08 outubro 2008

Balanço do 1º turno:


Depois de três meses de intensa campanha, horários eleitorais, militantes nas ruas, cabo eleitoral entregando santinho e balançando bandeira pelas nossas calçadas e claro, muita, mas muita compra de votos em troca de uma cervejinha, uma carne para o churrasco do fim de semana, a conta de luz, um milheiro de lajotas para erguer o muro de casa, a cesta básica, óculos de grau, e muitas outras coisas (poderia fazer um post apenas listando isso), chega ao fim o martírio eleitoral, pelo menos na grande maioria das cidades brasileiras.

Alguns resultados merecem ser comentados aqui. Primeiro é sobre as pesquisas eleitorais de intenção de voto, que apesar dos vários acertos, também ocorreram vários erros, seja no vencedor das eleições, seja na diferença de votos. Precisamos repensar a divulgação de pesquisas eleitorais, porque muitas vezes elas não refletem a realidade e acabam se transformando em grande elemento de propaganda política, ainda mais sabendo que boa parte do eleitorado vota naquele candidato que “está na frente” para “não perder o voto”.

O PMDB continua sendo o maior partido do país. Elegeu 1194 prefeitos neste fim de semana, mais que em 2004. O PSDB continua em segundo lugar com o comando de 780 prefeituras, menos que a quatro anos. O grande derrotado foi o DEMOcratas (ex-PFL, ex-PDS, ex-ARENA, históricos ditadores) que caiu do terceiro lugar no número de prefeituras em 2004 para o quinto lugar com 494. O PT, mesmo tendo colado seus candidatos na figura do presidente Lula, não conseguiu obter o resultado esperado, apesar do considerável aumento de prefeituras, passando das 422 para as atuais 548. Lembrando que excluímos o segundo turno.

Comentaremos ainda o resultado em algumas capitais. Em Salvador, enquanto as pesquisas apontavam ACM Neto (DEMO) garantido no 2º turno, acabou dando João Henrique (PMDB) e Walter Pinheiro (PT), dois aliados do Governo Federal. Em São Paulo, Gilberto Kassab (DEMO) venceu Marta Suplicy (PT) já no primeiro turno, e tudo indica que levará com facilidade também o segundo, ainda mais com apoio do PSDB. No Rio de Janeiro, Fernando Gabeira (PV) manteve a ascensão e deixou para trás tanto Jandira Feghali (PCdoB) como o bispo Marcelo Crivela (PRB) até então favorito para ir ao segundo turno com Eduardo Paes (PMDB), antigo opositor do Presidente Lula, mas que agora pretende contar com o apoio do Presidente. Por fim, Porto Alegre, depois de uma disputa que começou acirrada com vários nomes fortes como Luciana Genro (PSOL) Ônix Lorenzoni (DEMO), um chato de primeiro e Manuela D´Avila (PCdoB), o segundo turno ficará a cargo do atual prefeito José Fogaça (PMDB) e a deputada Maria do Rosário (PT), a disputa promete.

O Paraná confirmou o anti-petismo da população do Estado. O Presidente do Diretório Estadual não conseguiu sequer ir para o segundo turno em Londrina, André Vargas perdeu para o eterno corrupto Antonio Belinatti (PP) e para Luiz Carlos Hauly (PSDB). Em Maringá, deu a reeleição de Silvio Barros (PP), irmão dele mesmo, o deputado federal Ricardo Barros, já no primeiro turno, com o petista Enio Verri em segundo. Na capital Curitiba, o PT apostava todas as fichas em Gleisi Hoffman, esposa do Ministro Paulo Bernardo, mas Beto Richa (PSDB) venceu já no primeiro turno com esmagadora maioria.

2 Comentários:

Às 10/10/08 5:37 PM , Blogger necilda_s disse...

Olá, Cássio. Encontrei seu perfil no Orkut pesquisando sobre o historiador Mario Schimdt.(Estou terminando de ler as 800 e tantas páginas do seu "Nova História Crítica- Ensino Médio").

Um abraço.

 
Às 11/10/08 12:01 PM , Blogger Cássio Augusto disse...

Não acredito que esqueci de falar da compra de votos por combustível... acho até que a Justiça Eleitoral deveria fazer um levantamento pra ver qto aumenta o consumo de combustível nos três meses de campanha eleitoral!!!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats