25 setembro 2007

Verdade ou Mentira?


O que me anima ainda a manter este Blog são justamente alguns comentários inteligentes e que nos remetem a novas reflexões, como no caso do último post sobre a polêmica dos livros didáticos e os comentários recebidos, em especial o do Dorian. E mais feliz ainda fiquei que, depois de muito tempo, desta vez não recebi comentários “elogiosos” vindos de anônimos, sobre a minha pessoa e minha genitora.

Dorian disse:
“Cássio,

A pretensão do tal livro passa longe de incentivar a visão crítica. A intenção é dar uma opinião já formada, imune a questionamentos e isso é inadmissível, ainda mais que os personagens glorificados no livro (Mao, Fidel, Guevara, Stalin) são na verdade inimigos da liberdade, manipuladores de pessoas e assassinos sanguinários. Não admito e não admitirei que meus filhos estudem por esses livros. Permitirei claro que eles os leiam, mas apenas para saberem que a versão neles contida é uma visão distorcida da realidade.”

Pois bem, o que algumas pessoas não entendem é que não existe certo ou errado, verdade ou mentira. O que existe sim são interpretações sobre os mais diversos temas e fatos, e dependendo da sua visão de mundo é que você as conceitua como certas ou erradas.

O livro pretende dar uma opinião já formada? Mas e os nossos telejornais não tentam fazer o mesmo? E nossas revistas semanais com suas matérias fragmentadas, sem um mínimo de levantamento histórico e discussão aprofundada sobre o tema não fazem o mesmo? E os outros livros didáticos?

Mao, Fidel, Guevara e Stalin são personagens glorificados? E Tiradentes não é? E D. Pedro? Cabral? Colombo? E o capitalismo não é glorificado? O Liberalismo? A Democracia?

Mao, Fidel, Guevara e Stalin são na verdade inimigos da liberdade? Mas o que é liberdade? Liberdade para ir e vir quando não se tem para onde ou porque ir e vir? Liberdade para comprar um carro importado quando não se tem dinheiro nem para comprar comida?

Mao, Fidel, Guevara e Stalin são manipuladores de pessoas? Mas será que a Revista Veja também não é uma manipuladora de pessoas? E a Rede Globo? A Record? Os filmes de Hollywood? E a Escola? E a “história oficial”?

Mao, Fidel, Guevara e Stalin são assassinos sanguinários? Mas e os colonizadores das Américas também não o são? E os cercamentos burgueses da Inglaterra? Bush não é um assassino sanguinário? E Hitler? E Mussolini? E os Militares Brasileiros e Latinos? E a exploração da mais-valia?

Permitirá que seus filhos leiam os livros para ver que aquela é uma visão distorcida da história? Mas não será a sua visão que é distorcida? Porque a sua é melhor que a de outrem? Porque o livro didático que você prefere, porque tem a história que você acredita é que deve servir de base para o ensino público?

Essas questões é que irritam algumas pessoas que depois nos chamam de “caricatos” ou mesmo de meros “clichês” ou retórica de pseudo-alguma-coisa...


Obs: a imagem que ilustra o post é do livro "Nova História Crítica".

5 Comentários:

Às 25/9/07 5:36 PM , Anonymous catatau disse...

Ei, para não deixar os filhos estudarem um livro devemos conhecer esse livro. Vcs viram os posts do Idelber e do Hermenauta? Especialmente o Hermenauta mostra direitinho como Ali Kamel usou de má fé, escolhendo apenas algumas passagens do livro, e passando uma impressão que não consta lá

Vale a epna conferir...

 
Às 25/9/07 9:07 PM , Blogger Dorian disse...

Cássio,
Fico lisonjeado com um post originado por um comentário meu. Por esse motivo, me sinto plenamente a vontade para fazer algumas considerações sobre seu texto.

Os telejornais, revistas e afins com objetivo comercial podem sim dar opinião formada sobre qualquer assunto. Afinal de contas, lê quem quer e assiste idem. Ninguém é coagido, forçado ou obrigado a assistir a Globo ou ler a Veja. É uma escolha. Já no caso do livro didático é diferente. O aluno é obrigado a ler e a absorver a informação lá contida. Imagine uma prova em que caia alguma pergunta sobre um assunto, cuja resposta o aluno discorde. Se ele não responder tal qual está no livro vai perder e nota e ter seus estudos prejudicados. E isso é desonestidade com os alunos.

Tiradentes, D.Pedro, Cabral e Colombo não perseguiram e mataram pessoas por pensarem diferente deles, ao contrário dos já citados Mao, Guevara, Fidel e Stalin, que perseguiram e mataram milhões de pessoas para garantir a estabilidade de um regime de governo opressor e autoritário, onde o a contestação não tinha (e não tem) espaço e nem vez.

O Capitalismo, o Liberalismo e a Democracia não mataram ninguém e nunca vão matar. Quem "mata" são pessoas. Veja que não disse que o "comunismo" ou o "socialismo" ou o "regime de governo" matou alguém. Citei nominalmente o nome dos assassinos.

Hitler, Mussolini, os militares brasileiros e qualquer outro que tenha matado outras pessoas (ou uma que seja) merecem meu repúdio da mesma forma. Assassino é assassino independente de sua motivação (com exceção da livre-defesa, logicamente). Em relação a Bush, não concordo com suas guerras movidas a interesse pelo petróleo. Mas entre ele e os já citados "companheiros" existe uma diferença inquestionável. O que Bush faz é em defesa da visão de mundo que os americanos tem e em defesa da manutenção da hegemonia americana no mundo. Na prática ele faz tudo para que o mundo seja o melhor para os americanos (e apenas para eles). Bush não persegue e mata seus compatriotas como Mao e Stalin fizeram e como Fidel até hoje faz.

Sim, permitirei que meus filhos leiam esses livros (se ainda continuarem existindo) para que tomem conhecimento das formas que os doutrinadores do pensamento se utilizam para distorcer o mundo em benefício de seu projeto de poder. Eles vão ler para poderem contestar e se defenderem.

Por último, reitero minha crença na liberdade. Na liberdade de escolher, de pensar, de falar e escrever aquilo que eu decidir e não ficar sob a tutela de uma pessoa ou regime que decida em meu lugar. Veja que apesar das críticas e discordâncias não questionei em nenhum momento o direito do autor escrever o livro e da editora em publicá-lo. No meu mundo tem lugar para quem não pensa como eu e defendo ardorosamente o direito dessas pessoas assim o serem. Não acho que devam morrer por isso, nem tampouco me sinto ameaçado. Mas não posso concordar é com a imposição do ponto-de-vista, com a doutrinação de crianças, pois isso além de anti-ético é uma atitude das mais covardes que possa existir.

 
Às 26/9/07 5:56 PM , Blogger Prof Toni disse...

Cássio, parece-me que algumas críticas seguem o receituário do Ali Kamel: testar hipóteses, por mais obtusas que sejam! O blog do Luis Nassif desmascara o Kamel da Globo e oferece uma leitura mais íntegra do citado livro, com passagens que o tal Ali resolveu ignorar propositadamente, na sua sanha de manipulação. O que me entristece é ver pessoas bem intencionadas sendo levadas no bico das "Globos" e das "Vejas" da vida. Que falta nos faz uma mídia democrática, verdadeiramente. Seus leitores podem se tranquilizar, pois o tal livro foi excluído da lista do MEC neste ano. E ainda para quem se preocupa com os "companheiros", ele, o tal livro, entrou para a lista do MEC no governo do "companheiro" FHC. Abraço.

 
Às 29/9/07 6:24 PM , Anonymous Gustavo disse...

Veja o Conde/Rachel sendo mais uma vez desmascarado (a) no próprio blog (acabei de postar).

 
Às 30/11/07 10:17 AM , Blogger Borboletinhas disse...

Gostei do "caricatos" kkkkkkk
me confesso culpada nessa ae....

=*

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats