31 janeiro 2007

Sobre Violência:

Quase que diariamente somos agraciados durante os noticiários, com aquelas operações cinematográficas da polícia carioca nos morros da cidade maravilhosa, carros tanque, balas riscando os céus, cidadão correndo, chorando, a Polícia subindo o morro e prendendo um ou outro “traficante”, com algumas gramas disso ou daquilo e outro tanto de arma de uso restrito.

E você acha que isso resolve alguma coisa? Com o mesma rapidez que sobe o morro, a Polícia também desce, e então, quem toma conta? Isso mesmo, as coisas voltam ao “normal” depois da ação da Polícia. Logo, tenho que acreditar que tais operações são apenas para “inglês ver”, não resolve a questão, duvido até que queiram resolve-la.

Outro dia vi uma reportagem no Jornal da Band sobre a questão da violência em Bogotá, capital da Colômbia, uma das cidades mais violentas do mundo a alguns anos atrás, e sabe como amenizaram o problema? Foi simples, a Polícia subiu o morro e não mais desceu.

Alguns ficam horrorizados quando os morados da Favela “defendem” os traficantes durante operações da Polícia, ora, ponha-se no lugar daquela gente, quem convive com eles 24 horas por dia é a Polícia ou os traficantes? Não sejamos hipócritas, é fácil falar do sofá de nossa residência. A Polícia somente vai ter a confiança dos moradores da favela quando conviver diariamente com estes moradores.

28 janeiro 2007

Discurso da Revista Veja sobre o Agronegócio e o MST:

A revista Veja, em todas as suas reportagens, deixa implícita a idéia de que somente o Agronegócio é bom para a economia do país. Relaciona-se a agricultura familiar ao atraso, a um ideal romântico, mas já superado pelo mundo globalizado. Assim, desqualifica-se a pretensão do MST.

Enche-se as páginas da revista com número e mais números acerca das vantagens do Agronegócio, sua suposta produtividade e geração de emprego e renda[1], mas não se deixa que o MST fale sobre a questão, aliás, não se deixa que o movimento fale nunca, apenas quando a fala interessa para satanizá-lo.

O Ápice se dá na reportagem de Alexandre Secco, publicada em agosto de 2003, sob o sugestivo título de “O Brasil da solução... e o Brasil do problema”.

“Parece incrível, mas o MST se posiciona contra o nivelamento por cima dos dois brasis existentes no campo. O exército de João Pedro Stédile condena o atual modelo do agronegócio, que emprega, gera receitas e movimenta a economia e não demonstra nenhuma preocupação com o lucro nem com a produtividade quer (e tem conseguido) cada vez mais verbas para sustentar seu modelo duvidoso de reforma agrária”.[2]

Após uma exposição das vantagens do agronegócio para o Brasil, a Revista me sai com o comentário acima, em uma visível tentativa de formar a opinião de seu leitor segundo o seu interesse, ou seja, a solução é o agronegócio e o problema é o MST. O discurso visual também é contrastante, enquanto o agronegócio é mostrado com uma colheitadeira em uma grande plantação de soja, detalhe, não aparece nenhum trabalhador na foto, o MST é colocado em uma foto menor, de uma de suas marchas acompanhada de perto pela polícia.

[1] Ver os estudos realizados pela Deputada Luci Choinacki e publicados pela Câmara dos Deputados: “Desmascarando o latifúndio” e “As vulnerabilidades externas da economia brasileira, o agronegócio e o latifúndio improdutivo”.
[2] SECCO, Alexandre. O Brasil da solução e o Brasil do problema. Veja, São Paulo, ano 36, nº 31, p. 48-49, 06/08/2003. p.49

Obs: Parte integrante de um trabalho feito para a Faculdade sobre o Discurso da revista Veja em relação ao MST no primeiro Governo Lula/PT.

25 janeiro 2007

Um outro mundo é possível

Este ano o Fórum Social mundial está sendo realizado em Nairóbi, capital do Quênia, e tem principalmente em pauta as questões africanas, tais como emigração, AIDS, soberania alimentar e o protecionismo dos paises ricos.

Depois de algumas edições realizadas em Porto Alegre, outra em Caracas e uma ainda na Índia, finalmente o Fórum chega a tão esquecida região africana, algo justo. Porém, infelizmente não temos a cobertura dos grandes veículos de comunicação deste país, afinal, é mais bonito mostrar Davos e os engravatados e suas montanhas cobertas de neve.

A ultima edição ocorrida em Porto Alegre foi um deleite para os interessados, a TV Câmara transmitiu ao vivo boa parte dos debates, pude ver do sofá de minha casa intelectuais do porte de Saramago e Frei Betto discursando, sem falar no presidente venezuelano Hugo Chávez.

Mas uma notícia me deixou animado, Curitiba, capital Paranaense está pleiteando a realização do Fórum Social em 2009, com apoio empolgante do Governo de Estado. Torço muito para que esta intenção se concretize, só assim poderei participar de tamanho evento, afinal, eu acredito que “Um Outro Mundo é Possível”.

22 janeiro 2007

Os três poderes:

Deste o Iluminismo francês, sua Revolução frustrada, e as idéias de Montesquieu, fala-se na Divisão de Poderes entre o Executivo, o Legislativo e o Judiciário, o que transformou os Estados Ocidentais desde então.

Esta divisão de poderes foi aceita pela nossa Carta Magna de 1988, mais precisamente em seu Art. 2º, que preceitua serem tais poderes independentes e harmônicos entre si, cada um com sua função específica e sem nenhuma hierarquia entre os mesmo.

Tudo bem, concordo que tem vezes que vira uma grande bagunça, onde o Executivo legisla, o Legislativo julga e o Judiciário executa, mas o motivo do texto aqui é outro.

Quando os congressistas, Poder Legislativo, aumentaram seus próprios salários, fizeram pelo simples motivo de que o Poder Judicário também aumentou os seus, ou seja, partiram do seguinte princípio: se todos os poderes são iguais, logo, deverão receber o mesmo valor de salários. Simples e coerente, concordo com isso.

É um absurdo que os ministros do STF (Judiciário) ganhem mais de R$ 24.000,00 por mês, enquanto nossos Congressistas (Legislativo) ganham algo em torno de R$ 12.000,00 mensais e o Presidente (Executivo) míseros R$ 8.000,00. Cadê a igualdade de poderes? Detalhe, quando se fala de Brasil, a culpa é sempre do Presidente, logo o que ganha menos. Um Ministro de Estado ganha algo em torno de R$ 6.000.00, pouquíssimo diante da responsabilidade e dos outros poderes.

Sim, sei que é por demais polêmico, ainda mais em uma país de grande desigualdade como o nosso, mas acredito que tal reflexão é importante. Os Poderes só serão iguais quando todos receberem o mesmo valor.

18 janeiro 2007

Nada como um Clássico!

Dizem que clássico é aquele livro que você precisa ler em cada momento da sua vida, e a cada leitura, ele te trará algo novo, diferente, que passou despercebido da vez anterior. Então, nestas férias, entre uma leitura e outra resolvi reler um clássico, a escolha foi por acaso, estava vendo um documentário sobre Machado de Assis e fui ler Dom Casmurro.

A primeira vez que li o trio de Machado foi ainda na época de secundarista, mal me lembrava do enredo, quisá da narrativa. A forma com que Machado narra seus livros é muito prazerosa, você se sente como um amigo do Autor, parece que ele está lhe confessando uma história, sabe aquele desabafo entre amigos? Então, ao ler Machado você se sente importante, único.

Interessante no livro é como o Catolicismo é tratado, promessas, missas, santos, seminário, padres, etc, no meu ver, um Catolicismo de fachada, onde o medo é maior que a fé, afinal, promessas são substituídas ao bel prazer dos personagens.

Ainda percebemos uma forte presença Escravista, chama-os de “Preto” como se fosse um objeto, e o eram, alguns inclusive estavam alugados. Até um agregado, figura comum daqueles tempos, é presença marcante no livro.

Caro leitor, não espere de mim uma resposta à dúvida cruel que atinge a todos os que leram Dom Casmurro. Nem mesmo os especialistas são unânimes, então, não me arriscaria a tamanha ousadia. Mas lanço minhas perguntas: Capitu traiu Bentinho com Escobar? Ou seria Bentinho que traiu Capitu com Sancha? Ou ainda, será que Bentinho traiu Capitu com Escobar?

Para aqueles que relutam ainda em ler Machado, não tenham medo, é muito gostoso tal leitura. Seu trio, Quincas Borba, Dom Casmurro e Brás Cubas, sem falar nas Crônicas e Poesias, verdadeiros clássicos da nossa literatura, leitura obrigatória.

15 janeiro 2007

A América Latina em ciclos:

Tenho verdadeira paixão sobre a América Latina como um todo, sua cultura, história e afins, mas infelizmente, somos ainda mais informados sobre o que acontece em Nova York e mas influenciados por Hollywood. Mas a História da América Latina é interessante, e a história dos países chega até certo ponto a se confundirem.

Primeiro, tudo aqui era habitado por Civilizações Indígenas, vieram os Europeus com suas armas de pólvoras e as dizimaram, veio a colonização, as independências, até aí tudo bem...

Mas o mais interessante é a história do século passado, primeiro, a fase dos governos Populistas, Brasil (Vargas) e Argentina (Perón) que o digam. Após um breve período “democrático” chegou a vez das Ditaduras. Quase todos os países Latinos tiveram a sua, com destaque para o Chile, Paraguai, e é claro, o Brasil, talvez o período mais sangrento desde as colonizações. Após, um tempo de Liberalismo, ou Neoliberalismo como gostam de chamar, privatizações, diminuição do Estado e afins.

Pois bem, quando todos pensavam que a tendência era a Economia continuar a expandir-se, diminuir as desigualdades e o Estado ir diminuindo junto, e com isso consolidar o modelo difundido na cartilha do FMI, eis que a Esquerda aparece.

Claro que não é mais aquela Esquerda Revolucionária, afinal, estamos no século XXI e a Revolução foi feita pelas urnas, e diversos países Latinos agora contam com governantes que tiveram como base os ideais de Esquerda: Brasil, Argentina, Uruguai, Venezuela, Bolívia, e mais recentemente Equador e Nicarágua, sem falar é claro em Cuba e no México que quase teve seu governante esquerdista, se não fosse uma fraudulenta eleição...

Agora, o que será destes países? Será que a Esquerda veio para ficar? Será que vai ser capaz de resolver os problemas do continente? Tais respostas somente o tempo nos trará, até lá cabe-nos aproveitar este momento, e torcer...

11 janeiro 2007

A Importância do Oriente Médio:

Guerra entre Iraque e Kuait, conflitos entre Israel, Palestina e Líbano, armas nucleares no Irã, o que isso tem a ver comigo e com você? Talvez você possa achar que nada, mas neste sistema hegemônico globalizado, é extremamente necessários sabermos a importância do Oriente Médio para o Grande Império.

Os Estados Unidos da América sempre estivem ligados à região, na época da Guerra Fria, apoiou a criação de populismos árabes, para frear a ascensão Socialista na região, hoje, estes mesmos populistas são o alvo da Grande Democracia.

Duas são as importâncias fundamentais da região, a primeira é óbvia, o Petróleo, fonte de energia e riqueza, abundante na região, a outra é geoestratégica/geopolítica, o controle econômico e militar da região é essencial para barrar os principais concorrentes estadunidenses, os europeus e os tigres asiáticos.

Não pensem que os EUA são bonzinhos por quererem derrubar o ditador Saddam e implementar um governo Democrático, querem na verdade é mais um aliado de primeira grandeza na região, papel este muito bem desempenhado hoje em dia por Turquia e Israel.

08 janeiro 2007

Concessão de Rádio e Televisão:

Você sabe quem é o dono da Globo e do SBT? Fácil, a família Marinho e o Silvio Santos, respectivamente. Errado. Tias detêm tão somente a concessão de exploração da Televisão, que pode ser cancelada a qualquer momento, o dono é você! Isso mesmo, pode parecer estranho, mas você é o dono da Televisão.

Para se abrir um canal de TV ou mesmo emissora de Rádio, é necessário uma concessão por parte do Congresso Nacional para a exploração da atividade. Tal concessão deve ser renovada após o seu vencimento. Portanto, não basta simplesmente “querer” abrir um canal de TV ou emissora de Rádio, é necessário, teoricamente, demonstrar a importância de tal para a sociedade, afinal, esta é a destinatária deste serviço.

A Televisão, assim como a Telefonia, a Aviação Civil, a Energia Elétrica, Água, Esgoto e etc, devem ter como fim o interesse da população. Quando este não é cumprido, cabe ao consumidor reclamar nos órgãos competentes. No caso dos telefones o órgão regulador é a ANATEL, na Aviação Civil é a ANAC, e na Televisão eu reclamo para quem? Pois é, para ninguém!

A Telefônica, Brasil Telecom e etc são concessionárias públicas do serviço de Telefonia, ou seja, o Estado as autoriza a explorar esta atividade, desde que cumpram determinados objetivos. A Gol, Tam, Varig e etc também. Infelizmente no Brasil, a população ainda não tomou consciência de que com as Televisões acontece a mesma coisa. As emissoras é claro que não vão explicar isso! E quando surge uma proposta de “controle da imprensa”, os “porquês” são deturpados pela grande mídia com o velho jargão de “censura”.

Quando o Telefone da minha residência não funciona com a qualidade que eu desejo, corro reclamar, e o Estado tem a sua parcela de culpa nisto, por isso que tem as Agências Reguladoras. E quando eu me sinto ofendido pelo que passou em uma Novela ou Filme eu faço o que? Alguém aí sabe o número do telefone do Serviço de Atendimento ao Consumidor da Rede Globo? É, acho que nem existe. Eles nos empurram o que querem, da forma e quantidade que querem, riem nossas caras, mas nós ainda os amamos. E como diria o filósofo contemporâneo Homer Simpson: “A TV nunca mente!”.

06 janeiro 2007

O Novo Salário Mínimo:

É claro que não vou ousar dizer que o valor do novo salário mínimo é um espetáculo, longe disso, ainda mais se comparado com o que ganha os nossos juízes do STF, o mesmo que os deputados querem ganhar.

Mas estou gostando da condução do Governo Federal nesta matéria, em Abril, quando entra em vigor no novo salário de R$ 380,00, o trabalhador terá um ganho real acima da inflação, além do que, este valor terá o maior poder de compra do mínimo desde 1982. Quando Lula assumiu, o mínimo comprava 1,3 cestas básicas, em Abril comprará 2,4.

Além do que, neste pacote inclui a antecipação gradual, mês-a-mês da data base de aumento do mínimo, ou seja, em 2008 o novo mínimo entrará em vigor no mês de Março, em 2009 no mês de Fevereiro e em 2010 já em Janeiro.

Mas o mais importante é que a partir de agora o valor do salário mínimo não estará mais sujeito ao “humor” do Governo ou da Oposição, que escolhiam a esmo o novo valor. A partir de 2008 o novo mínimo será reajustado de acordo com a inflação mais o PIB do ano anterior, uma luta antiga das Centrais Sindicais.

Parabéns às Centrais Sindicais que conseguiram se organizar e possuem um Ministro do Trabalho vindo de suas bases, afinal, Luiz Marinho era presidente da CUT. Será que se o Incra fosse colocado nas mãos de João Pedro Stédile as coisas também fluiriam assim? Eu gostaria de pagar para ver. E o governador de São Paulo, José Serra coloca o mega-empresário Guilherme Afif Domingos para a Secretaria do Trabalho...

03 janeiro 2007

O Esporte é a saída... ou a entrada?

Recentemente me referi em um texto sobre a saúde, acerca da importância do Esporte para melhorar as condições de vida da nossa população, afinal, movimentar-se um pouco é saudável, e isso serve pra eu também.

A Lei de Incentivo ao Esporte é de grande importância, afinal, as empresas podem deduzir até 4% no Imposto de Renda e reverte-lo para fomentar o Esporte, em especial o amador. As pequenas cidades que poderiam abrir os olhos para este filão, aqui em Nova Londrina mesmo, temos duas fecularias e uma cooperativa, que juntas poderiam dar um grande impulso no Esporte local.

Mas a grande preocupação minha é outra, precisamos de políticas públicas e centros públicos de excelência, nos moldes mesmo dos cubanos e soviéticos, que tanto deram e continuam dando resultados. Os professores de Educação Física teriam grande papel neste cenário, ao identificar jovens em potencial e encaminha-los para os tais centros de excelência.

Para ilustrar, apenas um exemplo: qual o meio de transporte mais utilizados pelos ribeirinhos do rio Amazonas? Os botes e canoas à remo. Será que lá não existem milhares de crianças em potencial para serem grandes campeões olímpicos no Remo? Afinal, estas crianças nasceram remando e fazem isto o dia todo, por uma questão de sobrevivência, basta termos um “olheiro” e um centro de excelência.

01 janeiro 2007

Sobre Saddam:

Saddam Hussein, o ex-governante do Iraque, deposto por uma invasão unilateral promovida por outro país, que se julga a polícia do mundo, foi enforcado pela justiça de seu país. Um verdadeiro crime!

Tudo bem que Saddam não é lá um exemplo de pessoa, muito pelo contrário, vejo-o como um louco fanático pelo poder, mas não posso concordar com tudo isso.

Nesta invasão ao Iraque, já morreram mais de três mil soldados estadunidenses, fora os de outros países e os civis Iraquianos, crianças, mulheres e muitos pais de família, o que parecia fácil e rápido está-se tornando um novo Vietnã.

Sou totalmente contra a pena de morte, acredito que se é proibido à um civil matar outro, e o Estado pune tal fato, também deva ser proibido ao Estado matar um cidadão, seja em qualquer circunstância. Cadê os direitos humanos?

Mas o maior perigo de se enforcar Saddam é o risco de transforma-lo em um mártir da causa Islâmica, afinal, por mais que alguns Iraquianos o odeiem, odeiam muito mais a intervenção estadunidense. Bush está correndo um sério risco de dar mais um tiro no pé.



Free counter and web stats