01 maio 2007

O Que é Educação?


Antes de responder a pergunta, vamos à um fato histórico. Durante a colonização Americana, os estados da Virgínia e de Maryland assinaram um tratado de paz com os índios das Seis Nações, e ofereceram aos mesmos que enviassem alguns jovens para as escolas dos brancos. Eis a resposta dos Índios:

“Nós estamos convencidos, portanto, que os senhores desejam o bem para nós e agradecemos de todo o coração.
Mas aqueles que são sábio reconhecem que diferentes nações têm concepções diferentes das coisas e, sendo assim, os senhores não ficarão ofendidos ao saber que a vossa idéia de educação não é a mesma que a nossa.
Muitos dos nossos bravos guerreiros foram formados nas escolas do Norte e aprenderam toda a vossa ciência. Mas, quando eles voltavam para nós, eles eram maus corredores, ignorantes da vida da floresta e incapazes de suportarem o frio e a fome. Não sabiam como caçar o veado, matar o inimigo e construir uma cabana, e falavam a nossa língua muito mal. Eles eram, portanto, totalmente inúteis. Não serviam como guerreiros, como caçadores ou como conselheiros.
Ficamos extremamente agradecidos pela vossa oferta e, embora não possamos aceita-la, para mostrar a nossa gratidão oferecemos aos nobres senhores de Virgínia que nos enviem alguns dos seus jovens, que lhe ensinaremos tudo o que sabemos e faremos, deles, homens.”
[1]

Interessante não? Agora pergunte se algum dos nobres senhores de Virgínia mandou seu filho para as escolas dos índios? É óbvio que não.

Então o que é Educação? Simplesmente não existe uma formula pronta e única do que seja o processo educacional, a escola não é seu único veículo nem o professor seu único praticante. Mas temos a certeza de que a Educação sempre esteve voltada para a manutenção das relações sociais de poder, basta vermos nosso atual sistema educacional que forma uma excelente “força de trabalho” e nunca cidadãos críticos perante a realidade. O mais intrigante é que boa parte dos professores pensa estar fazendo um grande serviço à coletividade, quando na verdade está apenas servindo à quem o constituiu como professor. Como já questionou Marx: “Quem educa o Educador?”

[1] BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é Educação. Editora Brasiliense, 1984. p.08/09.

16 Comentários:

Às 1/5/07 12:06 PM , Blogger Alex disse...

Olá Cassio você é bem polemico heim.
Mas acredito na necessidade de discutirmos tais assuntos.
Para respondermos tal questão faz-se necessário irmos para além dela. precisamos nos questionarmos que tipo de sociedade almejamos e que tipo de homens e mulheres são necessarios para sua construção.
O fato é que a educação, entendida aqui não só como escola, nos trás a possibilidade de valorizar e estimular ações que contribuam para a transformação da sociedade.
Acredito piamente na necessidade de transformarmos a base material de nossa sociedade para que possamos efetuar transformações mais graduais nas relações e conjunto de concepções que nos orientam. Entretanto, não posso deixar de considerar a necessidade de trabalharmos e estimularmos certas relações que serão fundamentais numa sociedade futura. E um dos meios para isto é a educação.
E o papel da Escola? está ao meu ver tem um papel fundamental para a classe trabalhadora que é difundir o conhecimento historicamente construido pela humanidade, possibilitando aos trabalhadores e trabalhadoras usufruir da cultura universal na pespectiva de sua emancipação e transformação de sua realidade especifica.

 
Às 1/5/07 2:18 PM , Blogger O Cara disse...

educaçao em si seria ensinar as noçoes de vida em sociedade e passar conhecimentos sobre diversas areas para os educandos, alem de, logico, contribuir para alienaçao em diversos assuntos, tendo em vista que grande parte dos professores nao apresenta pontos de vista diferentes sobre fatos historicos, geograficos e sociais, ficando o aluno restrito ao ponto de vista dos "mestres" e doa autores de livros.

"a historia sempre é contada pelos vencedores, cabe aos interessados procurar a versao daqueles que perderam."

caio prado jr.:P

 
Às 1/5/07 2:18 PM , Blogger O Cara disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
Às 2/5/07 7:43 PM , Blogger Prof Toni disse...

Pronto, seu blog está linkado... Abraços.

 
Às 5/5/07 4:56 PM , Blogger Dorian disse...

Como também educação não são as verdadeiras madraçais implantadas pelo MST nos acampamentos que fazem verdadeira lavagem cerebral nas crianças, pois lá também não se exercita o senso crítico, concorda?

 
Às 5/5/07 6:18 PM , Blogger Cássio Augusto disse...

Caro Dorian... será que a Lavagem Cerebral ñ é feita nas escolas regulares e as do MST visam justamente dar uma outra idéia/visão sobre a sociedade???

 
Às 5/5/07 6:34 PM , Anonymous Homer Simpson disse...

Cassio: Falácia da inversão do ônus da prova. É vc que deve tentar provar que não há doutrinação das escolas do MST, não o contrario.

 
Às 7/5/07 10:44 AM , Blogger Alex disse...

eu quero saber, dos que ousaram se auto nominar, quem é que conhece uma escola do MST aí, ou mesmo a proposta de educação de tal movimento? e apropaganda da rede globo ou do jornalzinho da faep não vale.

 
Às 8/5/07 12:38 AM , Blogger Cássio Augusto disse...

Putz... o jornalizinho da Faep é mesmo f* heim!!! mas pode deixar Alex... em um post breve vem os comentários sobre o que a Veja fala dos "Madraçais"... hehe

 
Às 8/5/07 7:58 AM , Blogger Jul!o disse...

Hummm...
corajoso vc....
Falar nesse assunto..
é meio (?)complicado...

 
Às 8/5/07 5:38 PM , Blogger Denise Cerqueira disse...

Companheiro,tomo a liberdade de discordar de ti diante desta afirmação:

"O mais intrigante é que boa parte dos professores pensa estar fazendo um grande serviço à coletividade, quando na verdade está apenas servindo à quem o constituiu como professor."

Sou professora da rede pública de ensino e já tenho 13 anos de profissão.Sou formada em Educação Física e em Psicologia.Além de mestrado em Educação Infantil,fiz especializações em Psicopedagogia,Educação Física Escolar e em Gestão Educacional.
Em nosso meio,já percebemos que a tendência em termos daqui alguns anos,uma significativa redução da quantidade de professores no Ensino Fundamental em escolas públicas.O motivo:a desvalorização de nossa profissão.
Citei acima minha formação justamente para esclarecer que existem muitos equívocos a respeito do desempenho de nossas funções.Não me considero uma profissional mais qualificada que colegas que só têm licenciatura.Ensinar é um dom que não adquirimos durante a formação acadêmica.Em momento algum ousarei dizer que minha titularidade não tenha sido útil no desenvolvimento do meu trabalho.Muitas informações e novos conhecimentos nos apóiam na Educação.
Mas a realidade fora das universidades é completamente oposta a tudo que me deparo no meu dia-à-dia.Para exemplificar,pergunto quantos doutores atuam no Ensino Fundamental em escolas públicas.Poucos,não é mesmo?Sabe por que?
Porque aqueles que têm doutorado e pós-doutorado são os "reprodutores" do que nos foi e ainda é ensinado quando estamos na faculdade.A cada palestra,curso ou seminário que assisto ministrados por pessoas que alcançaram esta titularidade abordando temas sobre Educação,fico mais convencida de que eles não sabem o que falam.
No ambiente acadêmico é fácil ser considerado um ótimo docente por alunos que não sabe o que lhes espera após a conclusão do curso.Teorias não funcionam se não forem adequadas às necessidades do ambiente que atuamos.
Aproveito a oportunidade para fazer um grande desabafo.A família precisa estar presente na vida escolar do aluno.Infelizmente pais e responsáveis se posicionam a quilômetros de distância da escola.Por mais que tentemos nos desdobrar para nos aproximar deles,menor é a importância que sentimos no que se refere à aprendizagem de nossos alunos por parte de seus próprios familiares.
O que acontece hoje é um preconceito inacreditável que parte da própria sociedade.Muitos falam da necessidade de investir em Educação,mas quando o assunto é valorização do professor TODO MUNDO nos atira pedras.Não merecemos mais do que recebemos por que?Criou-se uma concepção generalizada de que professor não merece ser tratado com dignidade que cresceu vertiginosamente em todas as camadas sociais.
Os responsáveis pelos alunos com idade inferior a 18 anos na maioria das vezes comparecem na escola para efetuar a matrícula ou buscar documentação de transferência.A função do professor agora não é apenas ensinar,pois as secretarias de Educação sutilmente passaram a nos obrigar a educar nossos alunos.
Eu não estaria colocando aqui esta queixa se a cobrança dos próprios pais hoje em relação ao nosso trabalho não fosse bem maior ao que se refere ao que deveria ser repassado em casa para seus filhos do que exercermos o papel de ensinar o aluno preparando-o para encarar novos desafios.
Quando comecei a atuar no Ensino Fundamental não era nada fácil,mas ainda havia um pouco mais de respeito conosco.Hoje os professores sofrem agressões físicas por parte de seus alunos(independente de sua faixa etária)e são fatos que outrora seriam noticiados em jornais;mas agora deixou de ser novidade.
Quem educa o educador?Sua própria experiência e sem querer parecer piegas:o amor à camisa.Quando leio minha tese de mestrado sinto até vergonha.Produzi um trabalho seguindo à risca regras e métodos,fundamentei-me em conceitos utópicos com o objetivo de me tornar mais conceituada e não mais qualificada.
Agradeço aos meus professores por terem me dado a oportunidade de provar para mim mesma que seria capaz de alcançar meus objetivos.Mas olhando ao meu redor chego a me sentir mal por ter agido em prol da minha vaidade.
Dentro da Escola Pública é praticamente impossível exercer nossa profissão seguindo a cartilha dos mestres que tivemos.Nem mesmo se quiséssemos.Quem nos formou são os críticos mais àcidos e desinformados que se sentem no direito de nos desmerecer não apenas como professores,mas principalmente como seres humanos.
Muitos colegas que tive não conseguiram continuar atuando na área durante mais de 3 ou 4 anos.Mudaram de ramo.Vejo com freqüência professores recém-formados estudando para concursos públicos fora da área educacional por não desejarem uma puxada carga horária,cobranças cada vez maiores e um salário que não compensa os gastos que nossa categoria tem com medicamentos devido a problemas de saúde que "colecionamos" como conseqüência do desgaste físico e mental que nos abala.
Digo em nome de uma significativa maioria que não prestamos nossos serviços pensando a quem nos ajudou a sermos professores.Nossa prioridade é exercer não apenas o que teoricamente é exigido em nossa profissão.Servimos à sociedade como um todo(sejam os alunos,pais ou governantes).E apesar de tudo o que fazemos,essa mesma sociedade nos dá em troca o rótulo de incompetentes.
Perdoem-me pela extensão prolongada de meu posicionamento.Saudações socialistas a todos!

 
Às 8/5/07 5:38 PM , Blogger Denise Cerqueira disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
Às 8/5/07 10:47 PM , Blogger Dorian disse...

Cássio,
Se as escolas regulares fizessem lavagem cerebral você não estaria escrevendo esse blog, não é mesmo?
Ao contrário, a doutrinação do MST só é capaz de produzir autômatos. Pessoas programadas para invadir (terras e prédios do governo) e gritar palavras de ordem.

 
Às 9/5/07 12:32 AM , Blogger Cássio Augusto disse...

Cara Companheira Denise Cerqueira... concordo contigo... e meu texto diz que a maioria dos professores são assim... ainda bem que existem pessoas como vc!!! minha Mãe é professora... e eu estudo para tbém o ser um dia!!!

 
Às 10/6/07 1:14 PM , Anonymous Anônimo disse...

À Companheira Denise Cerqueira...
Levarei comigo suas palavras,pois quebrei a cara qdo saí do magistério, cheia de utopias, querendo fazer e acontecer...
Mas a realidade é outra!!!!
Até pq parte dos meus professores nunca tiveram experiência de saula de aula.A outra parte a teve em escola particular com 5 ou 6 alunos.
Pensei em desistir por me sentir traída...e o q percebo agora?
Que os discursos se repetem na universidade.
Ah minha cara Denise,mas agora estou "vacinada" e não vou cair no mesmo erro!
Estou novamente disposta,mas agora com os dois pés no chão e os ouvidos protegidos contra as palavras daqueles que não sabem o que dizem!

 
Às 24/2/08 5:14 PM , Blogger arthur disse...

Obrigada por colocar esta copia do discurso do representante das seis nações
me ajudou a entender um pouco sobre a pedagogia e sobre a educaçaõ....
bjux

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



Free counter and web stats