13 fevereiro 2008

A confusa eleição estadunidense


Todo mundo tem acompanhado pelos noticiários as disputadas eleições estadunidenses, mas você ta entendendo como isso funciona? Nem eu. Mas vamos tentar discorrer um pouco sobre o tema.
Os EUA se vangloriam de serem os defensores da liberdade e da democracia pelo mundo afora, pois bem, mas estas prévias não parecem tão democráticas assim, cada estado tem um peso, existem os super-delegados que podem mais, Porto Rico tem direito a meio voto e por aí vai, sem falar que cada estado tem uma regra diferente.

Quanto aos pretendentes Republicanos:

Mike Huckabee é considerado ultra-conservador, contra o aborto, a união civil de pessoas do mesmo sexo, defende o direito ao porte de armas e duvida da Teoria da Evolução de Darwin e se não bastasse isso, é pastor batista, não costumo confiar em pastores, até hoje só conheci um que merecesse a minha consideração.

John McCain, tem a guerra como proposta, defende a guerra do Iraque e o aumento de tropas, ex-combatente do Vietnã, onde foi prisioneiro por cinco anos, descende de uma família toda de militares, não costumo confiar nesta herança genética. Que ele como jovem, não soubesse o que estava fazendo no Vietnã eu concordo, agora, depois de todos estes anos ele ainda insiste em defender aquilo, é inadmissível.

Pelo partido Democrata:

Hillary Clinton, sua grande capacidade é ser esposa do ex-presidente Bill Clinton e ter ficado mundialmente conhecida como a “corna mais famosa do mundo” quando seu marido Presidente admitiu ter feito sexo oral com uma estagiária, penso que isso lhe dá grande popularidade com as eleitoras, aliás, é a primeira vez que uma mulher tem grandes chances de chegar à Casa Branca. Talvez ela queira simplesmente dar o troco no maridão, afinal, chifre trocado não dói.

Barack Obama é o mais novo na disputa. Filho de um queniano com uma estadunidense, não teve uma infância muito fácil, o que não o impediu de estudar Direito em Harvard. É o primeiro negro com chances reais de assumir a Casa Branca. Possui grande popularidade entre o eleitorado negro e latino, os mais pobres dos EUA. O risco é ele trair a classe, como outros já fizeram.

Você sabe a diferença entre Republicanos e Democratas? Os Republicanos são os conservadores e os Democratas são os liberais. Os Republicanos são a Direito e os Democratas são a Esquerda, não que ser liberal seja ser de Esquerda, mas se comparado aos conservadorismo, o liberalismo é de Esquerda. Entendeu agora porque no Orkut existe a opção “liberal de esquerda”?

No entanto, estas diferenças não são muito significativas, “nada tão parecido com um saquarema como um luzia no poder” era como os brasileiros da época do Império falavam para dizer que os dois partidos eram “tudo farinha do mesmo saco”. Não é a troca de Republicanos por Democratas que mudará do dia para a noite a política externa estadunidense, até porque as grandes corporações mandam mais na Casa Branca do que imaginamos, mas eu gostaria de ver um jovem negro na presidência dos EUA.

8 Comentários:

Às 13/2/08 5:13 PM , Blogger Sr. Burguês disse...

Os Republicanos são os conservadores e os Democratas são os liberais. Os Republicanos são a Direito e os Democratas são a Esquerda, não que ser liberal seja ser de Esquerda, mas se comparado aos conservadorismo, o liberalismo é de Esquerda. Entendeu agora porque no Orkut existe a opção “liberal de esquerda”?


Rapaz... não sei se tu meteu os pés pelas mãos ou se simplesmetne não faz idéia do que esta falando e viajou legal, mas vou te explicar direito esse negócio:
Nos EUA, assim como nos demais paises de fala inglesa, o termo "Liberal", atualmente, não tem o mesmo significado que o "nosso" Liberal. "Liberal", lá, é um termo semelhante ao nosso esquerdista, e só é liberal na questão dos costumes, não na econômia, por exemplo. Nos EUA, o nosso liberal é chamado de Libertarian, e quase sempre estão filiados aos Republicanos, por razões pragmaticas (afinal, apesar deles concordarem com os conservatives na área econômica, são mais proximos dos democrats na área de costumes), ou então concorrem como independentes.
Tudo isso pra dizer que os Democratas não são Liberais, pelo menos não da forma que entendemos, e vc se confundiu ao tentar explicar isso.
No mais, só gostaria de dizer que se vc não entende como funciona o sistema de prévias dos EUA, não deveria dizer que não é um sistema democratico. Sua critica tem tanto valor quanto teria minha opinião sobre o sabor de uma salada de espinafre, sendo que eu nunca comi espinafre, ou seja, nenhuma.

 
Às 14/2/08 2:55 AM , Anonymous Arthurius Maximus disse...

Torço para Obama. está na hora de mudar "a cara de tacho" e a religiosidade hipócrita que caracteriza os presidentes americanos.

Faltou dizer que por lá, ao contrário do que muitos pensam, a eleição é indireta.

Sinceramente. O sistema deles é louco. Muito mais simples todo mundo ir votando e pronto. Elegem-se delegados; que elegerão os candidatos. Isso é tão absurdo como tantas coisas que eles fazem por lá. Aí o pessoal fica sem entender como o Bush ganhou tendo menos votos que o democrata.

Tenho certeza que, por trás desse sistema, há um forte conteúdo discriminatório que "filtra" candidatos com alguma possibilidade de "incomodar" as elites.

A maior prova disso é a insistência em "verder-se" a H. Clinton.


Loucura pura.

 
Às 14/2/08 4:10 PM , Blogger Sr. Burguês disse...

Arthurius, sistema que filtra candidatos é o nosso, onde para ser candidato a qualquer coisa, tem que ser indicado pelo partido.
Primeiro há de se entender como funciona o sistema dos EUA. Lá a independencia dos Estados é muito forte e valorizada, uma verdadeira Federação, ao contrario do Brasil. Por isso as primárias são realizadas em cada Estado, que de acordo com o tamanho, possui um certo numero de delegados, que escolhem o candidato na convenção nacional do Partido (isso de forma geral, sempre tem uns detalhezinhos que complicam as coisas).
Alêm disso, lá qualquer pessoa pode se candidatar como "Independent", ou seja, sem estar filiado aos 2 grandes partidos nacionais.
Como pode ver, é um sistema diferente. Mais justo? Mais injusto? Podemos discutir. Mas é um sistema diferente, que surgiu devido as peculiaridades da história e sociedade americana.

 
Às 15/2/08 10:15 PM , Blogger Prof Toni disse...

Cássio,
leia e divulgue, por favor:
http://jornalrecomeco.blogspot.com/
Abraços.

 
Às 16/2/08 1:51 PM , Blogger Observações do Cotidiano disse...

Razpa, sempre bom teu blogue.

Abraços

VMP

 
Às 20/2/08 12:42 PM , Blogger ROXANE CHON CHOL disse...

Rapaz inteligente! coloquei esta materia com devido credito no blog quarentenabienal.blogspot.com se não quiser avise que eu tiro logo -http:// http margilixadospelosistemocom.blogspot.com
ontem recebi e perdi um pedido de confirmaçao de inscriçao no teu blog

 
Às 5/11/08 12:15 AM , Anonymous Lawyer Matias disse...

"Alêm disso, lá qualquer pessoa pode se candidatar como "Independent", ou seja, sem estar filiado aos 2 grandes partidos nacionais."


Esqueceu de falar que quem se candidata assim nunca ganha a eleição.

"Lá a independencia dos Estados é muito forte e valorizada, uma verdadeira Federação, ao contrario do Brasil."

Isso pq a lei lá difere da nossa, há leis que são para todos os Estados pra eles e são imutáveis.

 
Às 17/11/08 2:41 PM , Anonymous Anônimo disse...

A democracia como valor universal não existe e nem pode existir, pois temos que chegar em sua essência e ver a quem beneficia. Para a aristocracia grega da antiguidade existia a mais ampla “democracia”, porém, para os escravos (que eram a absoluta maioria), a democracia era somente uma palavra vazia. Na realidade a verdadeira e legitima Democracia ainda é uma grande utopia. As eleições em si não fazem uma democracia. A Democracia não é feita apenas de eleições mas também com a possibilidade real da grande totalidade da absoluta maioria da população participar da direção e gestão dos assuntos públicos e sociais. Não existe um modelo autêntico ou forma perfeita ou exemplar de Democracia no mundo, e nem existe um modelo único que sirva para todas as regiões e todos os países, cada povo busca construir a democracia de acordo com as suas próprias realidades sociais, politicas e econômicas sempre objetivando assegurar a soberania e a independência nacional. É preciso pensar bem no que seja realmente uma verdadeira Democracia. Assim sendo a vontade de um povo também pode ser considerada como um processo em forma de Democracia quando acontece de dezenas de milhões de pessoas chegarem a conclusão de que não se pode mas continuar a viver assim e desta forma escolhem o caminho da Revolução Social e da Libertação Nacional. Os Estados Unidos da América que se julgam os campeões de “Democracia” por exemplo não passam de uma grande Ditadura da Burguesia e do Capital Monopolista; ditadura essa que não permite nenhuma ameaça ao seu domínio que não pode ser contrariada e nem ter oposição, pois o capital e os interesses da burguesia em primeiro lugar e tem que ser defendida a qualquer custo. A dita “Democracia” dos Estados Unidos da América não passa de uma grande fraude um engodo, uma farsa, um faz-de-conta apenas para dizer e enganar de que se trata da vontade da “maioria”. Toda ruidosa propaganda de “Democracia” nos Estados Unidos da América não é senão uma capa fina por traz do qual fica cada vez mais difícil de não esconder a Grande Ditadura da Burguesia e do Capital Monopolista. Nos EUA a “liberdade de expressão e manifestação” e o exercício dos direitos de expressão, associação e reunião, incluindo a participação em organizações não- governamentais e sindicatos permanecem até o instante desde que não fiquem afetando os interesses da burguesia e do capital monopolista. Os Imperialistas dos EUA que usam de estratégia as duas palavras consideradas chave “Liberdade e Democracia” que usadas politicamente não passam de fachada apenas enganar e dizer que a causa que “defendem” são tudo por esses dois ideais. Existem nos Estados Unidos apenas dois partidos grandes que se revezam e se perpetuam no poder a anos e representam e defendem os interesses do grande capital; e isso não significa dizer que o povo deseja somente a existência desses dois partidos. O Partido Democrata e o Republicano que são dois partidos do Grande Capital Monopolista e um pelo outro é a mesma coisa e não acrescentam em nada, pois os dois simulam que fazem oposição um ao outro e são farinha do mesmo saco, é como trocar seis por meia dúzia, os dois contribuem sobremaneira para diminuir a influência de outros partidos e assim ajudam a manter o povo prisioneiros da Ideologia Burguesa. Os eleitores são enganados de forma eficaz ao pensarem que votando em um ou outro desses dois partidos haverá mudanças mas nada acontece e basta que se observe na politica dos Estados Unidos da América quando ficam criando pretextos para dominar o mundo através da força bruta belicista, agressiva e terrorista. Os dois partidos que tem grande espaço nos meios de Comunicação Social e nas Agências de Publicidade e é exatamente essas que se encontram sob o domínio da classe dominante, que embora sendo menor é toda poderosa. Nesse esquema, a “democracia” é apenas um slogan usado pela burguesia como estratégia para atingir seus objetivos, e assim dizerem que a sociedade que vivem não existe preconceitos e nem discriminações, mas tudo fica a mesma coisa. É bem verdade que nos EUA existem outros partidos mas que não tem a mínima chance de concorrer com esses dois, isso porque a Legislação dos EUA dificulta no máximo a participação de outros partidos nas eleições inventando inúmeros subterfúgios e obstáculos jurídicos entre eles por exemplo, a necessidade de recolherem muito milhares de assinaturas num prazo curto realizada em presença de testemunhas e registradas notoriamente a obtenção de Licenças para os coletores de Assinaturas,etc. E mesmo se os outros partidos conseguirem vencer todas as barreiras, as comissões eleitorais privam-nos frequentemente da possibilidade de participarem nas eleições sob o pretexto de as “assinaturas serem ilegíveis” ou outro qualquer pretexto inventado. Todas as nações devem encontrar sua própria forma de expressão, a conquistar sua própria liberdade e a desbravar seu próprio caminho. O povo de cada país tem todo o direito de lutar pela sua Libertação Social e Nacional a escolherem o melhor caminho para o seu desenvolvimento. Alguns países que realmente tentam tornar-se livres, soberanos e independentes e que buscam seguir o caminho da construção do desenvolvimento democrático conforme a sua realidade politica, econômica e social; e que não queiram ficar nas “mãos” e nem de “joelhos” submisso aos interesses estadunidenses, e que também recusam-se a rezar na cartilha dos EUA , esse governo vem a ser rotulado de Ditadura. Os estadunidenses tentam de todas as formas se passarem como os Paladinos da “Liberdade e Democracia” e até usam isso como argumento para dizerem que são “defensores” desses dois ideais quando invadem países soberanos que não queiram ficar de “joelhos” e sob seu controle e domínio absoluto. Os Imperialistas dos EUA invadem países objetivando dominar para extrair matérias-primas e demais riquezas. Para isso, endividam essas nações, compram seus políticos e seus governos fantoches. Os Imperialistas dos EUA que usam de maneira estratégica as duas palavras chave “Liberdade e Democracia”, mas se um povo realmente desejar ser livre, independente e soberano ao passarem a construir o seu desenvolvimento conforme a sua realidade politica, econômica e social, e que para isso venham a contrariar os interesses do Império dos Estados Unidos da América, a tão propalada “liberdade e Democracia” que os Imperialistas dizem tanto “defender” deixa logo de existir e vem desrespeito aos direitos humanos, perseguições, golpes, torturas, massacres, repressões e guerras.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats