27 setembro 2007

Xô CPMF sim, mas sem demagogia!


Você gosta de pagar imposto? Nem eu! Aliás, ninguém em sã consciência gosta de pagar impostos. O próprio nome já diz tudo, “imposto” (que se impôs; que se obrigou a aceitar), então não tem como gostar disso mesmo. Mas pra que eles servem? Durante os Impérios eles serviam para manter a Aristocracia desocupada, nas Monarquias Absolutistas eles serviam para manter a Nobreza desocupada. Mas e num Estado Democrático de Direito?

Segundo a definição do Dicionário o Imposto seria a “contribuição, geralmente em dinheiro, que se exige de cada cidadão para financiar as despesas de interesse geral, a cargo do Estado”. Pronto, através do Contrato Social que criou o Estado, criou-se também os impostos para financiar os interesses gerais, a educação, saúde, infra-estrutura, aposentados, famintos e etc...

Recentemente o país se viu às portas da discussão sobre a prorrogação da CPMF. A Fiest, comandada por Paula Skaf fez até propaganda na TV pelo fim da CPMF, o que aliás eu também gostaria que ocorresse. Na votação da Emenda Constitucional que a torna permanente a oposição bradou aos quatro cantos do país como os detentores da moral, da ética, defensores dos pobres e oprimidos e etc...

A CPMF foi criada às pressas no ano de 1996 pelo governo FHC/PSDB para tentar amenizar o caos da Saúde Pública. Ou seja, aqueles que hoje dizem ser a CPMF um problema para o país são na verdade os criadores deste imposto.

No ano de 2006, o Governo Lula/PT entregou um projeto na Câmara dos Deputados que previa a redução gradativa da alíquota da CPMF, até seu estacionamento em 0,08% (atualmente acho que é 0,36%). Este projeto não foi aprovado na casa. Mas porque não? Porque a oposição sonhava em retomar o poder nas eleições seguintes e não queria ficar sem este dinheirão da CPMF. Agora, como a próxima tentativa de comandar o país se dará apenas em 2010, eles se dizem contrários à CPMF.

Faço coro à fala de Ciro Gomes, no plenário da casa quando da votação da Emenda que torna permanente a CPMF. Depois de uma aula de ciência política sobre o que é ser Social-Democrata e Liberal, dando um tapa na oposição, finalizou com o seguinte argumento: A oposição não quer o fim da CPMF por pensar no povo, naqueles que pagam este pesado imposto, e etc... a oposição quer o fim da CPMF para que o Estado brasileiro não tenha dinheiro para pagar os aposentados do INSS, pensões e auxílio-doença, não tenha dinheiro para financiar estudantes pobres no ensino superior, não tenha dinheiro para melhorar o atendimento médico, não tenha dinheiro para dar de comer à mais de 12 milhões de famílias... isso é o que a oposição quer, o fim da justiça social! Mas não têm coragem de assumir em público.

4 Comentários:

Às 27/9/07 1:55 PM , Anonymous Aluísio Sabino disse...

Muito bom este post. Meu blog também está nesta campanha, sempre republicando as notícias da comissão da FIESP contra a CPMF. E pensar que, quando foi criada, o PT e os partidos de apoio foram contra... Agora, fazem de tudo para prorrogá-la.

Grande abraço.

 
Às 27/9/07 5:24 PM , Blogger Cássio Augusto disse...

Bom... acho que ñ fui claro... mas... NÃO APÓIO A CAMPANHA DA FIESP!!!

 
Às 30/9/07 7:50 PM , Blogger renato disse...

CÁSSIO... é isso aí...a direita agora posa de ser contra a CPMF... mas com certeza, se fossem governo estariam cobrando ´té mais do que o PT está... O exemplo está aqui no RS... onde a YEDA (PSDB) ESTÁ PENSANDO EM AUMENTAR OS IMPOSTOS...

OBS.:Cássio parabéns pelo BLOG... é a maneira de enfrentar a rede globo.

 
Às 18/10/07 8:45 PM , Blogger lilian disse...

OLÁ CÁSSIO!
Achei interessante sua posição de não apoiar a FIES.Estou fazendo uma pesquisa e acho que poderia me ajudar,já que não é contra a CPMF.Preciso de informações seguras que indiquem para onde é destinado o que é arrecadado com esse tributo,pode me ajudar?

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats