13 maio 2007

TV Pública no Brasil:


O Brasil passa por um momento histórico. É a primeira vez que se discute um modelo de TV pública para o país. Os ministros Gilberto Gil e Franklin Martins estão empenhados em levar esta questão à diante.

Na maioria dos países do mundo, os primeiros canais de televisão foram Públicos, isto é, financiados pelo estado mas geridos por um conselho que representa os diversos setores da sociedade, mas no Brasil aconteceu justamente o contrário, desde a inauguração da TV Tupi nos anos 1950.

Agora o Governo Federal está empunhando a bandeira da TV Pública e tentando expandir os canais comunitários, estatais, parlamentares e judiciários, afinal de contas, o compromisso destes veículos de comunicação não é com a audiência, mas sim a qualidade dos programas, além de ser um belo celeiro de experiências que a TV privada não permite.

O problema é que grupos não interessados neste debate estão taxando esta iniciativa de “populismo”, “estatismo” e pasmem, até mesmo de “censura”, afinal de contas, podem perder audiência e conseqüentemente o lucro. Somente com canais Públicos é que teremos finalmente atingidos os objetivos do art.221 da Constituição Federal, porque com os canais privados está complicado.

Para concluir, como deve ser o conteúdo deste canal público? Deve ser apenas, normal, mas com alguns diferenciais: com esportes amadores, filmes nacionais, documentários, programas de entrevistas, auditórios, jornalísticos, debates, infantis e etc, mas com um diferencial importante, o cumprimento do art. 221 da CF. Mas Carlito Maia é brilhante em seu comentário que é mais ou menos assim: “A Tv Pública não deve ser a TV que o povo quer, mas sim a TV que o povo AINDA não sabe que quer!”

4 Comentários:

Às 13/5/07 4:16 PM , Anonymous catatau disse...

é interessante chamar a atenção que, enquanto pública, a tv é para o cidadão. Já 'povo', 'população', é outra coisa que não está na esfera pública, mas talvez muito mais na privada. As TV´s privadas, do 'povo', mostram isso. Se há contradição, é pq talvez haja alguma tensão entre as noções de povo e de cidadão...

 
Às 13/5/07 6:10 PM , Blogger Ana disse...

é um pouco complicada a questão. mas em primeiro lugar, gostaria de lembrar que se alguém quer discutir sobre comunicação, deveria tomar cuidado com a língua que usa. No blog notei vários erros gramaticais, como "à diante", "à todos" (não tem crase em ambos os casos), e o termo "público" em maiúscula, sem nenhuma necessidade. Além disso, é também perigoso afirmar que é brilhante alguém dizer: "A TV pública não deve ser a TV que o povo quer, mas sim a TV que o povo AINDA não sabe que quer!”... Em nome de quem e delegados que direitos vocês afirmam isto?
Precisamos de deixar de tratar o povo como acéfalos, que rogam pelo nosso zelo. Quem é que dá este aval à esquerda, ou a quem quer que seja, para falar e decidir em nome do povo? Perguntemos - e temos mecanismos democráticos para isto - se é bem-vinda uma TV pública. A quem mais interessa o assunto: às massas (neste caso, a crase está correta).

 
Às 13/5/07 9:49 PM , Blogger Dorian disse...

Cássio,
O risco é a politização e a ideologização da programação, que no governo atual seria impossível não haver. Não por orientação de Lula, mas pelo aparelhamento que a máquina petista fez dentro do governo. Já imagino os responsáveis pela TV do Executivo produzindo documentários sobre os acampamentos do MST para concorrer com as novelas da Globo! Ótimo investimento do dinheiro público...

 
Às 14/5/07 10:55 AM , Blogger Cássio Augusto disse...

Querida Ana... (caso este seja o seu nome mesmo) desculpe pelos erros de português... sei que os tenho e não são poucos... qto à citação... vc ñ tem que reclamar comigo... mas com o dono da mesma... a citei pq achei interessante... e se a sua opinião é contrária... tdo bem... a respeito!!! e este Blog tem a finalidade mesmo de levantar questões polêmicas e ampliar o debate... vlw!!!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats