06 fevereiro 2008

Carnaval, festa popular e censura!


Como um bom país colonizado, nossas festas não são invenção nossa, mas sim vieram com os colonizadores, no entanto, o Brasil é um caso a parte, porque aqui tudo se mistura e se transforma como num grande caldeirão cultural.

Os historiadores ainda não entrarem em um consenso sobre a origem do carnaval. Existem relatos de festas na Grécia e Roma antigas, sendo mais provável que tratava-se de festas para comemorar o fim/início de colheitas ou em homenagem a algum Deus. Sob a hegemonia da Igreja Católica a festa não era vista com bons olhos, no entanto, a Igreja teve de ceder e a festa é hoje vista quase como um último prazer da carne antes do período santo da quaresma.

No Brasil a festa tomou várias formas diferentes. No começo eram os portugueses que comemoravam jogando bexigas com farinha nas outras pessoas, posteriormente, a elite passou a copiar a moda de Veneza e entraram em cena os bailes de máscaras. Em 1899 nossa grande Chiquinha Gonzaga compõe a primeira marchinha “ô abre alas”. Hoje o Carnaval brasileiro é o mais famoso do mundo e existem várias opções. O frevo pernambucano, o axé baiano, o samba carioca e muito mais.

Mas a festa não é lá tão popular assim, por exemplo na Bahia, como diz uma música do Natirutz “apesar de ter criado o toque do ago-gô, ficar de fora dos cordões do carnaval de Salvador”. É isso mesmo, participar de um bloco do carnaval da Bahia é coisa de turista branco, ao povão mesmo resta a “pipoca” ou então o arrastão da Timbalada. No Rio de Janeiro muitas escolas de samba vendem as fantasias e pessoas da comunidade ficam de fora do desfile. Mas pelo menos Recife, Olinda, Ouro Preto e Nova Londrina a coisa é liberada e a rua é de todos.

Um último comentário sobre a festa deve ser feito sobre um carro alegórico no Rio de Janeiro, censurado pela justiça depois de um pedido da comunidade israelita. O carro simbolizaria o holocausto promovido por Hittler contra os Judeus. Sinceramente não consigo entender o motivo da preocupação dos israelitas, será que querem apagar a história? Não penso que o carro seria tratar a questão de forma pejorativa, muito pelo contrário, se utilizaria a maior festa popular do Brasil para impedir que tal fato horrível caia no esquecimento. Na minha opinião, os israelitas perderam uma grande oportunidade para tanto... mas gostei do protesto feito pela escola na avenida!

3 Comentários:

Às 9/2/08 5:57 PM , Blogger DANIEL PEARL disse...

Cássio, tudo bem?
Convido a todos a assistirem ao novo vídeo do blog Desabafo País: "MÍDIA ESGOTO - SERRACARD e FHC CARD". Imperdível:
http://br.youtube.com/watch?v=BNP7Bzya0Nw

ou http://desabafopais.blogspot.com/
Um abraço, Daniel Pearl - editor. (Prêmio iBEST – blog/político)
Permissão para divulgação em seus blogs e sites.

 
Às 16/2/08 2:37 PM , Blogger Mauro Sérgio disse...

Salve, Cassio, meu velho!

Como participante ativo de assuntos relacionados ao carnaval do Rio, não pude deixar de comentar o episódio envolvendo a alegoria da Viradouro.
http://daluta.blogspot.com/2008/02/ps-carnavalescas-vida-retoma-o-seu.html

Também pude retomar os cuidados com o Blog, que andou meio largado durante o carnaval. Forte abraço e a luta continua!

Mauro

 
Às 23/2/08 9:02 PM , Blogger rosane chonchol disse...

concordo contigo, e sou Israelita

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats