06 junho 2008

Direita x Esquerda:


Embora certos setores editoriais ainda insistam em dizer que a díade Direita-Esquerda já morreu há tempos, o que na minha singela opinião, não passa de uma tentativa ideológica pós-moderna a favor do liberalismo e do “não há alternativas”, na prática a díade ainda sobrevive e no mundo acadêmico ela é ainda mais visível.

A excelente Revista eletrônica Espaço Acadêmico, em sua edição nº 84, de Maio deste ano, publicou uma resenha de Paulo Roberto de Almeida intitulada “Marxistas Totalmente Contornáveis”, que teria a pretensão de resenhar o livro “Incontornável Marx” organizado pelo professor Jorge Nóvoa. A resenha, ao invés de ser acadêmica, é tão somente um texto panfletário, nos moldes de Diogo Mainard e Olavo de Carvalho. Tal texto gerou polêmica em círculos marxistas, suscitando trocas de e-mails entre seus pares.

A edição nº 85 da Revista alimenta o debate, o próprio Paulo Roberto de Almeida publica mais um texto chamado “Manifesto Comunista, ou quase... dedicado a marquissistas à beira de um ataque de nervos (a propósito de uma simples resenha)”, um dos editores, publicou uma excelente e fundamentada defesa da revista “Em defesa da REA e da liberdade de expressão”.

Por fim, Mauro Castelo Branco de Moura publica na mesma edição da revista uma excelente resposta ao texto do Diplomata Paulo Roberto de Almeida, intitulada “Não li e não gostei! Espaço Acadêmico abriu suas páginas ao vitupério e à apologia do obscurantismo”.

Os textos podem ser um pouco longos, mas para quem se interessa, vale a pena a leitura e a reflexão. Mas, cadê o “fim da história”? A díade sobreviva, até mesmo para aqueles que tentaram enterra-la.

4 Comentários:

Às 6/6/08 6:17 PM , Blogger Sr. Burguês disse...

É difícil dialogar com alguém que já esta predeterminado a desqualificar a opinião dos interlocutores baseado apenas em sua própria visão ideológica de mundo, mas irei tentar:
A díade "esquerda e direita" e uma visão extremamente limitada de mundo, que não é capaz de abranger toda a plenitude dos espectros politico-ideologicos professados ao redor do globo. Isso em anda tem a ver com a idéia de que os liberais malvadões quererem impor uma única visão de mundo. É uma constatação lógica. Me responda: em que lado da díade estão 2 indivíduos: ambos defendem o livre-mercado e a propriedade privada, mas um deseja que o Estado controle a vida particular de cada cidadão, impedindo que esses pratiquem certos atos, ou pensem certas idéias, que contrariem uma determinada moral, ou seja, ele deseja que todos sejam iguais, pensem da mesma forma, ajam da mesma forma; enquanto o outro, por outro lado, defende que a vida particular, bem como as idéias das pessoas, não são passiveis de regulação e controle. Certamente, eles não pensam da mesma forma, apesar de seu pensamento deter algumas similaridades, entretanto, não podemos dizer que eles retêm a mesma visão politico-ideológica de mundo. Portanto, a díade esquerda-direita não pode ser representada nessa situação (e em muitas outras também), mostrando-se uma teórica falha. Existem outras formas, muito mais apuradas e que conseguem com um maior grau de exatidão, representar os valores e idéias políticas dos indivíduos.
Mas claro, vc não irá considerar isso, pois tudo que o que escrevi não passa de uma artimanha dos neoliberais de impormos nosso pensamento único, não é mesmo?
PS: Ainda estou no aguardo do desafio que te propus meses atrás, que vc me disse-se quais autores liberais e/ou capitalistas vc já leu.

 
Às 8/6/08 3:29 PM , Blogger guilhermo disse...

Vc ainda perde teu tempo discutindo com o Caricássio, sr. Burguês?
Até mesmo um cachorro notaria que discutir com ele é perda de tempo...
Ele é só mais um caipira tentando ser notado na vida... nada mais que isso...

 
Às 8/6/08 5:11 PM , Blogger Dorian disse...

Cássio,

Quem estaria orquestrando a denominada "tentativa ideológica pós-moderna a favor do liberalismo"??. Os atores capitalistas, caso você tenha esquecido, preocupam-se apenas com seu próprio bem-estar, conforme a doutrina de Adam Smith. Então é inverossímel a tese de formação de grupos para criar ou defender ideologias. Quando capitalistas se reunem é para falar de negócios, de lucro, de produção, de planejamento e de futuro.

A esquerda (e nisso concordo com você que ainda existem) é que tem a face voltada para o passado, para o que poderia ter sido. A esquerda não tem futuro pois está irremediavelmente presa ao reino da fantasia, das maquinações, das hegemonias e das contradições. A agenda da esquerda não é propositiva, é apenas questionadora sem apresentar alternativas e por isso é destruidora e não criadora. Sua motivação é o poder e a opressão é sua forma de mantê-lo.

Um fato como o que você relatou, de uma resenha de um livro causar tanto alvoroço é devido ao desespero que toma conta dos que ainda acreditam nas idéias ultrapassadas de Marx ao serem confrontados com a realidade e mais, temem que um simples artigo cause o efeito da deserção das idéias dos poucos que ainda insistem em crer na utopia socialista. Sabem que o artigo será mais lido do que o livro, por isso sua revolta.

Marx hoje diria: Pizza é o ópio do povo!

 
Às 12/8/08 10:49 PM , Anonymous Luís Henrique disse...

Se Marx fosse "tão ultrapassado" assim, por que diabos tantos se esforçam em combatê-lo, como o Paulo Roberto de Almeida e os três comentaristas acima? Perdem seu tempo "chutando cachorro morto"? Muito pelo contrário - tal atitude é a prova de que a econômica política marxiana ainda é relevante, por mais que os direita mais histérica goste de dizer o contrário.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats