que eles pretendem ser.

Também não é verdade que seus militantes defendam que tal revolução viria de um dia para outro, muito pelo contrário. Ela é uma construção lenta e constante, baseada em condições objetivas que as próprias mazelas causadas pelo capitalismo irão propiciar.

Por fim, também não é verdade que qualquer político eleito pelo PSTU vá renunciar no primeiro dia de seu mandato. Ele apenas irá priorizar a construção das condições para tal revolução em detrimento da atividade parlamentar ordinária. Será muito mais fácil vê-lo nas ruas em uma greve, por exemplo, do que numa votação em plenário.

Lênin sempre frisou que os revolucionários têm um papel a cumprir nas eleições, e é esse papel que o PSTU procura desempenhar.

PS: ao contrário do que possa parecer pelos resultados eleitorais, o PSTU tem considerável inserção social em algumas categorias profissionais, pelo menos aqui no Rio. Bancários e profissionais de educação são os exemplos mais significativos, onde eles são referência para os trabalhadores, mesmo quando não estão na direção orgânica das entidades sindicais.

PS2: A construção de organismos de duplo poder, como a Conlute, está no programa do PSTU. Nada mais normal que eles sejam a tendência majoritária dentro da entidade. Ainda assim, ela dá de dez a zero na UNE em termos de independência e democracia interna.

E, convenhamos, o Prouni realmente é uma conquista, mas para os empresários do ensino, que recebem isenções fiscais para ocupar suas vagas ociosas. Um dinheiro que poderia ser bem mais usado no fortalecimento e no aumento de vagas nas Universidades Públicas.

Espero ter contribuído com o debate. Forte abraço!

 
Às 16/10/08 4:41 PM , Anonymous Arthurius Maximus disse...

Qualquer radicalismo é imbecil. Se você sondar mesmo. Verá que por trás de toda essa "revolta" contra o sistema estão as gordas verbas do fundo partidário...

 
Às 25/10/08 9:27 PM , Blogger Wilson Rezende disse...

Gosto de visitar o seu blog Causio para ver as besteiras que você fala, eu morro de rir, é muita burrice para uma pessoa só ahahahahahahahahaha.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats